conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Paraná vai aplicar 4.ª dose contra a Covid-19 na população a partir de 50 anos

Imunizante adicional é uma maneira de conter casos mais graves da doença

Publicado

em

Foto: José Fernando Ogura / AEN

O Ministério da Saúde atendeu pedido do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, para a liberação da segunda dose de reforço (ou 4.ª dose) da vacina contra a Covid-19 para pessoas a partir de 50 anos, além de trabalhadores da saúde. A decisão foi formalizada por meio da publicação das Notas Técnicas N.º 36 e 37/2022.

O secretário de Estado da Saúde, César Neves, esteve em Brasília e solicitou a readequação da estratégia ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), considerando o aumento de casos de Coronavírus e de síndromes respiratórias.

“O parecer positivo do Ministério é de grande importância, sobretudo com o aumento recente de casos confirmados no Paraná. Como sempre reafirmamos, a vacinação é a principal ferramenta de combate ao vírus, daí a necessidade de ampliar sua oferta”, afirmou.

A aplicação da segunda dose de reforço do imunizante já está disponível a estes públicos e deve ser administrada respeitando um intervalo mínimo de quatro meses a partir do primeiro reforço (3.ª dose). A imunização é organizada pelos municípios. 

Segundo dados do sistema nacional, cerca de 4,3 milhões de paranaenses não tomaram a dose de reforço e 1,3 milhão deixaram de fazer a segunda dose convencional (D2). 

De acordo com o secretário, o imunizante adicional é uma maneira de expandir a proteção e conter casos mais graves da doença. “A dose extra é ideal para possibilitar uma camada maior de resistência contra o vírus. Embora este seja um período mais acentuado de confirmações de casos, é possível notar como a eficácia da vacina tem contido as complicações e agravamentos da Covid-19 em todo o Estado”, enfatizou.

DIA D

Programado para o próximo sábado, 11, o Dia D da vacinação vai reforçar a necessidade de continuação da imunização contra a Covid-19, além de outras doenças, para atualização da carteirinha da população em geral. De acordo com o secretário, a intensificação da campanha é fundamental para ampliar a cobertura vacinal no Estado.

“As pessoas que por algum motivo ainda não completaram seu calendário de vacinação devem comparecer a um posto de vacinação e receber o imunizante o quanto antes. Vacinar é a principal ação no combate à pandemia e é somente pela vacina que seremos capazes de superar esse vírus”, ressaltou César Neves.

Fonte: AEN