Logotipo

Polícia Civil deflagra Operação Hórus em Paranaguá

18 de junho de 2019

Durante a Operação Hórus, deflagrada pela PCPR, foram cumpridos 9 mandados expedidos pela Justiça. Quatro homens foram presos.

Compartilhe

Equipes da Polícia Civil, comandadas pelo delegado adjunto e operacional, Dr Nilson Diniz, deflagraram na madrugada desta terça-feira, 18, a Operação Hórus. Foram cumpridos nove mandados judiciais, sendo cinco de prisão temporária e quatro de buscas e apreensão.

Durante a Operação Hórus, deflagrada pela PCPR, foram cumpridos 9 mandados expedidos pela Justiça. Quatro homens foram presos.

Os presos são suspeitos de envolvimento nas mortes de  Gabriel Santos França de Freitas, de 19 anos e Rafael Alves do Carmo, de 25 anos. O duplo homicídio aconteceu na madrugada do dia 26 de maio, no cruzamento das ruas Manoel Corrêa com Ildefonso Munhoz da Rocha, no bairro Palmital.

RELEMBRE O CASO

De acordo com populares, os dois rapazes mortos e um amigo teriam se envolvido em uma confusão, momentos antes, em uma casa noturna na região da Ponta do Caju. Os três deixaram o local em um táxi, que foi perseguido por dois indivíduos que ocupavam uma moto, cor preta.

Ao parar no cruzamento, o piloto da motocicleta entrou na frente do táxi, obrigando o motorista a parar o veículo. O garupa desceu da moto e, armado, abriu a porta do carro e começou a atirar.

O primeiro a ser atingido foi Gabriel, que estava sentado no banco traseiro. O rapaz foi alvejado por pelo menos três disparos de arma fogo na cabeça. Na sequência, o assassino disparou uma vez contra Rafael, que estava sentado no banco da frente, ao lado do motorista. O tiro atingiu o ombro da vítima.

O taxista e o outro passageiro não foram atingidos.Após os disparos, os dois homens fugiram na motocicleta.

ATENDIMENTO

Equipes do Samu e da Polícia Militar foram acionadas e prestaram atendimento às vítimas. “Rafinha” não resistiu ao ferimento e morreu no local. Já Gabriel chegou a ser encaminhado para a emergência do Hospital Regional do Litoral, mas morreu durante o atendimento.

PERÍCIA

No local onde o crime aconteceu foi realizado o trabalho de perícia, tanto no táxi, como na vítima. Nenhum estojo de munição foi recolhido.

Os peritos também não encontraram perfurações no carro, que foi liberado logo em seguida.

Os corpos foram recolhidos à sede do IML e liberados ainda no domingo por familiares.

INVESTIGAÇÃO

Policiais civis que estavam de plantão no domingo, 26, estiveram no local e começaram a investigação. O rapaz que estava dentro do táxi e não foi atingido pelos disparos prestou depoimento na delegacia. O taxista também prestou depoimento e foi liberado.

PRESOS

Foram presos durante a Operação Hórus, Luiz Fernando de Souza, de 34 anos, Jhonatan Tomaz Henrique, de 36 anos, Thiers Thierry Tomaz Henrique, de 22 anos, e Jean Paulo de Melo.

Um dos alvos da ação policial, Luiz Fernando de Souza, já estava preso. Foragido da Justiça, ele foi capturado por policiais militares, em uma casa na Colônia Pereira, no dia 1º de junho. Além do mandado de prisão em aberto, pelo envolvimento com o tráfico de entorpecentes, Luiz portava uma pistola calibre .380, com dois carregadores municiados.

FORAGIDO

Deiveson Aurélio de Castro, conhecido como “Tato”, considerado um dos autores do duplo homicídio, está foragido

Deiveson Aurélio de Castro, de 34 anos, conhecido como “Tato”, também envolvido no duplo homicídio, não foi localizado durante a ação policial.

Qualquer informação com relação ao paradeiro do foragido, deve ser repassada pelo 197, da Polícia Civil, ou pelo 181, o narcodenuncia da Secretaria Estadual de Segurança Pública .

O duplo homicídio aconteceu no final de maio deste ano, dentro de um táxi, no Palmital(foto do vídeo)

Colunistas