conecte-se conosco

Esportes

Isa Nunes será a única menina da região Sul a representar o Brasil no Junior World Tour 2022

Atleta de bodyboarding busca recursos para o campeonato no Peru

Publicado

em

Depois de conseguir o título de campeã brasileira de bodyboarding na categoria amador Open Feminino, no Capixaba Bodyboarding Brasil, realizado no mês de dezembro, a atleta de Pontal do Paraná, Isa Nunes, de 17 anos, vai disputar o Junior World Tour 2022.

Isa recebeu uma carta convite para representar o Brasil no campeonato internacional que acontece no Peru, em março. Ela será a única atleta da região Sul do País a representar na categoria Pro Junior do Brasil. Este também será o primeiro campeonato fora do Brasil, que Isa irá participar.

“A Isa vai participar no Peru e estamos na movimentação para que isso aconteça. Estamos fazendo uma vaquinha on-line e precisamos de uma empresa para patrocinar essa viagem, sem um patrocinador não conseguimos pagar os custos de hospedagem e passagens, que são muito caras. Para as etapas nacionais, já temos patrocínio, mas para essa internacional ainda não temos”, explicou a mãe da atleta, Aline Nunes.

Quem tiver interesse em ajudar a atleta paranaense pode fazer a doação pelo PIx (chave 41995224152) ou entrar em contato pelos telefones (41) 99522-4152 ou (41) 99807-2521.

Isa recebeu uma carta convite para representar o Brasil no campeonato internacional que acontece em março

Duas etapas

O Peru sediará as duas primeiras etapas do Junior World Tour 2022, que é supervisionado pela International Bodyboarding Corporation (IBC). Na praia de Arica, em Lurín, a inicial acontecerá nos dias 11, 12 e 13 de março e em Marcona, Ica, no fim de semana seguinte. Os representantes com melhores resultados em seus países estarão em busca dos primeiros pontos positivos na batalha pelo título nesta temporada.

Ambos os eventos atrairão muitos participantes de todo o mundo e serão os primeiros eventos na história do novo World Tour IBC (International Bodyboarding Corporation), após o Lurín Pro 2020. “O fato de serem dois eventos seguidos um tão próximo a outra cria um efeito muito positivo no acolhimento de participantes do exterior”, divulgou os organizadores da competição. Os dois eventos se justificam pela chance de vários bodyboarders levarem o campeonato.