Connect with us

Coronavírus

Funcionária do HRL infectada por Covid-19 relata sua recuperação

Ela e mais sete pessoas estão recuperadas em Paranaguá

Publicado

em

No dia 3 de abril, a funcionária do Hospital Regional do Litoral (HRL), Franciele do Rosário Galdino, de 30 anos, recebeu o diagnóstico para Covid-19, um dos primeiros casos confirmados na região. Naquela data, o Brasil já apresentava muitos casos da doença, os órgãos estaduais e municipais incentivavam o isolamento social e o comércio não essencial estava fechado para evitar a aglomeração de pessoas. Franciele, então, desde que teve a suspeita de estar infectada pelo novo Coronavírus foi isolada de suas atividades e do contato com a família.

A profissional atua na coordenação de projetos na Direção do HRL e, após ser afastada, ficou em isolamento domiciliar do dia 31 de março até o dia 19 de abril. Franciele contou que teve o acompanhamento da Secretaria de Saúde e todos que tiveram contato com ela no Hospital fizeram o exame e negativaram para a doença.

Suspeita de dengue

Ela relatou quais foram os primeiros sintomas que sentiu e que precisou ser hospitalizada. “No último domingo do mês de março, comecei a sentir alguns sintomas e pensei que fosse dengue, por isso não fui trabalhar na segunda e, na terça-feira, quando já estava com febre, muita dor no corpo e na cabeça e boca amarga. Como já tive dengue na época que teve muitos casos em Paranaguá, eu pensei que fosse, pelos sintomas. Na noite de terça-feira, estava com muito cansaço, muita tosse e falta de ar. Fui diretamente ao Hospital, o médico pediu exames e na tomografia que fiz já veio sugestivo para Coronavírus”, lembrou.

Franciele precisou ficar internada até o dia seguinte, quando seu quadro já havia melhorado. “Na quarta-feira, a falta de ar diminuiu bastante devido aos medicamentos, o médico me liberou e pediu para que eu ficasse em casa, em isolamento total. Eu entendi, até porque tenho consciência disso em relação à transmissão a outras pessoas e fui liberada com os medicamentos. Coletei o exame na quarta-feira, cheguei em casa, me tranquei no quarto e esperei chegar o resultado, que chegou na sexta-feira (dia 3 de abril), dando positivo para o Coronavírus”, recordou.

Franciele permaneceu 18 dias em isolamento e precisou se afastar do filho João Vitor, de oito anos

Resultado positivo

Com a confirmação da doença, ela manteve o isolamento em sua casa. “Foi meio chocante, porque eu não achei que pudesse dar positivo. Coloquei o isolamento na cabeça, porque temos que trabalhar muito o psicológico, que teria que ficar no mínimo 14 dias trancada no quarto. Foi difícil essa parte porque fiquei longe do meu filho, de 8 anos. Os sintomas com o passar dos dias já cessaram e, no fim da primeira semana, eu tinha apenas tosse. Fiquei, no total, 18 dias dentro do quarto sem sair para absolutamente nada, nem para transitar dentro da minha casa, porque não queria que meu filho tivesse nenhum tipo de contato para não transmitir para ninguém”, contou Franciele.

Contágio

Um dos seus questionamentos após receber a confirmação para a Covid-19 foi a respeito da forma que foi infectada. “Não tive contato com ninguém de fora do País, nesse ano não sai de Paranaguá. Não faço ideia de onde eu possa ter contraído a doença. Estava tomando todos os cuidados possíveis e não sei de onde se originou isso”, afirmou Franciele.

Para aqueles que ainda têm desconfiança sobre os efeitos da doença, Franciele deixou um recado. “Nunca senti algo parecido. A transmissão existe, não é só uma gripezinha como algumas pessoas acham. Se cuidem e sigam as recomendações”, concluiu.