Connect with us

Valmir Gomes

PECADORES

Sim, no futebol não tem santo, se engana quem pensa que tem, desde os tempos do Leônidas da Silva, se ganha campeonato no campo e nos bastidores.

Publicado

em

Sim, no futebol não tem santo, se engana quem pensa que tem, desde os tempos do Leônidas da Silva, se ganha campeonato no campo e nos bastidores. Claro que a grande maioria sabe disso, tem gente muito boa que aprendeu o caminho das pedras depois de muitas derrotas sem explicação. O intróito é para dizer que em todos os segmentos existe a velha malandragem. Não imaginava, porém, que o fato se estendesse à religião. Agora se tornou público que tem pastor evangélico ligeiro, que dá nó em pingo d’água. Que tem médium espírita vagabundo, que abusa das fiéis; que tem padre malandro, que mistura doações com cafunés. Tem até pastora diabólica. São pessoas que usam a boa fé dos necessitados em benefício próprio. Uma religião, seja qual for, veio para ajudar os necessitados, espiritualmente e materialmente. Veio para fortalecer a palavra de Cristo. Os pecadores que se julgam donos da verdade, haverão de pagar por isto. Os fiéis que fazem da religião um ato de amor, carinho e solidariedade, continuarão seu caminho de luz e amor. Pois o bem sempre vence o mal.


RONALDINHO GAÚCHO LIVRE

Depois de alguns meses presos no Paraguai, o craque Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Assis foram soltos. Deixaram o Paraguai e foram direto para o Rio de Janeiro, onde certamente darão entrevista e seguirão suas vidas. Assis como empresário cuida da carreira do craque e irmão, nem sempre consegue sucesso, já luta contra a Justiça no Rio Grande do Sul há algum tempo. Sua credibilidade virou dúvidas. Enquanto o seu irmão Ronaldo Gaúcho, que foi mágico como atleta, vive na sombra dos negócios do Assis. Quem sabe agora as coisas mudem. Tomara que Ronaldinho dê um drible no Assis e continue sua vida em carreira solo.

REUNIÃO NOS COXAS

Fiquei sabendo que o ex-presidente do Coritiba, Dr. Giovani Gionedis, tomou uma atitude sensata e inteligente. Reuniu a portas fechadas os candidatos à presidência do clube nas próximas eleições. Renato Follador Junior, João Luiz Buffara Lopes e José Carlos Vialle, mais o atual presidente Samir Namur farão uma série de reuniões comandadas por Gionedis, buscando união e soluções aos graves problemas do clube. Imagino que toda roupa suja seja lavada nestas reuniões, que seus participantes sejam humildes o suficiente e competentes, na busca da melhor solução para o futuro do clube. O ato de Giovani Gionedis merece elogios, está buscando, através de um ato democrático, dias melhores para o seu clube. Resta saber se todos os envolvidos vão calçar as sandálias da humildade em benefício do Coritiba.

OS IRMÃOS DA RUA

Muitas vezes me pergunto, o que leva uma pessoa a largar a família e ir viver na rua. As respostas são várias, não existe apenas uma causa, existe uma cadeia de causas. Poderia ocupar páginas da nossa Folha do Litoral News buscando explicações. Agora com a pandemia causada pela Covid-19, o velho assunto vem à baila novamente. Nós todos somos frutos também dos nossos pensamentos, esta pandemia quase sem fim abala nosso sistema nervoso a ponto de muita gente tomar atitudes surpreendentes. Gente que nunca tomou Caipirinha está bebendo, gente que nunca leu um livro está lendo. São atitudes antagônicas, que ajudam ou atrapalham o nosso dia a dia. Os reflexos destas atitudes podem se tornar fatos bons ou ruins. A causa das atitudes, não sou a pessoa ideal para explicar, os doutores lhes explicam. Tem muita gente boa andando pela rua, dormindo na rua, comendo na rua, por causas diversas. São pessoas invisíveis à sociedade. Porém são seres humanos. Dar atenção a eles, torná-los visíveis é tão importante quanto a esmola que você dá. Seja amável, afinal somos todos irmãos.