Connect with us

Coronavírus

Prefeitura aborda detalhes do primeiro caso de Coronavírus em Paranaguá

Marcelo Roque destacou a importância do isolamento social e das ações integradas Prefeitura e Estado para controlar o Coronavírus

Publicado

em

Paciente de 48 anos contraiu doença na Europa, foi tratada e fez isolamento em Curitiba 

Na manhã da quinta-feira, 2, o prefeito Marcelo Roque, junto com a secretária municipal de Saúde, Lígia Cordeiro, concedeu coletiva no auditório da Secretaria Municipal de Saúde e Prevenção (Semsap), onde confirmou o primeiro caso do novo Coronavírus em Paranaguá. A paciente, com 48 anos, foi diagnosticada com a Covid-19 em viagem à Europa, em País que foi mantido em sigilo, retornando à cidade de Curitiba, onde foi confirmada a doença e ela passou por tratamento e quarentena, sendo um caso leve do Coronavírus. 

Segundo a Semsap, o caso foi confirmado em Paranaguá pelo fato de a pessoa e sua família possuir endereço domiciliar no município, algo que segue protocolo da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e Ministério da Saúde. 

“Infelizmente temos em Paranaguá o primeiro caso confirmado de Coronavírus”, afirma o prefeito. “Nós temos a informação porque este caso estava sendo investigado há uns dois a três dias”, explica. “A paciente esteve na Europa do dia 7 a 14 de março e depois, na volta da viagem, se dirigiu a Curitiba para fazer o atendimento. Felizmente, a pesoa tomou todas as atitudes de quarentena, isolamento e tudo que tem que ser feito. Esse caso estava computado como de Curitiba, é algo que já tem dias que foi constatado, mas depois viram que o endereço da pessoa é em Paranaguá”, explica.

“A Prefeitura e a Secretaria de Saúde junto ao Estado estão tomando todas as providências respaldadas com a Vigilância Sanitária em Paranaguá para salvar vidas. Se temos um município entre os 10 maiores do Paraná e que só agora apareceu o primeiro caso é por causa das atitudes que nós tomamos”, explica Roque, ressaltando as ações de distanciamento social no Porto de Paranaguá, Pátio de Triagem, suspensão das aulas, fechamento do comércio, toque de recolher, algo iniciado em março e que prossegue até hoje.  “O que nos deixa contentes é que neste caso não houve contato com nenhum morador de Paranaguá e as atitudes foram tomadas pela Sesa e município”, completa. “Estamos trabalhando incansavelmente”, destaca. 

Compreensão

Segundo o gestor, é necessário uma compreensão pela população da crise sanitária vivida no Brasil e no mundo. “Sabemos da questão econômica municipal e pessoas que precisam do seu ganho, mas temos que preservar vidas parnanguaras. Temos relatórios do trabalho que fizemos em comparação a outros países e se não tivéssemos feito no momento certo, o Brasil, o Paraná e os município estariam em situação muito pior”, completa.

Decisões difíceis e isolamento social

“Sabemos que mais casos virão, não só para Paranaguá, mas em todo o Paraná, mas estamos realizando tudo aquilo que é certo. O povo parnanguara pode ter certeza que estamos tomando decisões difíceis, para todos os gestores públicos, mas são ações sincronizadas entre municípios e Estado”, acrescenta, ressaltando que a restrição varia, mas no geral é da mesma forma. “Vai chegar uma hora que teremos que tirar as restrições gradativamente. Estamos pensando há mais uma semana ou duas, visto que há entendimento de que o maior pico é nessa semana a na semana que entra, destravar alguns segmentos da nossa cidade em dias alternados. Estamos planejando isso de forma técnica, até para que não haja aglomeração de pessoas. É um estudo que estamos fazendo e iremos lançar em breve nas próximas semanas. Estamos acompanhando o índice de infectados em Paranaguá e litoral, tudo isso será respaldado pela Sesa e Semsap”, completa Marcelo Roque.

