conecte-se conosco

Educação

Presidente fala dos desafios e conquistas frente ao Sismmap

Andréa Elias de Paula assumiu a presidência do Sismmap em 2013, dois anos após sua criação

Publicado

em

Com mais de 31 anos dedicados à educação, a professora Andréa Elias de Paula, está desde 2013 à frente do Sindicato dos Servidores do Magistério do Município de Paranaguá (Sismmap), onde desde a criação da entidade, em 2011, vem lutando pela valorização da categoria, e fala das lutas e conquistas ao longo deste período.   

“Agradeço o espaço para poder falar um pouco da nossa trajetória de trabalho frente ao Sindicato do Magistério Municipal de Paranaguá, o Sismmap. O sindicato foi fundado em 2011, e a partir de 2013 assumi a presidência até o presente momento. Foram muitas lutas, muito trabalho e muitas noites mal dormidas, porque a gente sabe que existem atrás do sindicato mais de 600 professores que confiaram no nosso trabalho e nos escolheram para estar ali representando-os. Sempre tentamos fazer isso da melhor forma possível, com respeito, com diálogo e com sabedoria, porque a gente precisa muito disso quando você vai buscar os direitos dos professores, dos profissionais da educação. Quando participamos de uma reunião a gente tem que estar preparado para o que vem dos lados e ver sempre a melhor forma de negociar, pois o sindicato está lá para negociar e sempre vê o lado da valorização do profissional de educação”, disse Andréa, enfatizando que este sempre foi o norte desta diretoria. “Sempre fizemos isso ao longo de desses anos, sempre com diálogo e conseguimos ao longo de todos esses anos de trabalho conseguiu avanços para categoria, bem como outros trabalhos que o sindicato também pode estar fazendo parte, como as eleições diretas para diretores, conseguimos também a participação na formulação do plano de carreira que é uma função e um trabalho que o sindicato precisa estar bem atuante porque o plano de carreira é a vida profissional do professor e a valorização deles, então conseguimos na época que fosse aberto o novo estudo do plano de carreira, e ainda necessitamos que isso continue sendo feito, porque é através disso que o professor tem a sua valorização profissional até o momento da sua aposentadoria. Nós conquistamos também a reintegração das aposentadas, que saíram e depois conseguiram retornar, a confirmação dos monitores como profissionais da educação, os pagamentos das elevações de nível que logo que iniciamos estavam em atraso conseguimos os pagamentos retroativos, o piso salarial que na época era pago por complemento e hoje é pago no salário base do professor, porque tudo que um professor ganha no salário base, ele leva para sua aposentadoria, e isso é muito Importante. A elevação de nível por graduação para os educadores infantis na época que elas não recebiam, então foram várias conquistas que o sindicato buscou para categoria”, destaca a presidente, que lembra também da eleição para a escolha da secretaria de educação, que era um anseio da categoria.

Eleição

A presidente explica que o sindicato está passando por um processo de escolha da nova diretoria. “Estamos com uma eleição que vai acontecer no sindicato, neste mês de fevereiro. Temos uma chapa que se inscreveu, o que a gente espera é que essa nova diretoria, se assim for possível ingressar no sindicato, que ela possa continuar o trabalho que nós realizamos ao longo desses 10 anos”, disse a presidente, enfatizando que a decisão de não disputar as eleições foi da atual diretoria. “Como nós estamos já há 10 anos à frente do sindicato, em uma reunião da diretoria foi conversado e perguntado a todos se havia o interesse em continuar, em permanecer para uma nova eleição e por unanimidade, os integrantes da diretoria do sindicato optaram e não permanecer mais. Também vimos pelo lado de dar oportunidades de novas pessoas estarem à frente do sindicato em uma nova diretoria. Mas a gente enfatiza assim, que possa continuar o trabalho que nós realizamos e construímos ao longo desses dez anos, trabalhando da forma que sempre trabalhamos, no diálogo, na conversa e respeitando as tratativas, com relação aos professores e aos profissionais da educação”, destaca Andréa. 

Representatividade

Sobre a representatividade sindical a presidente deixa claro que “a partir do momento que nós somos inscritos em centrais sindicais, pois somos filiados na União Geral dos Trabalhadores (UGT), a Central Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e a Federação dos Sindicatos Municipais do Paraná (Femespar), então nós temos legitimidade como também temos representatividade por sermos escolhidos pela categoria para estar representando-os”. 

Agradecimentos

A presidente aproveita para fazer alguns agradecimentos. “Quero também fazer o meu agradecimento à diretoria que esteve comigo durante esses 10 anos. Foram pessoas muito comprometidas e se dedicaram a todo momento que mais precisávamos seja para as audiências ou para as reuniões de emergência, ou quando precisávamos conversar sobre qualquer assunto do sindicato, todos sempre se fizeram presentes. Então vai esse meu agradecimento especial à diretoria que esteve comigo durante todo esse período, como também agradecer as centrais sindicais a qual nós somos filiados, os nossos agradecimentos aos nossos parceiros porque sempre que precisamos estiveram aqui para nos apoiar em tudo que nós necessitamos, e a todos os profissionais da educação que confiam em nosso trabalho”, finaliza Andréa

Continuar lendo
Publicidade