conecte-se conosco

Polícia

Operação da PC e PM mira mais de 10 quadrilhas de tráfico de drogas no litoral do Paraná

Cerca de 200 policiais atuam na Operação Tellure

Publicado

em

[videoyoutube]e1FfdL-sQmg[/videoyoutube]

Uma megaoperação conjunta das polícias Civil e Militar do Paraná contra o tráfico de drogas foi deflagrada nesta quarta-feira, 6, no litoral do Estado. Duzentos policiais estão nas ruas para cumprir quase 100 mandados judiciais. São 45 ordens judiciais de prisão e 44 de busca e apreensão. Mais de dez diferentes quadrilhas que atuam nas cidades do litoral do Paraná são alvos da “Operação Tellure”.

Encaminhamento de detidos está concentrado na 1.ª Subdivisão Policial de Paranaguá

[videoyoutube]3bfnnmLyXiw[/videoyoutube]

Delegado adjunto da 1.ª SDP, Nilson Diniz, diz que a Operação só é possível com o apoio e a confiança da população na Polícia Civil

"Temos um balanço bastante positivo desta Operação até o momento. Tivemos farta quantidade de substância entorpecente e munição apreendida. O nosso objetivo era tirar de circulação os traficantes. São 91 ordens judiciais. Até o fim do dia acredito que 90% das ordens judiciais serão cumpridas", ressalta o delegado Diniz.

Participam da ação policiais civis da 1.ª Subdivisão Policial de Paranaguá, do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Tático Integrado Grupos de Repressão Especial (Tigre), unidades de elite da Polícia Civil, da Divisão de Narcóticos (Denarc) e também militares do 9.º Batalhão da Polícia Militar, do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e da RONE (Rondas Ostensivas de Natureza Especial) – ambas de elite da PM. 

[videoyoutube]DdPpi-mDDY0[/videoyoutube]

Onze dos mandados de prisão são contra pessoas já presas e que comandavam o tráfico de drogas dentro das prisões, usando para isso os próprios familiares.

A investigação conduzida pela 1.ª Subdivisão Policial de Paranaguá aponta para a participação de integrantes de uma facção que age dentro e fora dos presídios que exerce o comando do tráfico de drogas nos municípios do litoral paranaense. A investigação, que durou oito meses, teve início após um trabalho conjunto de inteligência da Subdivisão e do 9.º Batalhão da PM, que identificou a ação de traficantes. 

Policiais se concentraram na área central de Paranaguá para dar início à Operação Tellure

Policiais receberam instruções na madrugada de quarta-feira

Quinze mulheres também são alvos de prisão e foi exatamente a investigação a respeito da atuação criminosa de uma delas, que assumiu o ponto de venda de drogas após o companheiro ser preso, que culminou na Megaoperação batizada como Tellure. O nome é derivado do latim "tellur" que significa terra, numa referência à cidade de Paranaguá. 

Delegado chefe do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), da Polícia Civil, Rodrigo Braun, participa da Operação Tellure em Paranaguá

"O Cope veio dar apoio a esta Operação bem organizada e para nós, é um prazer poder ajudar em uma investigação bem feita, o que reflete nos resultados da segurança pública local", diz o delegado Braun.

Segundo o delegado, desde a Operação Verão, há um trabalho realizado contra a criminalidade e sobretudo contra o tráfico de drogas na região litorânea. "Desde antes do verão realizamos algumas operações no litoral e obtivemos um verão com menores índices de crimes no litoral e essas investigações continuam para tentar dar uma resposta a esse problema que assola todo o Paraná e de uma maneira mais pontual o litoral", destaca.

 

[videoyoutube]KswX2ZET6sE[/videoyoutube]

O delegado chefe da 1.ª SDP, Rogério Castro, explica que a Operação Policial foi planejada desde outubro do ano passado. "Esse planejamento resultou naquilo que imaginamos ter sido a maior Operação já realizada no litoral do Paraná", afirma.

 

[videoyoutube]lOmuuKNihLs[/videoyoutube]

Comandante do 9.º Batalhão da Polícia Militar, Tenente Coronel Rui Noé Barroso, faz balanço parcial da operação, confira o vídeo.

Além do tráfico de drogas, com atuação em todo o litoral do Paraná, a polícia suspeita que a comercialização de entorpecentes não é a única atividade das quadrilhas investigadas. A polícia tem indícios que estas organizações criminosas tenham envolvimento em outros crimes, como contrabando de cigarros, de armas e  assassinatos nos municípios do litoral paranaense.

Mais detalhes da “Operação Tellure” serão divulgados em entrevista coletiva concedida na Aciap (Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Paranaguá). Rua Rodrigues Alves, 621 – Costeira, Paranaguá. O horário da coletiva será divulgado nas próximas horas.

Continuar lendo
Publicidade

Em alta