conecte-se conosco

Coronavírus

Paraná é o segundo Estado do País com maior taxa de transmissão de Covid-19

Estado está com crescimento de casos desde o dia 5 de janeiro

Publicado

em

Foto: Nicolas Asfouri / AFP

Todos os estados brasileiros registram crescimento de casos com índice de contágio acima de 1,0

O Paraná está com uma taxa de transmissão do novo Coronavírus abaixo de 1,89, o que configura um crescimento no número de infectados pela doença em todo Estado. Este índice vem sendo registrado desde o dia 5 de janeiro deste ano pelo sistema Loft.Science, que calcula o Rt médio de todos os Estados e do Brasil, com base em um algoritmo desenvolvido pela empresa.

Com esse índice, o Paraná passa a ser o segundo Estado do País com a maior taxa de transmissão do vírus; em primeiro aparece o estado de Minas Gerais com 1,97.

Desde o dia 5 de janeiro, a taxa de transmissão (Rt) do novo Coronavírus no Paraná voltou a subir, projetando um crescimento no número de casos confirmados da doença. Nessa data, o índice de contágio estava em 1,06 no Estado.

Nesta terceira semana de 2022, o Paraná tem um índice de contágio em 1,89. O número significa que, atualmente, 100 infectados pelo vírus da Covid-19 contaminam, em média, 189 novas pessoas, algo visto apenas no pico da pandemia.

Para exemplificar os dados apresentados, além do informe epidemiológico da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), com os números da pandemia da Covid-19, as informações em relação ao avanço do contágio no Estado podem ser observadas através do sistema Loft.Science. “O indicador tem como objetivo estimar o nível de contágio pelo vírus em um território durante a pandemia. A contaminação está acelerada se a taxa está acima de 1, estável se é igual a 1 ou em queda se está menor que 1 – o único caso em que a situação epidêmica demonstra melhora. Quanto mais próximo de zero, menores as chances de contágio”, informou a Sesa.

Brasil

Dentre todos os Estados do Brasil, o Paraná tem a segunda maior taxa de transmissão da Covid-19 do País. Em primeiro lugar aparece o estado de Minas Gerais com taxa de 1,97. Todos os estados brasileiros registram uma acelerada no índice de contágio, aparecendo com o Rt acima de 1.

O sistema Loft.Science aponta que, desde o dia 1.º de outubro de 2021 o Paraná não registrava uma taxa de transmissão acelerada. Nesta data, o índice estava em 1,00. No dia 2 de  outubro de 2021 caiu para 0,99 e ficou em remissão até o dia 4 de janeiro de 2022, quando apresentou índice em 0,98. Hoje a taxa de reprodução do vírus está em 1,89.

Com o cenário em elevação neste mês de janeiro, a recomendação das autoridades de saúde é de manter a precaução e continuar seguindo protocolos de segurança e distanciamento social, sempre que possível. “O 6.º relatório de circulação de linhagens do vírus Sars-CoV-2, responsável pela Covid-19, do Instituto Carlos Chagas, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Paraná, confirmou a predominância da variante Ômicron no Estado”, relatou a Sesa.

“Quando tivemos a confirmação do primeiro caso, já falamos que existia transmissão comunitária da variante no Paraná, considerando a alta transmissão da doença nos primeiros dias de janeiro. A Ômicron tem essa característica de se espalhar mais fácil e se detectamos em mais da metade dessas amostras, certamente o número de casos é muito maior”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 está em 56% no Estado. A Secretaria Estadual de Saúde informou que a média de idade dos pacientes que morreram por consequência da Covid-19 é de 64,52 anos. De acordo com a secretaria, os homens são maioria entre as pessoas que morreram pela doença, com 23.450 óbitos (58% das mortes).

Em relação aos casos confirmados no Paraná, a média de idade dos pacientes infectados é de 39 anos, onde a maioria é de mulheres, com 910.182 casos, ou seja, 53%.