Connect with us

Educação

Aulas começarão na rede estadual do Paraná no dia 18 de fevereiro

Governo estadual investiu R$ 5,96 milhões na compra de materiais de proteção para os mais de dois mil colégios do Paraná (Foto: AEN/Secretaria de Educação e do Esporte)

Publicado

em

Aulas começarão na rede estadual do Paraná no dia 18 de fevereiro

Início do ano letivo de 2021 será em formato híbrido

Previsto para o dia 18 de fevereiro, o início das aulas na rede pública estadual de ensino em todo o Paraná, incluindo os sete municípios da região, será no formato híbrido, em que parte dos alunos assistirá às aulas de maneira presencial nas salas de aula, enquanto o restante acompanhará a mesma aula em questão de forma remota, ou seja, de casa, através da Internet. A medida ocorre devido à pandemia da Covid-19, reforçando o distanciamento social necessário para controle da doença. 

“Com início previsto para 18 de fevereiro, o ano letivo nos colégios estaduais terá formato híbrido, com parte dos alunos assistindo às aulas de forma presencial nas escolas, enquanto o restante dos estudantes acompanha a mesma aula de maneira remota, simultaneamente”, explica a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte.

Segundo a pasta, o objetivo é que haja um revezamento semanal entre os estudantes (uma semana em aula remota e uma semana em aula presencial). “Aqueles que não têm acesso à Internet ou a aparelhos eletrônicos (e que tiveram de buscar atividades impressas nas escolas ao longo de 2020) têm preferência para a aula presencial. Os demais participarão do revezamento, desde que haja autorização dos pais ou responsáveis legais”, informa.

“Ao chegar à escola, todos os alunos terão suas temperaturas medidas. O uso de máscara é obrigatório, assim como a disponibilização de álcool em gel e o distanciamento mínimo de 1,5 metro dentro das salas. Além disso, a capacidade de cada sala de aula será limitada ao máximo de 50% de ocupação (o percentual vai depender do tamanho da sala)”, explica o Governo Estadual.

Investimento 

De acordo com o Estado, já foi investido o total de R$ 5,96 milhões na compra de materiais de proteção para os mais de dois mil colégios da rede estadual, com foco na segurança para início das aulas em meio à pandemia. “Entre os itens adquiridos, estão 21,8 mil galões de 5 litros de álcool em gel, 25,1 mil galões de 5 litros de álcool líquido 70%, 6,9 mil termômetros, 31,7 mil dispensers e 16,3 mil macacões para equipes de limpeza. Até a quarta-feira, 13, cerca de 95% das escolas do Estado já haviam recebido os materiais. Além disso, 2,1 milhões de máscaras de tecido serão entregues aos estudantes — duas para cada”, afirma.

Itens como produtos de limpeza, luvas e botas para profissionais de limpeza e fitas adesivas para orientar o distanciamento em salas de aula e espaços comuns estão sendo adquiridos pelas próprias unidades de ensino. “Os recursos para essas compras vêm do fundo rotativo: verba liberada mensalmente para as escolas, destinada à aquisição de materiais e à execução de pequenos reparos”, afirma a assessoria. “Os diretores de cada escola têm liberdade para implementar medidas adicionais de segurança e ampliar os cuidados para prevenção da Covid-19”, reforça.

Prevenção

Segundo a pasta de Educação, o ano letivo de 2021 terá a aplicação do programa “Educar para Prevenir”, feito em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). “O projeto vai levar orientações sobre doenças, como prevenção e cuidados, para dentro da grade escolar dos alunos. De acordo com o planejamento, entre 10% e 15% do conteúdo de Ciências para alunos do Ensino Fundamental nos anos finais e de Biologia no Ensino Médio abordarão o tema”, destaca.

“A ação se dará uma vez por semana, com objetivo de tornar a escola agente de disseminação de informação sobre prevenção de doenças, inicialmente com foco na pandemia do novo Coronavírus e depois expandindo para outras doenças endêmicas e doenças crônicas não degenerativas”, finaliza o Governo do Estado.

Com informações da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte

Leia também: Professores dão dicas para o segundo dia de provas do exame