“Deixo esse alerta do isolamento social e de fechar o comércio para não propagar esse vírus. Continuamos neste foco de achatar a curva para não haver problema na rede hospitalar do Paraná e de Paranaguá”, diz.

Secretária pede responsabilidade na divulgação de informações

Secretária de Saúde, Ligia Cordeiro, pediu que a população procure sempre fontes oficiais para se informar sobre a Covid-19

A secretária municipal de Saúde, Ligia Cordeiro, pediu que a população procure sempre fontes oficiais da Semsap e Sesa para se informar sobre casos do novo Coronavírus, bem como prevenção e combate a doença. “Todos temos acesso à informação e somos divulgados. Temos que ter uma responsabilidade social naquilo divulgamos. Vamos tomar muito cuidado, olhar as redes oficiais. Há pessoas muito suscetíveis a qualquer tipo de informação. Vamos respeitar os profissionais de saúde, se ele disse que era para ir para casa, se tratar, e ficar em isolamento social, obedeça”, acrescenta. 

Detalhes do primeiro caso

Maristela Cerqueira, superintendente de Vigilância em Saúde, detalhou o primeiro caso confirmado da Covid-19 na cidade. “A família foi muito bem orientada já na Europa, são pessoas conscientes e por si só já procuraram o isolamento social e a quarentena. Eles procuraram os exames por conta própria em laboratórios particulares, por causa de informações da mídia, eles estavam em Curitiba. O exame então deu resultado positivo. A epidemiologia da Prefeitura de Curitiba, assim como é feito aqui, realizam o monitoramento quando recebem.  Fizeram a contraprova, onde foi um caso reagente e localizaram o paciente confirmando o endereço daqui”, explica, ressaltando que a notificação é de Paranaguá por ele ser residente aqui.

Superintendente de Vigilância em Saúde, Maristela Cerqueira, afirmou que paciente e família vieram da Europa e cumpriram quarentena em Curitiba

“Pelo tempo de exposição, por ter sido um caso bem leve, com isolamento e quarentena deles, eles já estão liberados, não há problema nenhum e eles, até por toda a questão epidemiológica, hoje estão liberados do isolamento sem problema nenhum. Seguiram todas as recomendações na Europa e da Prefeitura de Curitiba”, complementa a superintendente. “Por uma questão de sigilo do setor de Epidemiologia não divulgaremos o nome da família e do paciente”, destaca. 

Responsabilidade do paciente e família

Segundo GianFrank Tambosetti, coordenador da Sala de Situação, Paranaguá se encontra em situação confortável da pandemia, embora esteja em início pandêmico do Coronavírus

“Quero destacar a responsabilidade dessas pessoas, eles mesmo tomaram a iniciativa de fazer o auto-isolamento. Então, eles foram muito responsáveis e tomaram a quantidade da economia. Com relação à situação da pandemia em Paranaguá nesse momento, o município ainda se encontra em uma situação confortável, embora estejamos em uma situação de início pandêmico. Não chegamos na escala da pandemia. As ações desenvolvidas pelo município por meio dos decretos do senhor prefeito, bem como pelas ações da Semsap e Sesa, estão impedindo que tenhamos uma escala muito abrupta desta pandemia”, explica um dos coordenadores da Sala de Situação do Coronavírus, GianFrank Julian Tambosetti.

Médico infectologista comenta que prevenção é essencial

Ignácio Cuevas, médico infectologista, destacou higiene e isolamento social para conter o Coronavírus

Ignácio Cuevas, médico infectologista do município, destacou que o vírus da Covid-19 se propaga por gotículas de saliva, de forma aerossol, por exemplo, no espirro, ou pelo contato. “A partir do momento que estou soltando gotículas de saliva estou tocando em superfícies que ficam contaminadas. Esse vírus tem uma sobrevivência acima de superfícies em que precisa ser desinfectada, pois uma vez tocando a mão, ela transmitirá o vírus e sujando outros locais”, acrescenta.