Connect with us

Coronavírus

Paraná realizará reunião com embaixador da Rússia para tratar de vacina contra a Covid

Convênio pode ser assinado para desenvolvimento das doses no Estado (Foto: Rodrigo Félix Leal/AEN)

Publicado

em

O Governo do Paraná anunciou que estará em reunião técnica com a Embaixada da Rússia no Brasil, na quarta-feira, 12, para negociar um convênio para viabilizar a participação no desenvolvimento da vacina contra a Covid-19 no Estado. O encontro foi comunicado logo após a Rússia registrar a primeira vacina do mundo contra o novo Coronavírus.

Segundo a assessoria de comunicação do Governo do Paraná, só haverá assinatura após os termos do acordo de cooperação estarem ajustados.

“O Governo do Paraná informa que está em tratativas com a Embaixada da Rússia no Brasil para participar do desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19. Neste momento, as negociações ainda estão em andamento. Dentro deste processo, na quarta-feira haverá uma reunião técnica com o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov, e equipe. O encontro é para definir os termos de um possível acordo entre as partes, e será coordenado pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior”, informou, em nota, o Governo do Paraná.

O Estado ainda reforçou que o Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar) tem capacidade técnica para participar deste processo. O órgão já atua em parceria com a Fiocruz e o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP) na produção de testes moleculares para diagnóstico da Covid-19. Após o encontro, novas informações serão fornecidas.

O chefe da casa Civil, Guto Silva, já se reuniu com a embaixada da Rússia no Brasil no mês passado para tratar da cooperação técnica (Foto: AEN)


Recursos

No mês passado, o Governo do Paraná afirmou que já se antecipou para garantir recursos para a compra e distribuição no Estado da imunização, por meio de uma emenda ao Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2021. A intenção foi alocar R$ 100 milhões no caixa da Secretaria de Saúde para aquisição de vacinas contra o novo Coronavírus. De acordo com o governador Ratinho Júnior, o objetivo é evitar entraves burocráticos e dar agilidade ao Estado para adquirir as vacinas.

Vacina Sputnik V.

A vacina Sputnik V. foi anunciada pelo presidente Vladimir Putin, que garantiu que sua filha já tomou a dose. A vacina deve estar disponível, de acordo com ele, a partir de janeiro. O Ministério da Saúde russo deu a aprovação regulatória para o produto, desenvolvido pelo Instituto Gamaleya de Moscou, após menos de dois meses de iniciados os testes em humanos.

“Esta manhã foi registrada, pela primeira vez no mundo, uma vacina contra o novo Coronavírus”, disse Putin, durante reunião com membros do governo.

O presidente da Rússia afirmou que o produto é “eficaz” e superou todas as provas necessárias, além de permitir uma “imunidade estável” face à Covid-19. “Uma das minhas filhas tomou a vacina”, afirmou. “Dessa forma, ela participou da experiência. Depois da primeira vacinação, ela teve 38 graus de febre, no dia seguinte 37, e foi apenas isso”.

A Rússia espera agora poder iniciar a aplicação em massa, mesmo que estejam ocorrendo ainda testes clínicos para comprovar a segurança da vacina. As autoridades russas já tinham anunciado que os profissionais de saúde, professores e outros grupos de risco serão os primeiros a serem imunizados.

A vice-primeira-ministra da Rússia, Tatyana Golikova, disse que a vacina vai começar a ser administrada a profissionais de saúde, a partir de setembro, e que estará disponível ao público em geral a partir de 1.º de janeiro de 2021.

Com informações da AEN e Agência Brasil