Logotipo

Governador apresenta oportunidades de parcerias com o setor privado

30 de março de 2019

Ratinho Júnior pontuou que o Paraná tem vocação para parcerias público-privadas.

Compartilhe

O governador Carlos Massa Ratinho Júnior apresentou na quinta-feira, 28, em palestra no GRI PPPs e Concessões 2019, em São Paulo, oportunidades de parcerias com a iniciativa privada que o Governo do Paraná está trabalhando. Ele reforçou que o Estado possui a legislação mais moderna do País na área de desestatização.

Segundo Ratinho Júnior, o Estado está aberto para um novo ciclo de investimentos em infraestrutura. “Nosso governo está totalmente aberto a fazer parcerias. O Paraná conseguiu romper a barreira ideológica para fazer os investimentos necessários para a população”, afirmou em evento com os governadores Eduardo Leite (RS), Wellington Dias (PI), Flávio Dino (MA), Rui Costa (BA) e Romeu Zema (MG), empresários e especialistas em concessões públicas.

O governador pontuou que o Paraná tem vocação para parcerias público-privadas e que esse modelo espelha a gestão pública eficiente de países desenvolvidos. “O Estado tem a parceria na sua genética. Das dez maiores cooperativas da América do Sul, seis estão no Paraná. Aprendemos a crescer juntos”, declarou.

Ratinho Júnior disse que o Paraná se prepara para concessões e parcerias nas áreas de saúde, iluminação pública, presídios, unidades de conservação, turismo e infraestrutura, o que congrega os modais ferroviário, rodoviário e aéreo. Ele destacou que já há um trabalho conjunto com a União para a inclusão de 1.000 quilômetros de rodovias estaduais no pacote de concessões que o Governo Federal está preparando, que deve incluir lotes do Anel de Integração, além de quatro aeroportos.

Outra iniciativa é do ramal ferroviário em direção ao litoral, com um novo traçado para a descida da Serra do Mar. “Na questão das ferrovias estamos criando uma segunda descida para o litoral do Paraná, que já conta com os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental”, declarou, ressaltando que o turismo terá grande atenção do governo. “O turismo é fundamental para geração de renda. O Paraná tem um grande potencial nesse aspecto”.

O governador também reforçou a capacidade do agronegócio paranaense de oferecer alimentos ao mundo, completando que para isso é preciso melhorar a infraestrutura e a logística de transporte. Ele defendeu o projeto do corredor ferroviário bioceânico, entre Paranaguá e o Porto de Antofagasta, no Chile, que pode levar a produção do Sul, Sudeste e Centro-Oeste com mais agilidade para o mercado asiático.

“É uma questão geográfica. Somos o umbigo do Brasil. Ficamos a alguns quilômetros de 70% do mercado consumidor da América do Sul. Nossa vocação é o agronegócio e a grande demanda do mundo é o alimento. Seremos o hub logístico da América Latina. Estamos trabalhando com a Itaipu para fazer o projeto executivo do corredor bioceânico”, finalizou.

GARANTIAS

Ratinho Júnior afirmou que o Paraná avançou pouco no setor de concessões nos últimos anos e que essa lei ampara o novo momento do Estado. “O que nós temos historicamente são as concessões de rodovias implantadas em 1997. Um modelo que não conseguiu entregar aquilo que foi prometido nos contratos”, explicou.

O governador lembrou que a infraestrutura afeta diretamente o desenvolvimento do País, resolve gargalos históricos, melhora os custos, o tempo, os transportes, gera novos vetores e oportunidades, e que o Brasil investiu apenas 2,08% do seu PIB nessa área entre 2000 e 2013, segundo o Banco Mundial.

SAÚDE FISCAL

A saúde fiscal do Paraná, maior do País segundo ranking da RC Consultores, ajuda a dar estofo a esse planejamento. “Fizemos a lição de casa ao longo dos últimos anos e neste ano já começamos com cortes em secretarias, diminuindo autarquias e privilégios. A atração de bons parceiros contempla a necessidade de prestar o melhor serviço possível para a população com qualidade e menor custo”, completou.

Foto: Rodrigo Félix Leal

Fonte: AEN

Colunistas