Logotipo

Bibliotecas, eternas fontes de conhecimento à nova geração

28 de julho de 2018

Parnanguaras descobrem por meio de pesquisas episódios fascinantes da história da cidade 


A Biblioteca Pública é uma propagadora do conhecimento à nova geração. Nesse sentido, a história de Paranaguá ganha destaque em função do interesse pelas pesquisas e dos acervos nela preservados. 
A Biblioteca Mário Lobo, a qual está funcionando temporariamente na Casa Brasílio Itiberê, está no roteiro dos estudos de crianças, jovens e adultos que se interessam por Paranaguá. O local possui inúmeras obras que retratam a cidade, sendo fonte de pesquisas e propagando informações sobre inúmeros temas.

LUCAS e a história da cidade

Lucas Alves de Oliveira, de 11 anos, estuda no 7.º ano no período da tarde no Colégio Estadual José Bonifácio. Pela manhã, ele gosta de pesquisar, mesmo quando não é uma lição exigida pelos professores. “Eu gosto de aprender sobre a história de Paranaguá. De tudo que eu já li achei interessante ter descoberto que o Rio Itiberê vinha até perto do museu. Muitas pessoas não sabem disso, por isso eu gosto de contar para meus amigos essa e outras curiosidades”, enfatizou o estudante.

 

Repassar conhecimento AOS FILHOS

Suzana Paula da Silva, de 42 anos, não é mais estudante, mas nem por isso deixa de frequentar a biblioteca. Ela contou que sempre teve interesse em estudar e aprender cada vez mais. “Vários assuntos me chamam atenção. Gosto de ler e pesquisar para repassar os conhecimentos para minha filha. Acredito que o respeito e o amor pela cidade surgem quando passamos a conhecer a história. Temos que propagar coisas boas sempre, principalmente sobre a cidade em que vivemos”, explicou. 
João Gabriel Serafim Mota mora em Pontal do Paraná, tem 18 anos, é acadêmico do terceiro semestre do curso de Letras na UNESPAR e atualmente tem passado muito tempo cercado por livros e documentos históricos. “Estou pesquisando sobre a Revista O Itiberê. É por interesse próprio e também por causa do grupo de estudos de que faço parte. De vários projetos existentes que estamos trabalhando, um deles é sobre esse resgate. Minha parte dentro dessa pesquisa é voltada para o conteúdo literário, como por exemplo, os poemas e o contexto histórico da revista O Itiberê”, contou.


Pesquisas do ESTUDANTE  ERICK

Quem também se interessa por pesquisas é o estudante do terceiro ano do Ensino Médio, Erick Santos, de 18 anos. De tudo que já aprendeu em sua vida escolar ele ressalta que um dos momentos mais interessantes foi ter visitado o museu. “Pude conhecer uma exposição no museu em que aprendemos sobre os povos que colonizaram a cidade. As pesquisas na biblioteca completaram essa informação, mostrando que os africanos e os indígenas fazem parte de nossas raízes. Estudar Paranaguá é sempre muito interessante”, destacou, enfatizando ainda que um dos pontos turísticos e históricos que mais o interessa é o Porto de Paranaguá.


JOÃO e o Instituto Histórico

João Gabriel utiliza como principal fonte de estudos o Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá. “A Biblioteca também é uma ferramenta importante, pois estamos fazendo o resgate da produção literária de diversos ângulos, com contos, crônicas, peças teatrais e sonetos que eram publicados na época”, apontou.       

Compartilhe