Logotipo

Paranaguá registra sete homicídios em agosto de 2019

30 de agosto de 2019

Desde o início de 2019, bem como nos últimos anos, um dos crimes mais cometidos na Cidade-Mãe do Paraná é o de assassinato (Foto: Divulgação)

Compartilhe

Durante os oito meses do ano, 36 assassinatos foram registrados na cidade

A editoria jornalística de Polícia da Folha do Litoral News é atualizada diariamente de acordo com as ocorrências policiais registradas na cidade. Desde o início de 2019, bem como nos últimos anos, um dos crimes mais cometidos na Cidade-Mãe do Paraná é o de assassinato. Somente em agosto de 2019, de acordo com ocorrências apuradas pelas autoridades, foram registrados sete homicídios, com destaque para o “assassinato do parquinho”, ocorrido na Praça dos Leões, no dia 10 de agosto.

MORTE CRUEL E CORPO ENCONTRADO NO EMBOCUÍ

Seguindo a linha temporal, a primeira morte violenta foi registrada no dia 10 de agosto, durante a manhã, quando o corpo de Julio Cezar Ferreira da Silva, de 28 anos, desaparecido desde o dia 24 de julho, foi encontrado na Estrada do Embocuí em um lago. Com requintes de crueldade, o rapaz estava  amarrado, com várias perfurações pelo corpo e um cano de PVC introduzido em seu abdômen. Um automóvel Audi, encontrado no dia 11 de agosto na Estrada de Alexandra, pela Polícia Federal, e que estava com Julio, um dia antes, pode ajudar a polícia na investigação do caso, já que dentro do veículo foram encontradas malas de viagem com 285 quilos de cocaína. As polícias Federal e Civil seguem investigando o caso e procurando os autores.

MORTE NO PLAYGROUND DA PRAÇA DOS LEÕES 

Também no dia 10 de agosto, durante a noite, Gabriel de Souza Alves, de 24 anos, morador na Ilha dos Valadares, que estava acompanhado pela esposa no playground da Praça dos Leões, no Centro Histórico, foi esfaqueado na barriga por Leandro Julião Alves, de 28 anos, que também estava com a esposa e o filho no parquinho. A vítima chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e encaminhada para o Hospital Regional do Litoral (HRL), mas não resistiu ao grave ferimento e veio a óbito na madrugada de domingo, 11. Este foi o segundo homicídio ocorrido no mês de agosto. Leandro Alves foi preso no dia 16 de agosto e segue na Cadeia Pública de Paranaguá.

ASSASSINATO NA ILHA DOS VALADARES

Na tarde do dia 14 de agosto, Gustavo Galdino de Souza, de 28 anos, foi atingido por um disparo de arma de fogo na cabeça efetuado por Daniel Ferreira Martins,  de 26 anos. A situação aconteceu no quintal da casa de Gustavo, na Rua 42, no “Beco do Pingo”, na Ilha dos Valadares, e foi atendida pela Guarda Civil Municipal. A vítima foi encaminhada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) ao Hospital Regional do Litoral (HRL), porém não resistiu aos ferimentos graves e faleceu horas depois na casa hospitalar. O autor do crime foi preso no dia 22 de agosto. Esse foi o 3.º homicídio contabilizado em agosto.

HOMICÍDIO NO LABRA

No dia 22 de agosto, Fabrício de Carvalho Silva, de 19 anos, foi morto com pelo menos três disparos de arma de fogo, na frente da casa onde morava com a família, na Rua Arsênio Bento dos Santos, no bairro Labra. Autoridades foram acionadas por volta da 22h40, porém encontraram o rapaz já sem vida. 

De acordo com familiares da vítima, um desentendimento com vizinhos pode ter sido o motivo do crime. Informações apuradas pela Polícia Militar no local onde o homicídio aconteceu apontam que dois indivíduos, em bicicletas, seriam os autores dos disparos. A dupla fugiu logo em seguida e segue foragida.

Último assassinato registrado foi na terça-feira, 27, quando Jean Cabral foi morto a tiros em frente a sua casa na Vila Paranaguá

DUAS MORTES VIOLENTAS NA MESMA MADRUGADA

Carlos Alberto do Rosário Santos, de 35 anos, foi assassinado com vários disparos de arma de fogo, por volta da 1h25 da madrugada do dia 25 de agosto, na localidade conhecida como “Beco do Rato”, no bairro Labra. Ele estaria em um bar momentos antes de ser assinado. O motivo, segundo sua esposa, teria sido uma discussão com uma vizinha. Foi a 5.ª morte contabilizada em agosto.

Na mesma madrugada, por volta das 4h, equipes da Polícia Militar e SAMU foram acionadas em um bar, para atender uma ocorrência de disparos de arma de fogo. A situação aconteceu na Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto, próximo ao Aeroparque. No local, Amaury Pacheco, de 46 anos, foi encontrado baleado no abdômen, dentro do estabelecimento, em estado grave e encaminhado ao HRL, onde acabou morrendo horas depois. Ele teria se envolvido em uma discussão com um homem branco, careca e vestindo uma camisa xadrez, cor preta, ele teria sacado um revólver calibre .38, e atirado duas vezes contra a vítima.

No meio da confusão, um segurança do bar conseguiu identificar o atirador e tentou detê-lo, entrando em luta corporal com o suspeito. O segurança pegou a arma usada no crime, mas não conseguiu segurar o homem, que fugiu em um carro. O revólver calibre .38 estava com duas munições deflagradas e três intactas. A arma foi entregue na delegacia da Polícia Civil, onde o segurança foi ouvido. Esta foi a 6.ª morte violenta contabilizada em agosto. Os dois autores do crime na madrugada do dia 25 seguem foragidos.

MORTO A TIROS NA VILA PARANAGUÁ

Jean de Souza Cabral, de 32 anos, foi executado a tiros, em frente a sua casa, na via marginal à Avenida Ayrton Senna da Silva, ao lado do viaduto Manfredo Cominese, na Vila Paranaguá, no começo da noite de terça-feira, 27, por volta das 20h. Ele entrou para a estatística sangrenta como 7.ª morte registrada em Paranaguá neste mês. 

De acordo com familiares, Jean tinha acabado de estacionar o carro na calçada, na frente do sobrado onde morava e, logo que desceu, foi abordado por um homem que ocupava uma motocicleta. O indivíduo sacou uma pistola e atirou pelo menos 10 vezes na direção de Jean, que morreu no local. Após trabalho de criminalística e relato de familiares, ficou constatado que a vítima não tinha passagens pela polícia nem sofrido ameaças.

Ainda de acordo com testemunhas, o atirador estava esperando Jean chegar e, logo que efetuou os disparos, fugiu. A motocicleta “barulhenta” usada pelo assassino não foi encontrada pelos policiais, que fizeram buscas pela região. Uma equipe da Polícia Civil esteve no local e começou a investigação.

36.º HOMICÍDIO REGISTRADO EM 2019

A morte de Jean de Souza Cabral, de 32 anos, foi o 36.º homicídio registrado em Paranaguá este ano. No litoral, são 63 casos.


Colunistas