Logotipo
Paróquia São João Batista

Paróquia São João Batista

Por Padre Eliel de Oliveira Venâncio, pároco da Paróquia São João Batista.

Compartilhe

Celebração das vocações, Deus nos chamou a viver

08 de agosto de 2018

“Antes que fosses formado, no ventre da tua mãe, eu já te conhecia. Antes do teu nascimento, eu já havia te consagrado” (Jr 1,5)

Olá caríssimo leitor e caríssima leitora do Jornal Folha do Litoral News. Minha saudação e prece por você e por sua família!

O mês de Agosto para a Igreja Católica, no Brasil, é o mês no qual celebramos as vocações. Meditamos com mais profundidade o chamado que Deus fez a todas as pessoas humanas, o chamado à vida, em primeiro lugar. Vida que ninguém tem o direito de matar, nem no ventre e nem depois que nasceu, porque é sagrada!

Com a vocação à vida, Deus não encerra por aí seu chamado. Com o Batismo, chama à vida cristã. Na vida cristã somos chama a dar testemunho de Cristo, a participar da sua Comunidade que é a Igreja.

Dentro da comunidade, há o chamado a uma vida consagrada, como missionário, missionária, como monge, monja, como religioso, religiosa, como casal consagrado pelo sacramento do Matrimônio, como servidor, servidora na comunidade num trabalho pastoral, de conselho, ministério ou movimento. Há também a vocação à vida ministerial como Diácono, Presbítero e Epíscopo (Bispo).

Para nós, cristãos católicos, tudo é dom de Deus. Nada merecemos, mas aprendemos a agradecer. Agradecer o dom da vida, o dom da fé, de ser cristão e de trabalhar na vinha do Senhor, independente do estado de vida que a pessoa foi chamada (leigo, leiga, religioso, religiosa, diácono, presbítero, bispo).

No primeiro Domingo de Agosto (o passado), a Igreja celebrou pelos Ministros Consagrados (diáconos, padres e bispos).

Homens que consagramos nossa vida para estar a serviço do povo de Deus e da Igreja, como pais espirituais, para batizar, crismar, celebrar a Eucaristia, dar o perdão e a unção dos enfermos, assistir os casamentos e ordenar novos ministros para a Igreja (esta última é função propriamente do bispo). Bem como anunciar a Palavra de Deus, sobretudo o Evangelho, visitar os enfermos e às famílias.

No segundo Domingo, celebraremos pelas famílias, vocação bonita e nobre de pai e da mãe que Deus deu, e que se constituem como células vivas da sociedade. No terceiro Domingo, a vida religiosa e consagrada e no quarto Domingo, a vida dos leigos e leigas, sobretudo dos nossos catequistas e ministros, a serviço do anúncio da Palavra de Deus e da distribuição da Eucaristia, especialmente aos enfermos!

Que Deus abençoe todos os seus filhos e filhas, chamados à vida e que estão espalhados pelo mundo inteiro, abençoe todos os cristãos, todas as família, todos os religiosos e religiosas, catequistas, ministros e demais lideranças da Igreja, como testemunhas vivas de Cristo na sociedade!