Logotipo

Em oito meses, PRF apreende mais cigarros do que em todo o ano de 2018 no Paraná

11 de setembro de 2019

De janeiro a agosto, as equipes da PRF apreenderam 24,6 milhões de carteiras no Estado

Compartilhe

As equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam cerca de 24,6 milhões de carteiras de cigarro contrabandeadas do Paraguai nos primeiros oito meses deste ano no Paraná.
O número alcançado até agosto deste ano já é 33,7% superior ao registrado durante todo o ano de 2018, quando 18,4 milhões de carteiras foram apreendidas no Estado.
O balanço parcial coloca 2019 na segunda posição no ranking de apreensões dos últimos dez anos no Paraná, atrás apenas de 2013, ano em que a PRF apreendeu 31,1 milhões de carteiras.
O Paraná é o Estado brasileiro onde a Polícia Rodoviária Federal mais apreende cigarros contrabandeados. Na sequência, aparecem os Estados de Mato Grosso do Sul e Goiás.


Boa parte dos carros e caminhões apreendidos pela PRF com cigarro são produto de roubo ou furto. Além de alimentar essa cadeia de crimes associados, a prática do contrabando provoca uma evasão fiscal bilionária, uma vez que cerca de 80% do preço do cigarro brasileiro corresponde a tributos.
O contrabando afeta, ainda, a saúde pública, por ofertar à população produtos nocivos a preços inferiores aos de mercado, sem qualquer tipo de controle sanitário e sem as advertências obrigatórias nas embalagens. E acaba por constituir uma atividade rentável para o crime organizado.

Quem tenha qualquer informação sobre veículos transportando cargas ilícitas em rodovias federais pode ligar e passar informações, inclusive de forma anônima, para o telefone 191 da PRF.
O crime de contrabando tem pena prevista de dois a cinco anos de prisão.
Desde 2010 até hoje, a Polícia Rodoviária Federal apreendeu 187 milhões de carteiras de cigarro no Paraná.

Com informações da Agência PRF


Colunistas