conecte-se conosco

Direito & Justiça

Casa de Acolhimento à Mulher será instalada em Paranaguá

Espaço abrigará mulheres vítimas de violência

Publicado

em

Paranaguá deverá ganhar em breve um importante alicerce na luta contra a violência doméstica: a Casa de Acolhimento à Mulher. O espaço é destinado ao acolhimento de mulheres vítimas de violência, protegendo-as dos agressores, bem como permitindo que as cidadãs abriguem seus filhos de maneira emergencial. Segundo a vereadora Vandecy Dutra, Procuradora Especial da Mulher da Câmara Municipal, a Casa já está sendo instalada e em breve será inaugurada pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) da Prefeitura de Paranaguá. 

“A Casa de Acolhimento à Mulher é um espaço para abrigamento das mulheres vítimas de violência, um local seguro para acolher, tanto a mulher como seus filhos, de maneira emergencial e provisória. Um espaço que disponibiliza os serviços”, explica Vandecy Dutra. Segundo a legisladora, o projeto já foi iniciado pela Semas, que detém o espaço onde a Casa será instalada. “Este é um projeto do Executivo Municipal, que estamos acompanhando com muita ansiedade. Por informações disponibilizadas pela secretária de Assistência Social, Gisele Cristina da Silva, o espaço se encontra em vias de ser iniciada a manutenção e adequações do local”, complementa.

Parcerias 

A Procuradoria Especial da Mulher do Legislativo é formada por Vandecy Dutra junto aos vereadores Isabelle Dias e Nilson Diniz e, desde que foi iniciada, está atuando para que vários projetos sejam implantados no município, entre eles o da Casa de Acolhimento. “Temos buscado parceria com todos os poderes.  Inicialmente com o prefeito Marcelo Roque, que de imediato se dispôs a contribuir e efetivar mais rapidamente o projeto que estava em andamento pela Semas”, destaca.

Além disso, a legisladora cita parcerias importantes para o avanço de projetos em prol dos direitos das mulheres com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Paranaguá, por meio do presidente Nazareno Pioli, e com a Procuradora da Mulher da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), deputada estadual Cristina Silvestri. “Tivemos também encontros com o presidente da Aciap, Eloir Martins, com o Conselho Municipal da Mulher, por meio da presidente, Rosane Oliveira e demais conselheiras, e também com o responsável pelo Curso de Direito da Isulpar, Fabiano Elias, bem como parceria com a Associação das Lideranças dos Bairros”, salienta.

Vereadora Vandecy Dutra, Procuradora da Mulher, explica que espaço será inaugurado em breve pela Secretaria de Assistência Social (Foto: Câmara Municipal de Paranaguá)

“Temos uma agenda intensa para os próximos meses, desejando tecer e firmar uma rede de proteção, mais sólida e eficiente para que consigamos amenizar os casos de violência contra as mulheres e as situações correlatas a ela”, afirma.

Enfrentamento à violência contra a mulher

Segundo a legisladora, a Procuradoria tem como principal função inibir a violência. “Trabalharemos  com projetos de prevenção a violência antes mesmo que ela se instale e assim diminuir consideravelmente os casos desta natureza. A Casa de Acolhimento será para abrigar as mulheres vítimas, que não tem para onde ir de forma segura, isso quando a violência já se instalou em seus espaços de convivência”, explica. O local da casa já foi definido, com manutenção e adequação autorizada pela Prefeitura e em breve deverá ser inaugurado. 

“A violência contra a mulher tem crescido consideravelmente principalmente nestes tempos de pandemia, muitas mulheres sequer sabem que estão sendo vítimas. Por isso o importante é a informação. Precisamos disponibilizar informações, por meio de cartazes, o que já vem ocorrendo pela Câmara Municipal, junto a Procuradoria Especial da Mulher. No Brasil, a cada dois segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal; a cada 1,4 segundo, há uma vítima de assédio, segundo o Instituto Maria da Penha”, finaliza Vandecy Dutra.

Foto: Bruno Itan/Rio Solidário – Ilustrativa