Logotipo

08 de fevereiro de 2019

Redução de homicídios não reduz a sensação de insegurança

A melhora dos índices de homicídios no comparativo de janeiro de 2018 e janeiro de 2019 em Paranaguá cabe à análise sob diversos aspectos.

Com queda de oito para quatro casos no mês de janeiro dos respectivos anos, no município, vale destacar que a sensação de insegurança no litoral não foi reduzida. Ela é a mesma e cada vez mais frequente. Ou seja, os dados não necessariamente coincidem com o que sente a população brasileira, bastante alarmada pelos fatos noticiados na mídia, que vão de furtos, roubos a assaltos, e homicídios, em geral.

É fato que, no ano passado, o número de homicídios, em grande parte fortemente ligado ao tráfico de drogas, foi assustador em vista dos índices verificados pela Secretaria de Segurança e Administração Penitenciária (Sesp) do Paraná, em 2017.

O aumento chamou a atenção dos órgãos de segurança e também da população, que se viu amedrontada. A cada semana que se passava, um novo caso virava notícia nas páginas policiais e aumentava a sensação de vulnerabilidade a essas situações.

Por isso, que, apesar desta queda constatada no mês de janeiro, ainda falta muito para que os cidadãos tenham garantida a qualidade de vida que cada um possui por direito e cidadania.

Estabelecimentos comerciais continuam registrando assaltos continuamente, assim como roubos de celulares e golpes que são aplicados constantemente no litoral. Por essas e tantas outras razões é que Paranaguá está longe de ser considerada um local seguro, nos últimos anos.

Além disso, não entraram nesta estatística os casos de feminicídio, os quais ocorreram no litoral durante a Operação Verão. Desde o dia 21 de dezembro, duas mulheres foram assassinadas pelos seus companheiros e entraram neste triste índice de crueldade que aumenta a cada ano no País a um ritmo acelerado e discrepante com a quantidade de informações que circulam sobre o assunto.

Outro ponto que merece reflexão é sobre o porte de armas por pessoas não capacitadas. Uma análise de dados federais sobre homicídios mostra que as taxas de assassinatos se devem quase que totalmente a homicídios por armas de fogo.

E isso se comprova aos casos constatados em janeiro em Paranaguá, dos quatro registrados, três vidas foram tiradas após disparos de arma de fogo.

A Folha do Litoral News continuará fazendo o seu papel de difundir a informação no que tange aos homicídios com a responsabilidade que sempre teve para informar os seus leitores e propor a discussão da segurança pública no município, de forma a contribuir com uma reflexão para que os índices da violência diminuam e a liberdade de ir e vir de cada cidadão seja, finalmente, assegurada com dignidade.

Compartilhe

Colunistas