conecte-se conosco

Cidadania

Matinhense assume presidência do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Emanuelle Aguiar quer lutar por políticas públicas voltadas à realidade local

Publicado

em

Foto: Divulgação Sejuf

Neste mês, a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) empossou os 12 novos representantes do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Coede/PR) para o biênio 2022/2024. Os 24 membros do novo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (12 titulares e 12 suplentes) elegeram Emanuele Aguiar, de Matinhos, como presidente da nova gestão.

Natural de Matinhos, Emanuele representa a Apae de seu município, onde foi aluna e fez terapias quando criança. Ela é formada em Gestão de Recursos Humanos e cursa o último período do curso de Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e atua como pesquisadora da área da deficiência sobre direitos e sexualidade da mulher com deficiência. Para ela, a região precisava de um representante. 

“O litoral do Paraná tem um número muito grande de pessoas com deficiência, ter alguém que viva e conheça a realidade da região é de uma importância gigantesca. A vivencia de alguém que tenha uma deficiência e de seus familiares muda muito conforme o lugar que elas habitam”, frisou Emanuelle.

Emanuelle contou que atua na busca dos direitos da pessoa com deficiência desde 2012, quando começou a estudar a área devido a própria vivência e sua relação com o trabalho realizado pela Apae. “Minha relação com a Apae Matinhos começou lá em 1994 quando meus pais receberam meu diagnóstico de paralisia cerebral e foram buscar acompanhamento para as terapias que precisaria fazer na época. Anos depois, em 2012, eu voltei para trabalhar como voluntária na instituição. A Apae Matinhos e as pessoas que a fazem constitui a minha história”, disse a atual presidente do Coede/PR.

Participação popular

Segundo ela, o interesse em ser representante do Conselho surgiu na universidade, que a fez entender a importância das pessoas com deficiência ocupar os espaços de elaboração de políticas públicas.

“Os Conselhos têm essa finalidade, que é possibilitar a participação popular nas discussões, proposições, elaborações e auxílio na implementação e fiscalização das políticas públicas voltadas a assegurar o pleno exercício dos direitos das pessoas com deficiência, em todas as esferas da administração pública do Estado do Paraná. O que me motivou a candidatar-me junto com a Apae de Matinhos foi a confiança no trabalho da instituição na cidade e os anos que me dediquei a estudar essa área”, afirmou Emanuelle.

Escolha dos representantes

Para Emanuelle, as demandas principais das pessoas com deficiência é a garantia de direitos, políticas básicas e capacitação
Foto: Divulgação Sejuf

A escolha para composição dos representantes do Conselho foi através de votação on-line que aconteceu no dia 21 de março. “A Apae Matinhos, instituição a qual eu represento, obteve 146 votos, sendo a instituição mais votada. No dia 18 de abril, tivemos a posse e a eleição da mesa diretiva para o biêno 2022/2024 onde fui eleita presidente do Conselho para este período”, contou Emanuelle.

Demandas 

A presidente do Coede/PR lembrou que existem muitas demandas já em andamento pelo órgão e que o trabalho é dar continuidade as essas discussões. “Também queremos estar em constante diálogo com a comunidade que o órgão representa para que as ações sejam nas reais necessidades do grupo de pessoas com deficiência do Estado do Paraná, sem fantasias, trabalhando sempre com a realidade local”, ressaltou Emanuelle.

Sobre o Coede/PR

A também matinhense Ivonise Marques, assistente social, assumiu como suplente; e Quelen Silveira Coden, ficou como vice-presidente e Camila Scarante como secretária executiva.

O Coede é um órgão consultivo, deliberativo, fiscalizador e articulador das políticas públicas, que tem como objetivo principal assegurar os direitos da pessoa com deficiência. Compete a ele acompanhar o planejamento e a execução das políticas, programas setoriais e a implementação da Política Nacional para Integração desse público.