Logotipo

Operação Verão já teve mais de 400 crianças perdidas

30 de janeiro de 2018

Pulseirinhas são distribuídas gratuitamente pelo Corpo de Bombeiros

Compartilhe

O Corpo de Bombeiros divulgou o último levantamento dos trabalhos realizados no litoral do Estado desde o início da Operação Verão. Entre eles está o número de crianças perdidas nas praias, 432 no total. Apesar da instrução de sempre manter as crianças ao alcance das mãos, depois de um pequeno momento de distração, elas podem se perder e então levar os pais ao desespero.

Seja no mar ou na areia, os pais devem permanecer sempre junto das crianças. De acordo com a oficial de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros, capitã Rafaela Diotalevi, o problema acontece sempre que os pequenos ficam brincando sozinhos na areia ou no mar. “Facilmente ela perde a noção da localização do guarda-sol e se perde, não conseguindo retornar até onde os responsáveis estão”, destacou a capitã.

Item facilita a localização da criança pela indicação do nome e telefone dos responsáveis

 

Felizmente, o tempo médio que os pais levam para encontrar os filhos é de cinco minutos, mas é suficiente para causar apreensão nos adultos. “Quando chegar à praia, os responsáveis devem procurar um posto de guarda-vidas, pegar e preencher corretamente a pulseirinha de identificação”, orientou a capitã.

A pulseirinha está à disposição do público em todos os postos de guarda-vidas. Se algum banhista avistar uma criança perdida, o mais indicado é levá-la até o posto de guarda-vidas mais próximo ou até a Polícia Militar para que os pais sejam localizados.

 

ATENÇÃO A TEMPESTADES

As tempestades têm sido frequentes no litoral do Paraná. Segundo a Comunicação Social do Corpo de Bombeiros, períodos de instabilidade exigem mais cuidado dos banhistas. “Em caso de mau tempo fique atento, tempo chuvoso e banho de mar não combinam. A chuva pode ser acompanhada por raios e nesse caso o banhista estará vulnerável em qualquer ponto da praia. Nesta situação é necessário sair imediatamente da água e também da areia, procurar abrigo em um local coberto e seguro”, orientam os bombeiros.

Se forem observadas condições climáticas desfavoráveis, o guarda-vidas colocará a bandeira “dupla vermelha”, que significa praia interditada. “Fique atento às sinalizações colocadas pelo Corpo de Bombeiros”, salientou em nota.

 

MAIS DE MIL SALVAMENTOS

De 21 de dezembro de 2017 a 29 de janeiro de 2018, foram contabilizadas 52.370 orientações, 27.221 advertências e 1.006 queimaduras causadas por água-viva. Entre os incidentes com banhistas, foram 1.023 salvamentos e quatro óbitos.

Neste fim de semana, o Corpo de Bombeiros computou o milésimo salvamento desta temporada e deixou um recado para evitar tais incidentes. “Orientamos os banhistas a procurarem um posto de guarda-vidas e entrarem no mar em frente ao local. Estar sempre atento à sinalização”, reiterou em nota.
 

Fotos: Corpo de Bombeiros

 







Colunistas