conecte-se conosco

Educação

Equipe do colégio Jerusalém ganha 2.º lugar em torneio de robótica entre escolas de todo o Estado

Estudantes criaram um protótipo para evitar o furto de cargas de caminhões

Publicado

em

Uma equipe formada por cinco alunos do Colégio Jerusalém ganhou o 2.º lugar no Torneio Sesi de Robótica First Lego League, realizado nos dias 15 e 16 de março. Foram seis meses para desenvolver um protótipo que tem como objetivo evitar os furtos de cargas de caminhões, problema que ocorre frequentemente em Paranaguá.  Em todo o Paraná, foram 37 projetos de escolas particulares e públicas apresentados e somente dois premiados.

A equipe é formada pelos alunos Aline Redede Voinaroski, Lavinya Luiza dos Santos Leandro, João Marcelo Viana Baron, Beatriz Yoshimi Mendes Yukizaki e Gabriel Lopes Freire do Rosário.

O professor de Robótica do Colégio Jerusalém, Victor Hugo Gonzalez, disse que o objetivo do evento não é apenas montar e programar robôs, mas também fazer um projeto de pesquisa.

“Os alunos são incentivados a participar de uma pesquisa científica com o intuito de solucionar algum problema relacionado ao tema. Neste ano, o tema foi transporte de carga, bem peculiar para a nossa região, o que gerou uma motivação muito grande para que participassem”, contou Victor.

Dentro do tema proposto pelo torneio, a equipe desenvolveu algo para solucionar de forma tecnológica o problema das “vazadas”, por meio da instalação de um dispositivo nos caminhões capaz de avisar os motoristas de que a carga estaria em risco de furto.

“Eles montaram um protótipo, entrevistaram caminhoneiros para conhecer os problemas que eles enfrentam. Agora, a ideia é desenvolver melhor para que possa ser aplicado nos caminhões de verdade”, afirmou o professor Victor.

A equipe de robótica e o professor durante a premiação do Torneio Sesi de Robótica First Lego League

Diversão e aprendizado

O professor Victor lembra que o interesse por áreas ligadas à tecnologia tem chamado cada vez mais a atenção das meninas. “Quando jogamos um kit de robótica para os meninos, muitos já sabem mexer com o lego. Já as meninas, no início, havia uma rejeição muito grande, mas pouco a pouco foram vendo que além de ser divertido, se aprende muita coisa. Hoje, tenho muito orgulho de dizer que na nossa equipe, dos cinco alunos, três são meninas e a nossa líder é uma menina”, enfatizou Victor.

Foram seis meses para desenvolver um protótipo que tem como objetivo evitar os furtos de cargas de caminhões

A diretora do Colégio Jerusalém, Mirian da Silva Ferreira Alves, explicou que a escola trabalha com a robótica desde o 2.º ano do Ensino Fundamental. Segundo ela, em 2019, outra equipe do colégio ganhou a Olimpíada Brasileira de Robótica em 1.º lugar.  “Vejo que os alunos desde o fundamental já estão com uma visão científica acadêmica a nível de graduação, porque toda a programação para participar conta com uma metodologia e uma resolução de problema. Com isso, os alunos estão sempre em busca de soluções práticas no seu dia a dia”, afirmou Mirian.

Continuar lendo
Publicidade