conecte-se conosco

Eventos

Workshop sobre autismo é realizado em Paranaguá

Profissionais do município levaram mais conhecimento aos participantes

Publicado

em

Foto: Prefeitura de Paranaguá

Na manhã e tarde de quinta-feira, 31, a Prefeitura de Paranaguá, através das secretarias de Educação, Gabinete Institucional e Comunicação, realizaram o workshop “Quando você ajuda, as peças se encaixam”. O evento aconteceu no Teatro Rachel Costa e contou com palestras de três profissionais que atuam no Centro de Autismo e Centro Municipal de Avaliação Especializado (CMAE).

“Ficamos muito felizes de poder contribuir com essa inclusão social”, afirmou o prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, esteve no evento e salientou os esforços aplicados nos últimos anos para o atendimento deste público. “Paranaguá é uma das cidades pioneiras a ter um Centro do Autismo. Inauguramos o espaço em 2020 e faz um trabalho de excelência, todos os profissionais se dedicam no dia a dia. Minha esposa luta muito por essa causa, a Amanda tem feito um trabalho magnífico no Centro, ficamos muito felizes de poder contribuir com essa inclusão social”, afirmou Marcelo.

A coordenadora do Centro de Autismo, Irazilda Bisson Dalago, afirmou que o município atende 157 crianças com diagnóstico concluído. “O aluno é avaliado no CMAE e depois que tem o diagnóstico fechado para o autismo encaminhamos para as terapias no Centro de Autismo”, disse.

A terapeuta ocupacional Andressa March contou sobre a terapia assistida com o cão Naruto

Durante o workshop, três profissionais que atuam nesses espaços explicaram mais sobre o transtorno e como é realizado o acompanhamento para oferecer qualidade de vida para essas crianças e famílias. “A assistente social Joice Figueiredo falou sobre os direitos das crianças com autismo na educação. Tivemos também a terapeuta ocupacional Andressa March que atende nas escolas e no Centro com o cão Naruto e a nutricionista Camile Consentino de Carvalho quer irá trabalhar no Centro a questão da seletividade alimentar, dando orientações junto às escolas”, afirmou Irazilda.

Segundo ela, a Semana do Autismo contribui para o conhecimento maior do transtorno pela sociedade. “Ajuda a formar essa visão do autismo, que não é birra, tem toda uma questão sensorial que precisa ser trabalhada com a criança e ser levada a sério e para que se evite julgamentos”, destacou Irazilda.

Envolvimento das famílias

O Centro de Autismo também trabalha com o programa Prapais-Tea para atender os pais enquanto aguardam a terapia dos filhos. “Nessa sala eles recebem toda orientação sobre o transtorno e de como lidar. Há uma dificuldade que a família enfrenta no ambiente escolar e social, por isso tem essa troca de informação, eles se ajudam com a orientação de uma profissional”, contou Irazilda.

Essa parceria e envolvimento das famílias tem gerado resultados positivos para o desenvolvimento das crianças atendidas. “Tivemos muitos casos de crianças que evoluíram muito em pouco tempo, mas isso é o trabalho da família junto com o Centro, quando isso se intensifica o resultado vem muito rápido”, destacou Irazilda.

Visibilidade

A secretária municipal de Educação e Ensino Integral, Tenile Xavier, destacou o trabalho realizado pelo município na luta pela inclusão e visibilidade dos autistas. “O trabalho que tem sido realizado em conjunto com as escolas e com os pais faz a educação especial avançar e com que a gente não desista. Agradeço a toda a rede porque conseguimos chegar muito longe, assim como o tema da nossa semana, quando todo mundo faz a sua parte, as peças se encaixam. É assim que temos trabalhado todos os dias. Vamos trabalhar com essa conscientização não só nessa semana para dar a visibilidade que essas crianças merecem. Daqui a alguns anos vamos encontrá-las e ver como fez diferença esse trabalho”, afirmou Tenile.