conecte-se conosco

By Regina Lucia Corrêa

Festa em família

Em tempo de quarentena, predominam as festas em família, minimalista tipo “Pocket Party”, em que o importante é comemorar na intimidade do lar

Publicado

em

Em tempo de quarentena, predominam as festas em família, minimalista tipo “Pocket Party”, em que o importante é comemorar na intimidade do lar. E complementando 13 anos, as gêmeas Gabriela e Marcela ganharam festa super caprichada preparada com carinho por mamis poderosa Nayanna e endossada pelo pai Guilherme S. Oliveira. Aliás, os dois são profissionais super competentes na cidade: ela dentista e ele médico.

Deixando o ambiente enfeitado, houve muitas flores da floricultura ArtFlor, balões, além dos  doces produzidos pela Izabela Patittucci, e os salgados da Confeitaria Vovó Virgínia.

A graças das aniversariantes Gabriela e Marcela

Com certeza não poderia faltar a foto das gêmeas com a mãe Nay e pai Guilherme

A foto de família: os pais, as aniversariantes e as irmãs menores Rafaela e Daniela.

Super enfeitada a mesa das aniversariantes com muitas flores, balões e os comes e bebes próprios do evento

O simbolismo do beijo

Quem trabalha com casamento vibra pelo gesto afetuoso do beijo após o sim na união de um casal. E a uma semana do dia do beijo (dia 12 ) nós perguntamos: você já se questionou quando e como surgiu esse hábito?

Fomos pesquisar e descobrimos que alguns cientistas acreditam que a origem do beijo está no olfato. Durante muito tempo, cheirar o rosto da pessoa amada era um sinal de afeto e prazer. O roçar da boca passou a ser consequência dos atos de cheirar o rosto do parceiro, surgindo assim os primeiros beijos.

Outra teoria diz que o beijo surgiu a partir de uma experiência de afeto e atenção dos nossos antepassados: a alimentação. Os filhos recebiam dos pais a comida mastigada diretamente na boca. Este ato teria ficado registrado como um símbolo de carinho e amor. Independente da verdadeira origem, o hábito do beijo faz bem ao corpo, pois, além de aliviar o stress, exercita o músculo da face e pode queimar muitas calorias.

Mas apesar de todos esses benefícios, 10% do mundo não cultiva o hábito do beijo. Em partes do Sudão, por exemplo, pessoas não beijam porque acreditam que a boca é a janela da alma. Ou seja, através do beijo, elas poderiam ter suas almas roubadas. Os esquimós, por outro lado, não beijam por causa do frio. No continente Europeu, os Alemães e Suecos ocupam os primeiros lugares de posição na lista dos lugares onde menos se beijam.

Por fim, no Brasil, dependendo da região, ao se cumprimentar se dá um ou dois beijinhos, ou, como diz a sabedoria popular, “três para casar”, e os eternos namorados beijam muito. (Fontes Celebre eventos e Pinterest, foto divulgação)

Contato: 41 98505-99098 – E-mail: [email protected]

… para falar comigo use as redes sociais, o whats pelo 41 9805-9098 ou pelo e-mail [email protected]