Logotipo

Presidente do PV Paraná diz que chegou a vez de Paranaguá eleger seus representantes

01 de feveiro de 2018

Dirigente partidário vê possibilidade de eleger representantes à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal 

Compartilhe

O presidente estadual do Partido Verde do Paraná e membro da executiva nacional, Francisco Caetano Martin, o Chico do PV, esteve cumprindo agenda no litoral, na terça-feira, 30, onde visitou as cidades de Morretes e Paranaguá.

Em Paranaguá, Chico esteve com o presidente do Diretório Municipal de Paranaguá e secretário Estadual da Juventude do Partido Verde (PV), Bryan Roque, e com o vice-presidente e membro da executiva estadual, Raphael Rolim de Moura, trazendo as novidades do partido para este ano de eleições.

“Estive conversando com os dirigentes de Paranaguá e aproveitei para dar um abraço no prefeito Marcelo Roque, que vem fazendo um excelente trabalho, mantendo índices de aprovação de 68%. Uma situação de crise política institucional, onde nos mais de 5.500 municípios do País, os prefeitos em sua grande maioria mantêm uma aprovação em torno de 30%. Isso mostra que, além do trabalho e prestígio que tem, há uma equipe boa e é perceptível ver que está fazendo o melhor por Paranaguá, e está se empenhando muito. Quem conhece o Marcelo sabe que ele é incansável e trabalha muito”, destaca o presidente.

PV NA POLÍTICA

Sobre a política, Chico do PV enfatiza que o Partido Verde notabilizou-se por eleger deputados estaduais e federais com uma votação menor que outras alianças e partidos. “Sou dirigente do PV do Paraná desde 2002, e em abril de 2005 iniciei a coordenação do partido nas eleições estaduais, e de lá para cá, estamos elegendo deputados estaduais e federais com votações menores que outras legendas. Um grande exemplo foi a deputada Rosane Ferreira, que se elegeu com 18 mil votos. Saímos com uma chapa completa e o Acyoli ficou suplente com 14 mil votos. Em 2010, novamente tivemos candidaturas pelo PV, quando lançamos 70 candidatos a estadual e 30 a federal, naquela ocasião, a Rosane disputou uma cadeira na Câmara Federal e se elegeu com 47 mil votos. Foi a segunda deputada federal menos votada naquela eleição no Paraná, a última cadeira foi preenchida com 35 mil votos. Mas estadual elegemos dois, que foi o Rasca, eleito com os mesmos 18 mil  votos que elegeu a Rosane em 2006. Mais uma vez funcionou o efeito proporcional, de montarmos a chapa do PV sempre priorizando as candidaturas de deputados estaduais e federais. Em 2014, elegemos o deputado Rasca com 23 mil votos, e foi o segundo menos votado, e quem passou de 35 mil votos para federal se elegeu, que foi o caso da Leandre, embora ela tenha feito 81 mil votos, e quando ela passou a marca de 35 mil votos já estava eleita. De uma maneira que o Partido Verde apresentou mais uma vez as melhores condições para eleger deputados estaduais e federais”, relata Chico, enfatizando que fez esta explanação porque acredita no potencial que Paranaguá e região têm de eleger representantes pela sigla.

“Chegou a vez do litoral aproveitar estas oportunidades que o Partido Verde apresenta. Sabemos que vem muita gente de fora tirar os votos daqui, mas o litoral tem chance de eleger deputado estadual e federal em uma chapa que o Partido Verde está montando, e deixo este alerta aqui e o meu recado às personalidades políticas locais e da região, que a possibilidade de eleger pelo PV é muito boa”, destaca o presidente, enfatizando que os números dos eleitos pelo Partido Verde são muito próximos da votação que os candidatos de Paranaguá têm alcançado nas últimas eleições. 

PREFEITO MARCELO ROQUE

O prefeito Marcelo Roque agradeceu a visita do presidente do PV. “Tenho um carinho imenso pelo Partido Verde, pelo qual disputei algumas eleições. A política tem muito disso, tenho uma linha, um direcionamento, e hoje estou no Podemos, com o Senador Alvaro Dias, que também esteve fazendo seu trabalho no PV, mas nunca deixei de estar perto do PV, e aqui temos o Bryan, meu filho, que é o presidente da sigla em Paranaguá. Participamos da última eleição, e o partido está muito bem estruturado. Mas o que o presidente falou é muito importante, eu preciso ter um representante na Assembleia Legislativa do Estado e um representante na Câmara Federal. Precisamos ter força para que as verbas venham para Paranaguá. Tenho trabalhado muito porque não tenho este apoio, e tenho que correr atrás junto ao Governo do Estado e Federal. Graças a Deus posso contar com o apoio do Alvaro Dias a nível nacional, mas no Estado não temos um representante, o que é muito importante para brigar pela cidade e trazer as verbas. Mesmo estando em outro partido vejo com bons olhos esta possibilidade local de sair por uma legenda que dá uma vantagem com poucos votos. Sabemos que aqui saem muitos candidatos, muitos só para marcar seu nome para uma eleição seja para Câmara Municipal ou para Prefeitura, e tem dados que mostram que candidatos que saíram para deputado não conseguiram se eleger para vereador. Estes nomes que devem ser tirados da próxima eleição, e colocar nomes que tenham condições, que possuam o reconhecimento do povo com trabalho, o que é o mais importante. E que saiam no mínimo dois candidatos estaduais e dois federais para que tenhamos representantes trabalhando efetivamente pela cidade e pela região do litoral”, enfatizou Marcelo Roque.
 

Colunistas