Connect with us

Coronavírus

Prefeito Marcelo Roque determina toque de recolher em Paranaguá

Prefeito Marcelo Roque, secretários João Carlos e Lígia Cordeiro e autoridades atribuem o controle dos casos em Paranaguá ao distanciamento social

Publicado

em

A partir de terça-feira, 31, a população não pode sair de casa das 20h às 6h

Em virtude da confirmação do 1.º caso confirmado de Coronavírus no litoral do Paraná, o prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, publicou o decreto 1.934/20, pelo qual determina toque de recolher aos munícipes, por tempo indeterminado. A medida, anunciada em coletiva de imprensa na tarde de segunda-feira, 30, é considerada pela prefeitura fundamental neste momento para o enfrentamento ao Coronavírus.

Os moradores estão, portanto, impedido de circular nas ruas das 20h às 6h. Prestadores de serviço na área da saúde, segurança, assistência social, jurídica, delivery de alimentos, trabalhadores portuários que atuarem em turnos e demais que trabalharem em empresas privadas no período noturno poderão circular desde que comprovada a necessidade de deslocamento após as 20h.

Todo o comércio, inclusive supermercados e farmácias, deverá ficar fechado após as 20h. O mesmo não se aplica para unidades de saúde de pronto atendimento. O decreto também menciona as marinas, que deverão permanecer fechadas, podendo prestar serviços somente aos setores públicos e aqueles relacionados à área portuária.

“Estabelecemos toque de recolher a partir de terça-feira em Paranaguá. A medida é justamente para proteger a população de Paranaguá, tivemos hoje o primeiro caso confirmado na cidade vizinha de Matinhos e a atenção tem que ser redobrada. Temos um porto, por onde passam vários caminhões, as atitudes têm sido tomadas corretamente, o porto e o município têm feito a sua parte. Agora, teremos que apertar ainda mais a prevenção”, afirmou o prefeito Marcelo Roque. “Os motoristas ficarão sujeitos à repreensão dos veículos, a condução coercitiva e multa no valor de 300 UFM (Unidade Fiscal do Município)”, completou o prefeito.

O prefeito atribuiu o fato de ainda não ter casos confirmados em Paranaguá em função das medidas adotadas desde o início. “Se não tem nada de grave até hoje é porque tomamos todas as atitudes de prevenção. Segundo especialistas, o maior pico será do meio para o fim do mês de abril, por isso estamos nos antecipando nas atitudes. Temos tomado um cuidado muito grande. Povo parnanguara, fique em casa”, reforçou Marcelo Roque.

Fiscalização

A fiscalização ocorrerá pela Guarda Civil Municipal em parceria com a Polícia Militar. O secretário municipal de Segurança, João Carlos Silva, afirmou que Paranaguá está com a atenção redobrada. “Estamos atentos, peço a todos que fiquem em casa. A Guarda Municipal ou a Polícia Militar poderá conduzir esses moradores que estiverem nas ruas à delegacia pelo artigo 268, por infringir determinação do Poder Público, que gera detenção de um mês a um ano, é um crime de desobediência”, destacou João Carlos.

Segundo ele, todo o efetivo da Guarda está empregado para cumprir o decreto municipal. “A partir das 20h não poderá mais haver ninguém nas ruas de Paranaguá, se não for identificado por alguém que está indo trabalhar, será detido pela Guarda ou pela Polícia. As férias dos guardas foram suspensas, todo o efetivo estará atuando no município. Pela defesa da vida das pessoas de Paranaguá, não há outra medida senão o toque de recolher. Não acho a medida radical, acho que foi tomada no momento certo. O toque de recolher deixará as pessoas mais protegidas em suas casas”, reforçou o secretário de Segurança.

Saúde

A secretária municipal de Saúde, Lígia Regina de Campos Cordeiro, contou que todas as medidas quanto aos atendimentos estão sendo tomadas para diminuir os riscos da doença em Paranaguá, já que os profissionais da área ainda têm dúvidas de como a infecção se comportaria com a problemática da dengue na cidade. “Não sabemos como será o comportamento da Covid-19 com a dengue em Paranaguá”, ressaltou Lígia.

Confira o decreto: