Logotipo

Centenas de pessoas participam de manifestação contra a violência e pela paz em Paranaguá

12 de maio de 2018

Organizadoras, lideranças religiosas e população fizeram caminhada pacífica com cartazes e faixas

Compartilhe

Na noite de quinta-feira, 10, aconteceu em Paranaguá uma manifestação pacífica e apartidária em prol da segurança no município, organizada nas redes sociais, com presença de mais de 300 pessoas, muitas delas vítimas de assaltos e ocorrências violentas em Paranaguá. Em uma caminhada que saiu da Praça Portugal, com presença de diversos cidadãos, de movimentos apartidários, igrejas, empresas e setores do transporte, os manifestantes encerraram o percurso em frente à Câmara de Vereadores. Segundo as organizadoras, Cíntia Cordeiro e Patrícia Ferreira Camilo, o objetivo é pedir aos órgãos públicos reforços e investimentos em prol da segurança pública em Paranaguá, tendo em vista os altos índices de violência registrados em 2018. 

Faixas e cartazes pediram mais paz no município


A manifestação foi totalmente apartidária, com pessoas vestindo branco, andando pacificamente pelas ruas com cartazes e faixas para demonstrar o pedido coletivo por mais paz e menos violência. Um caminhão de som puxou a caminhada, com a presença do Irmão Jorge Tarachuque, missionário redentorista e responsável pela administração do Santuário do Rocio, e do Pastor Nivaldo Cavallari da 1.ª Igreja Batista de Paranaguá, entre outras lideranças sociais e religiosas. 
“Fiquei muito feliz de ver várias pessoas na manifestação, dando esta força, este apoio, com grande apoio de movimentos, caminhoneiros e empresas de Paranaguá. É a primeira caminhada de muitas. Estou muito feliz com o resultado, porque corremos muito atrás para que isto acontecesse”, destaca uma das organizadoras da mobilização, Cíntia Cordeiro. O protesto contou com grande participação popular.
“Infelizmente muita gente não veio, muitas que ficam no celular, no Facebook, reclamando, mas a gente nunca vai conseguir nada sentado em casa. As coisas são obtidas reivindicando nossos direitos nas ruas, se mobilizando, é aí que a gente consegue”, complementa, agradecendo o trabalho de todos os organizadores. “Mais manifestações irão ocorrer para que Paranaguá possa mudar”, destaca. De acordo com a organizadora Patrícia Ferreira Camilo, a presença maciça das pessoas foi muito importante. “O nosso pedido é por socorro, por mais segurança já”, acrescenta.

Centenas de pessoas protestaram contra a violência nas ruas de Paranaguá


LIDERANÇAS RELIGIOSAS APROVAM MANIFESTAÇÃO 

“A nossa cidade e todo o Brasil estão sofrendo muito com a violência, a qual possui raiz dentro das questões sociais, da desigualdade, da ausência de políticas públicas que atendam às necessidades mais elementares da população, de moradia, de saúde, de inclusão”, destaca o Irmão Jorge Tarachuque, missionário redentorista e responsável pela administração do Santuário do Rocio, ressaltando a necessidade do amor e da paz, e não da vingança, em prol de uma sociedade mais pacífica. “A mudança começa no coração de cada ser humano, transformando o ódio em amor. Temos que trabalhar a proposta de Jesus Cristo de transformar o coração. Viver em sociedade não é viver para si próprio, é viver em conjunto, se relacionar com os diferentes e promover a paz, a ética e a solidariedade”, completa.
Segundo o Pastor Nivaldo Cavallari, da 1.ª Igreja Batista de Paranaguá, o protesto foi um momento especial para Paranaguá em virtude da união em prol da paz. “Estamos preocupados com o momento em que vivemos. Não é apenas a questão de Paranaguá, é no Brasil todo. Como parnanguaras, estamos manifestando nossa indignação com o aumento gradativo da violência. É o momento de abrir os olhos e alertar as autoridades sobre o que está acontecendo. O parnanguara hoje tem medo de sair de casa”, comenta. “Estamos dizendo às autoridades que precisamos de paz. Na Bíblia se demonstra que a violência não é só produto social, é algo envolvendo a falta de Deus no coração do homem”, finaliza Cavallari. 

Colunistas