Logotipo

Pets precisam de cuidados específicos durante o verão

10 de janeiro de 2019

Algumas raças podem sofrer mais com as altas temperaturas

Compartilhe

O calor pode prejudicar a saúde dos cães e é fundamental que os tutores estejam dispostos a ajudar os animais durante a estação mais quente do ano para oferecer mais bem-estar e evitar que fiquem doentes. A médica veterinária, Juliana Caroline Ávila Queiroz, esclareceu algumas dúvidas e forneceu várias dicas que vão diminuir o sofrimento dos animais nestes dias de altas temperaturas.

ALGUMAS RAÇAS SOFREM MAIS COM O CALOR

A médica veterinária afirmou que algumas raças sofrem mais com o calor que outras, o que exige atenção dos tutores.

“Infelizmente, algumas raças que são braquicefálicas, ou seja, aqueles que têm o crânio com formação de focinho curto, são raças que sofrem mais com o calor. Justamente porque a passagem do ar quente por dentro dos seios nasais é muito mais rápida e o corpo recebe o ar quente muito mais rápido que os cachorros de focinhos longos”, relatou Juliana.

Esses cachorros também têm frostidão da musculatura, que dificulta para fazer a termorregulação. Como resultado, aceleram a respiração e ficam mais ofegantes. Com essas características mencionadas pela profissional estão o Buldogue Inglês, Bulfogue Francês, Pugs e os American Bully, que mais sofrem com o calor. 

Como as raças citadas possuem pelo curto, contraria o que muitos pensam, de que os que possuem pelo longo sofram mais com as altas temperaturas. O que ocorre é que o corpo deles se adapta rapidamente e a troca de calor do corpo é feita pela língua e pelos coxins (almofadinhas localizadas na parte da sola das patas caninas). 

Sendo assim, não há a necessidade de tosar o animal em excesso.

“Os tutores costumam levar no banho e tosa e pedir para passar a maquininha, como nos Lhasas Apso, e isso estraga o pelo e pode causar dermatite. Portanto, é importante a gente lembrar que eles não transpiram pela pele”, enfatizou Juliana.

Ventiladores ajudam os pets a se refrescar

COMO CUIDAR DOS PETS NESTA ÉPOCA?

Para cuidar dos pets no verão é importante providenciar espaços mais ventilados e arejados. O ar-condicionado e o ventilador são grandes aliados dos cães de focinho curto e também daqueles mais idosos. “Próximo do ventilador pode colocar uma bacia com água e gelo para umidificar o ambiente e facilitar a respiração”, orientou Juliana.

PROBLEMAS DECORRENTES DO CALOR

A médica veterinária afirmou que no fim do ano de 2018, 70% dos problemas de saúde nos cães foram decorrentes de intoxicação alimentar, por ingestão de alimentos estragados.

“Além disso, 20% dos meus atendimentos de plantão de Natal e Ano-Novo foram decorrentes de estresse térmico, cães que ficaram longos períodos sem água entre outros. Os atendimentos em decorrência do calor têm sido maiores que os atropelamentos. Considero um número muito alto, que assusta e nos alerta para cuidar mais dos nossos pets”, concluiu Juliana.

A troca de calor do corpo nos cachorros é feita pela língua e pelos coxins (almofadinhas localizadas na parte da sola das patas caninas) e não pela pele

ALIMENTAÇÃO

A alimentação é fundamental para oferecer mais bem-estar aos pets. A veterinária deu algumas dicas de alimentos para aliviar o calor. “Água de coco, gelo de água de coco e água sempre gelada, colocar cubos de gelo na água ao longo do dia. Outra dica legal é oferecer sacolés, prepare frango cozido com maçã, sem sal e sem óleo, amasse com um garfo e congele em cubinhos. O alimento gelado, além de agir como anti-inflamatório, ajuda o corpo do animal a fazer a troca de calor, já que uma das formas é pela língua, se a gente entrega algo gelado, eles termorregulam mais rápido”, indicou Juliana.

Tanto os animais que fazem uso de alimentos de consumo humano, como aqueles que se alimentam somente com ração, precisam que a comida esteja fresca e somente seja oferecida no momento da alimentação.

“É uma época do ano que tudo fermenta mais rápido, as bactérias entram em contato mais rápido e não podemos deixar o alimento exposto por longos períodos”, salientou Juliana.

BANHOS MAIS FREQUENTES

Segundo a veterinária, a quantidade de banhos no verão depende da raça. As de pelo mais curto, o banho é liberado uma vez por semana no verão. As raças de pelo longo, os banhos também podem ser uma vez por semana, intercalando o uso de xampu a cada semana. As raças de grande porte, que saem mais de casa, podem tomar banho diariamente, desde que sem xampu.
 

Fotos: Ilustração.

Colunistas