Logotipo

Missa Solene marca 10 anos de reabertura da Igreja da Ordem

12 de março de 2019

Reitor do Santuário de São Francisco das Chagas, Padre André Luís, presidiu a celebração da Eucaristia.

Compartilhe

Em cerimônia cívico-religiosa realizada no dia 11 de março de 2009, a Diocese de Paranaguá recebia de volta as chaves da Igreja de São Francisco das Chagas, conhecida como Igreja da Ordem, que foi elevada à categoria de Santuário no dia 9 de março de 2014. 

Para celebrar a data, aconteceu na manhã de domingo, 10, uma Missa Solene de Ação de Graças, alusiva aos 10 anos da retomada das atividades religiosas do templo.

O reitor do Santuário de São Francisco das Chagas, padre Dr. André Luís Buchmann de Andrade, falou sobre a edificação e sua importância como um Santuário. “Na segunda-feira, 11, é o dia próprio em que completaram-se os 10 anos de reabertura da Igreja de São Francisco das Chagas. O templo é uma Igreja histórica sendo uma das mais antigas do Paraná, ou a mais antiga, se olharmos pelo ponto de vista de que ela nunca foi demolida. O início da construção foi em 1770, e o final 1784, então é a mais antiga do Paraná, porque outros locais são mais antigos, mas o prédio é mais atual, como é o caso da nossa Catedral que o prédio é de 1850. Mas a reabertura da Igreja da Ordem era um anseio da população, pois ficou aproximadamente entre 49 e 50 anos fechada. Mas graças a Deus foi reaberta em 2009, com uma grande participação da população parnanguara e autoridades municipais e estaduais”, destaca o Reitor, enfatizando que o Centro Histórico é um lugar nobre. “Já não são muitas famílias que moram no Centro Histórico, as residências deram lugar às lojas, escritórios, bancos, cartórios, então temos poucas pessoas que moram nas imediações da igreja. Por essa razão, é algo notável que a Igreja de São Francisco continue funcionando. É sinal de que a Igreja é muito querida e o padroeiro São Francisco de Assis, aqui chamado de São Francisco das Chagas, também é um santo popular e querido, e por isso as pessoas buscam esta igreja”, completa.

Em virtude desta particularidade, os horários das celebrações e atividades são apropriados com o centro da cidade. “Um exemplo são as missas durante a semana, de segunda à sexta-feira, a missa é celebrada ao meio-dia, para facilitar para quem está em sua hora de almoço, alguém que vem resolver algo no centro pode participar da celebração. A nossa Igreja também é um lugar da busca do sacramento da confissão, porque todos os dias o padre está no confessionário. Também é um lugar de adoração ao Santíssimo Sacramento, sendo que muitas pessoas se dirigem ao santuário para fazer a adoração, e estamos precisando de pessoas que dediquem apenas uma hora por mês para fazer a adoração ao Santíssimo. Uma Igreja de Adoração é um para-raios em uma cidade, podemos obter bênçãos, livrarmos de tantos perigos e agradecer benefícios que recebemos de Deus”, enfatiza o religioso.

Desde que retornou à Diocese de Paranaguá, a Igreja da Ordem tem passado por grandes transformações como o conserto das irregularidades das paredes, tanto as internas, quanto as externas, a confecção dos bancos, portas e janelas, do assoalho, dentre outras tantas obras e arrumações, todas coordenadas pelo reitor padre Dr. André Luís, que não se cansa de dizer que só está conseguindo realizar o trabalho frente à Igreja graças ao apoio que recebe da comunidade parnanguara. “Nós agradecemos na Missa de Ação de Graças a Deus, que proporcionou a reabertura da igreja, e ao povo parnanguara, que possibilita a continuidade das ações religiosas e sociais feitas pelo Santuário de São Francisco. E o santuário é isso, uma igreja que deve sempre estar à disposição da população para os serviços espirituais, para o trabalho pastoral e para a procura de Deus. Hoje em dia há tanta sede de Deus e temos que dar graças a Ele por ter concedido a reabertura deste santuário”, finaliza o reitor.

 

Colunistas