Logotipo

Detran Paraná envia projeto para beneficiar motoristas profissionais

07 de março de 2018

Intenção é que motoristas com habilitação nas categorias A e B façam curso preventivo de reciclagem e não fiquem com a CNH suspensa (Foto: Divulgação)

Compartilhe

Objetivo é evitar que trabalhadores tenham atividades prejudicadas com habilitação suspensa

O diretor-geral do Departamento de Trânsito do Paraná, Marcos Traad, encaminhou para o Congresso Federal um projeto de lei que permite que motoristas profissionais, com habilitação nas categorias A e B, façam curso preventivo de reciclagem e, assim, não fiquem com a CNH suspensa. O pedido segue o que já é válido para condutores de caminhões, ônibus e outros veículos pesados.

“O Paraná foi o segundo Estado brasileiro a disponibilizar o curso de reciclagem preventivo para as categorias C, D e E, em novembro do ano passado. Desde então, nos preocupamos em equiparar a condição aos motoristas de carros e motos, que também são profissionais e precisam da habilitação para o sustento da família”, conta o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

Segundo ele, a intenção é evitar que os trabalhadores tenham as atividades profissionais prejudicadas ao ter a habilitação suspensa. Isso porque o prazo mínimo de suspensão aumentou para seis meses, em novembro de 2016.

“É economicamente inviável para um motorista profissional ficar tanto tempo sem poder trabalhar. Por isso, achamos que a Lei deve atender também às demais categorias e ser estendida aos motofretistas, mototaxistas, taxistas, motoristas de aplicativos e demais profissionais”, completa Traad.

RESPEITO

O pedido do Detran atende ainda uma solicitação do Sindicato dos Proprietários de Centro de Formação de Condutores do Paraná. A proposta abrange motoristas cuja CNH possua a indicação EAR, e que somem entre 14 e 19 pontos em infrações na habilitação, no período de um ano.

“A ideia é seguir as mesmas regras que o Departamento Nacional de Trânsito estabeleceu para os profissionais das categorias C, D e E. O pedido do Paraná soluciona um problema de isonomia, já que todos os motoristas profissionais deveriam ter a mesma possibilidade”, defende o presidente do sindicato, Justino da Fonseca.

Como se trata de uma alteração na Lei de Trânsito brasileira,  o projeto de Lei Ordinária do Detran Paraná foi enviado à Câmara dos Deputados aos cuidados do deputado Federal Osmar Serraglio.

“Vamos levar a proposta para a Câmara dos Deputados, pedindo a equiparação dos direitos nestes casos, uma vez que estes motoristas também desempenham as atividades de condução veicular de maneira profissional”, adianta Serraglio.

Da Assessoria do Detran Paraná
 

 

Colunistas