Connect with us

Coronavírus

Portos do Paraná ressaltam mobilização em prol da saúde no litoral

Diretor-presidente destacou o engajamento da comunidade portuária

Publicado

em

A comunidade portuária se mobilizou para contribuir com a saúde da população que reside no litoral do Paraná neste período de pandemia do novo Coronavírus. Como já anunciado, as empresas vão destinar um total de R$ 2,5 milhões para o Hospital Regional do Litoral, na compra de equipamentos que são fundamentais nesse momento e que também deixarão um legado para a estrutura que é referência na região.

O diretor-presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, afirmou que este foi o caminho encontrado para auxiliar o hospital durante a pandemia. “A diretriz do governador Ratinho Júnior é de que há necessidade da aproximação da comunidade portuária com a cidade, em que pese todas as restrições legais, foi um meio encontrado no momento dessa pandemia de um esforço adicional para com a saúde no litoral, através de aquisição de equipamentos para Hospital Regional, que é referência na região para receber todos os pacientes com suspeitas da Covid-19”, disse Garcia.

A iniciativa da Portos do Paraná rapidamente teve adesão de muitos empresários. “Foi uma iniciativa simples do porto, somente reunimos as vontades individuais que havia em cada empresa. A partir de uma ligação nossa, conseguimos espalhar esse bom contágio para as pessoas se engajarem e alcançamos o valor de R$ 2,5 milhões, em um repasse virtual. Não há repasse para o porto e nem para a saúde, é uma compra feita diretamente com o fornecedor. O Hospital Regional apontou as necessidades de equipamentos e, a partir daí, as empresas se organizam e procedem com a compra”, explicou Garcia.

Relação porto-cidade

Segundo Garcia, a mobilização demonstra o compromisso das empresas e do porto com a comunidade. “Nós já somos os grandes geradores de empregos, imposto e renda ao município que nos abriga, tem o ônus de tudo isso, mas cada vez mais buscamos ações ordenadas para diminuir esse ônus e aumentar esse bônus pela acolhida que o município nos dá”, destacou diretor-presidente. “Sabíamos que todas as empresas tinham essa vontade de ajudar, mas da forma que foi, pelo engajamento rápido que se deu, em um fim de semana já tínhamos a resposta positiva de quase todas as empresas, foi surpreendente”, completou o diretor-presidente.

Ação com caminhoneiros

Uma das medidas adotadas recentemente pela Portos do Paraná no Pátio de Triagem foi o atendimento médico e o reforço das ações de higiene aos caminhoneiros que chegam à cidade. “O retorno tem sido muito positivo, é uma classe muito importante, recebemos pelo modal rodoviário de 70 a 75% de todo o volume transitado pelos portos paranaenses. É uma categoria que não poderia deixar de ser assistida”, disse Garcia.

Ele ainda adiantou que, em breve, será fornecida alimentação a esses trabalhadores. “Isso faz com que demonstremos para a classe a sua importância. Com as equipes médicas, reforço na higienização, novos sanitários, tudo isso foi feito para dar um conforto aos caminhoneiros para que executem seu trabalho e cheguem ao porto com uma colhida muito boa”, reiterou.

Rotina de trabalho

A rotina de trabalho nos portos foi alterada, como a liberação dos funcionários que possuem acima de 60 anos. “A operação continua de forma plena, mas alguns protocolos foram alterados, por exemplo, na saída e entrada dos trabalhadores portuários avulsos, há um novo protocolo de saúde e higienização, assim como na estrutura administrativa. Nós liberamos os  funcionários com mais de 60 anos e que estão nos grupos de risco, fizemos um rodízio de pessoas, tudo para diminuir a probabilidade de proliferação da Covid-19, sempre seguindo as orientações do órgãos de saúde”, ressaltou Garcia.

Crescimento de 21%

Em março, a movimentação de cargas pelos portos paranaenses foi 21% maior, comparada ao mesmo mês de 2019. Em 31 dias, os terminais paranaenses importaram e exportaram cerca de 5,2 milhões de toneladas.

“Estamos em um momento de pandemia e a operação portuária continua muito forte, o que é bom porque nós temos um momento econômico difícil, com o fechamento do comércio, mas a movimentação portuária crescendo, é um vértice da economia que permanece em pé com muita força. O mercado externo está proporcionando também essa vantagem competitiva para que os produtos brasileiros saiam daqui com destino a Ásia e Europa. Mais uma vez esse mês fechamos com mais de 20% de crescimento, o que demonstra a força em que pese todos os protocolos adotados, a dinâmica, eficiência e qualidade dos serviços continuam prevalecendo nos portos paranaenses”, comemorou Garcia.

O diretor-presidente reforçou que todas as medidas são seguidas à risca para manter a tranquilidade dos trabalhadores. “Nós sabemos da importância deles e, por isso, fazemos de tudo para proporcionar um ambiente seguro e saudável. A quantidade de insumos e EPIs também foi reforçada em prol de um trabalho tranquilo, mas eficiente como vem sendo feito e como comprovado nesse mês”, frisou Garcia.

Tripulantes estão impedidos de desembarcar

Através de uma portaria do Governo Federal, os tripulantes que chegam pelos portos estão impedidos de desembarcar, como forma de prevenção à Covid-19. “Estamos seguindo rigorosamente essa determinação. No começo havia uma liberação dessa descida em uma semana mudou esse entendimento e seguimos o recomendado, promovemos uma ordem de serviço e hoje nenhum tripulante tem autorização para sair, exceto em casos de saúde e isso tem sido cumprido de forma integral”, salientou Garcia.

Coalizão empresarial em prol da saúde

Os recursos destinados ao Hospital Regional do Litoral tiveram a contribuição das seguintes empresas, cooperativas e sindicatos:

Interalli/CBL, Tibagi, Gransol, Cargill, Bunge, Centrosul, Cotriguaçu e Cimbesul – Granéis sólidos para exportação;

Cattalini e Terin – Granéis líquidos;

Rocha, Fortesolo, Fertipar, Copadubo, Harbor, Mosaic – Importação de fertilizante;

Multitrans – Armazéns e transporte de fertilizante;

Rumo – Transporte ferroviário;

Marcon – Veículos, carga geral e granéis;

Klabin – Celulose e papel;

Pasa – Exportação de açúcar;

TCP – Contêineres;

Ogmo – Órgão Gestor de Mão de Obra;

Sindapar – Sindicato das Agências de Navegação Marítima do Paraná;

Cooperativas e Sindicatos de Transporte de Paranaguá;

Coopanexo – Cooperativa de Transportes de Cargas e Anexos;

Sindiadubos – Sindicato da Indústria e Adubos Corretivos;

Sindicam Paranaguá – Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens;

Sinprapar – Sindicato dos Práticos dos Portos e Terminais Marítimos do Paraná;

Sindop – Sindicato dos Operadores Portuários.

Martini Meat – Armazéns Gerais

Confira o vídeo: