Logotipo

Férias no litoral do Paraná: O que fazer em Morretes?

29 de janeiro de 2020

Parque Estadual abriga o Pico Marumbi, também conhecido como Olimpo, com 1.539 metros, ponto preferido para a prática do montanhismo. Foto: Divulgação IAP

Compartilhe

A cidade de Morretes, no litoral do Paraná, é bastante conhecida pela sua gastronomia, muito em virtude do Barreado, comida típica que já conquistou turistas de todo o mundo. No entanto, o município não está restrito a este atrativo, há diversos pontos turísticos que podem ser desbravados.

Um dos principais é a Estação Ferroviária, datada de 1885, o antigo prédio deu lugar a uma estação com características modernas que possui lanchonetes, sanitários e barracas com produtos artesanais. Dela tem-se uma bonita vista das montanhas da Serra do Mar. A Estação está localizada na Rua Padre Saviniano, 768, Centro, na Praça Rocha Pombo.

Ainda entre os mais tradicionais, está o Rio Nhundiaquara, que permite a prática de canoagem, boia cross e pescarias. Como atrações destaca-se a Ponte Velha, sobre o rio no centro da cidade, considerada uma obra de arte com portais rebuscados.

A Rua das Flores, calçadão às margens do Rio Nhundiaquara, tem casarios históricos como a casa onde pernoitou D. Pedro II, o Marco Zero, chafariz, coretos, restaurantes e o primeiro telégrafo da cidade.

No Santuário Nhundiaquara há um complexo de lazer e turismo, cercado de rica fauna e flora da Mata Atlântica. Por lá, os turistas encontram cachoeira, cascatas e trilhas. Além do Eco Park, uma área coberta de mil m², com restaurante, pousada, espaço para eventos e estacionamento. Localiza-se na Estrada das Prainhas, km 2, Porto de Cima.

Aventura

Para os aventureiros, o Salto dos Macacos cai de uma altura de 70 metros, formando uma piscina natural. Para conhecer de perto a beleza cênica do lugar, é preciso acessar um dos dois caminhos: por ferrovia, desembarcando na Estação do Marumbi, ou via Porto de Cima, pela Estrada das Prainhas.

O Morro do Sete é uma porção oriental do Conjunto Marumbi de, aproximadamente, 1.450 metros, de difícil acesso (cerca de cinco horas de subida). O acesso se dá pela Estrada da Graciosa e é propício para montanhistas, com visão de grande parte da planície litorânea.

Parques

O Parque Estadual do Pau Oco foi criado em 1994 com o objetivo de proteger mais de 900 hectares remanescentes da Floresta Atlântica. Lá, estão localizadas cachoeiras como o Salto da Fortuna, com 40 metros de queda, que forma em sua base uma grande piscina natural. Além do Caminho Colonial e uma antiga capela.

Há ainda o Parque Estadual Pico do Marumbi em Morretes, que abriga o Pico Marumbi, também conhecido como Olimpo, com 1.539 metros, é o ponto preferido para a prática do montanhismo. O local também possui uma cascata com queda d’água quase vertical de cerca de 50 metros.

Morretes tem uma unidade de conservação (UC), o Parque Nacional Saint Hilaire / Lange foi a primeira UC do País a ser criada pelo Poder Legislativo Federal. O nome é uma homenagem ao naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire, que percorreu o Brasil no século XIX, e ao biólogo e ambientalista paranaense Roberto Ribas Lange.

Foto: Divulgação Ekoa Park

O Ekôa Park é aberto ao público para “day use” aos sábados, domingos e feriados, das 9h às17h. O espaço oferece um contato privilegiado com a mata, práticas ecológicas, aventura, oficinas e outras atividades de lazer e entretenimento. É um local onde crianças e adultos podem descobrir alguns segredos da região, se surpreender com as maravilhas escondidas na floresta e ter a oportunidade de viver experiências reais de reconexão com a natureza.

Igrejas

A parte histórica da cidade concentra três igrejas. A de São Sebastião do Porto de Cima foi construída na primeira metade do século XIX e inaugurada em 1850. Tem arquitetura externa com características coloniais e está tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná.

A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Porto foi inaugurada em 1850, possui em seu interior uma Via-Sacra a óleo executada pelo famoso pintor morretense Theodoro de Bona. Em frente à igreja está instalado um sino, vindo de Portugal, com o brasão do Império, fundido no ano de 1854, além de uma cruz que data da passagem do século e um relógio em sua torre que funciona desde a fundação da igreja.

A Igreja de São Benedito está localizada na confluência das Ruas Conselheiro Sinimbu e Fernando Amaro. Com estilo colonial, seus dados históricos são controversos. Seu acervo artístico e histórico permanece bem conservado, além de ser tombada pelo Patrimônio Histórico do Paraná.

 


Colunistas