Logotipo

Muitos “likes” a Paranaguá

28 de julho de 2018

Conheça a história de quatro parnanguaras que divulgam a cidade por amor

Registrar Paranaguá e mostrar para o mundo é um prazer exercido por alguns parnanguaras que são apaixonados pela arte da fotografia. Neste sentido, as imagens ganham ângulos especiais através de um olhar peculiar que só eles sabem fazer. 


MYRO SOARES

 

Myro Soares é farmacista, mas todos os dias fotografa Paranaguá antes de chegar ao trabalho. Ele gosta de registrar o sol nascendo iluminando o casario da Rua da Praia. “São muitas belezas em um só lugar e acredito que tudo isso precisa ser passado para as pessoas que moram aqui e muitas vezes não veem dessa forma”, contou.
Ele começou a fotografar Paranaguá para enviar a sua irmã que mora no Japão. “Ela queria ver a cidade e eu passei a tirar fotos todos os dias e enviava para ela. Daí veio a ideia de postar no Facebook e isso foi crescendo cada vez mais e hoje tenho amigos em diversas partes do mundo que me adicionam por causa das fotos de Paranaguá”, contou. Muitas pessoas ficam admiradas pelo fato de Myro fazer tudo isso com um celular. 


CLAUDIO NEVES

 

Quem também sente o mesmo prazer é Claudio Neves, fotógrafo e cinegrafista há 26 anos. “Comecei aos 15 anos fotografando festas e eventos sociais, hoje me encontro em uma nova fase de minha trajetória, fotografando e produzindo vídeos documentários para a Internet. Ao meu ver, temos em nossas mãos uma das cidades mais lindas do País, com uma história fantástica, repleta de casarões, inúmeras ilhas com uma natureza exuberante e um povo único”, apontou.
Por causa disso Claudio decidiu, após 26 anos de atividades profissionais, se dedicar à desconstrução do pensamento negativo. “Com minhas fotografias sempre busquei valorizar nossas belezas naturais, agora com o meu canal no YouTube, além de registrar o que temos de mais bonito, estou contando histórias de lugares e personagens que só nós temos por aqui. Buscando conscientizar a população de que a mudança começa por cada um de nós”, destacou. 

 


RONALDO DAMASCENO

Ronaldo Damasceno nasceu, foi criado e ainda mora na Ilha dos Valadares. Ele acredita que o contato com as belezas naturais, o qual ele mantém desde a infância, tenha sido responsável por esse fascínio que ele tem para com a cidade de Paranaguá. 
“Eu era vizinho de Celso Amopa na Ilha. Ele foi minha primeira referência ligada às coisas de Paranaguá. Eu sempre tive muita vontade de registrar as belezas da cidade porque reconheço o potencial de Paranaguá. Comecei quando ganhei uma câmera bem simples e depois dos primeiros clicks veio um grande amor pela fotografia. Márcio Tibilleti foi uma referência de qualidade que serve até hoje como inspiração”, ressaltou. “Fico muito feliz ao ver as pessoas de várias partes do Brasil compartilhando as imagens que faço de Paranaguá”, contou. 

 


JORGE FUJITA

Jorge Fujita herdou do pai o talento artístico pela fotografia. Seus pais vieram do Japão e fixaram residência em Paranaguá. “Os meus pais eram poetas e escritores. O que fazia a diferença entre eles, era que a minha mãe era dona de casa e meu pai, fotógrafo. Ele ilustrava os textos com imagens (maioria de Paranaguá e litoral). Durante anos, ele divulgou Paranaguá mundo afora”, contou. 
Fujita herdou dele essa ideia de compartilhar imagens e relacionar com as pessoas. Nas décadas de 70 e 80, muitas fotografias tiradas por ele foram enviadas e publicadas em diversos jornais, revistas e livros do Brasil e do exterior. Nos anos 90, Fujita retornou para o Japão ficando por lá mais de 20 anos. Com a popularização da Internet, começou a estabelecer contato e trocas de fotografia de Paranaguá e, com isso, acabou reencontrando os amigos parnanguaras, em vários cantos do mundo. 

 


Foto destaque: Ronaldo Damasceno

 

Compartilhe