Connect with us

Paraná Produtivo

Mercado russo

Os russos confiam muito no produto brasileiro.

Publicado

em

A Rússia já foi o principal destino da carne brasileira, mas em 2019 ficou apenas em sétimo lugar, com somente 3,5% das exportações nacionais. Para reverter a queda, os principais vendedores de carne brasileira participaram da feira de alimentos Prodexpo. João Santos Lima, que trabalha com exportações para o mercado russo há 15 anos, acredita que essa é a oportunidade para frigoríficos brasileiros. “A perspectiva é boa e a gente pode retomar o volume de exportação de carne brasileira. Os russos confiam muito no produto brasileiro e se sentem muito confortáveis em trabalhar com ao Brasil".

Sem conflitos

O Brasil tradicionalmente vende cortes de dianteiro e recortes de carne bovina para a Rússia, usados sobretudo para o processamento "A Rússia está produzindo carne de alta qualidade, mas não há conflito de interesse. A carne brasileira vendida é em sua grande maioria destinada à fabricação de embutidos, ou seja, não colocamos carne brasileira nas gôndolas, não estamos competindo com as produtoras de carnes locais", explicou Lima.

Queda desde 2017

Desde 2017, a Rússia impôs severas restrições às importações de carne do Brasil, suspendendo 50 das 59 plantas frigoríficas habilitadas. Mas esse processo tende a ser revertido. A Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne acredita que as vendas para o mercado russo devem se elevar este ano. Em nota, a associação declarou que sua expectativa é que novas plantas sejam habilitadas no decorrer deste ano e que as exportações para a Rússia voltem à normalidade.

Isenção

O Supremo Tribunal Federal decidiu que os chamados "exportadores rurais indiretos" – produtores que usam empresas para realizar vendas ao exterior – têm direito à isenção tributária sobre contribuições sociais. Esta sentença que deverá ampliar a margem e a competitividade do negócio agrícola. E favorece exportações feitas por pequenos e médios produtores, que se valem das tradings (indústrias exportadoras) para fazer as vendas externas, transações que somadas alcançam valores bilionários.

Exportação cai em janeiro

As exportações do agronegócio totalizaram US$ 5,8 bilhões em janeiro – recuo de 9,4%. O setor participou com 40,4% do total das exportações brasileiras. As importações do setor somaram US$ 1,2 bilhão (-1,6%) e com isso o saldo da balança comercial ficou em US$ 4,6 bilhões, de acordo com o Ministério da Agricultura. A queda nos preços dos produtos do agronegócio exportados pelo Brasil, de 7,4%, foram a principal razão para a redução das vendas externas em janeiro. Também ocorreu redução na quantidade comercializada para o exterior, que declinou 2,2% na comparação do mês de janeiro de 2019.

Comércio cresce

O comércio varejista ampliado cresceu 2,7% no Paraná em 2019, segundo pesquisa do IBGE. O índice acumulado é um comparativo com 2018 e foi puxado pelo crescimento das vendas de materiais de construção (9,8%), veículos, motos, partes e peças (8,7%) e itens de uso pessoal ou doméstico (15,2%). As atividades de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas, móveis, artigos farmacêuticos, ortopédicos, médicos, cosméticos e de perfumaria, e equipamentos e materiais de escritório também registraram índices positivos no Paraná em 2019.

Veículos e construção

A pesquisa do IBGE mostra que o crescimento de 8,7% do setor de veículos, motos, partes e peças foi o maior desde 2012 no Paraná. O crescimento do setor automotivo também foi constatado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores. Um relatório destacou que a venda de veículos novos cresceu 8,65% em 2019. Foi o melhor número do setor nos últimos cinco anos. O segmento de pesados teve as maiores altas: para caminhões, foi de 33% em relação ao ano anterior, com 101.735 unidades emplacadas, e para ônibus foi de quase 39%, somando 27.193 unidades. O aumento nas vendas de automóveis e comerciais leves foi de 7,65%.

Investimento bilionário

O Paraná garantiu investimentos de pelo menos R$ 1,5 bilhão em quatro aeroportos do Estado – Afonso Pena, Bacacheri, Londrina e Foz do Iguaçu – que serão privatizados pelo governo federal. O anúncio foi feito pelo governador Ratinho Junior após reunião com o secretário nacional da Aviação Civil, Ronei Saggioro Glanzmann, em Brasília. As obras são para que os terminais subam de categoria e constarão no contrato de concessão, previsto para valer por 30 anos. Segundo o Ministério da Infraestrutura, o leilão deve ocorrer até o final deste ano. Os aeroportos paranaenses integram o bloco Sul do processo, com os terminais de Navegantes (SC), Joinville (SC), Pelotas (RS), Uruguaiana (RS) e Bagé (RS).

Curitiba e Foz

Curitiba e Foz do Iguaçu passarão a ter novos voos diários a partir de 29 de março. O anúncio foi feito pela Latam Airlines Brasil que ampliou de 2 para 16 o número semanal de voos diretos entre as cidades. De acordo com a Latam, o investimento reflete a atenção com as oportunidades no Paraná, onde a companhia mantém contrapartidas em acordo para a redução do ICMS sobre o combustível de aviação.

Cooperação com BNDES

O desenvolvimento das cooperativas poderá contar ainda mais com o BNDES. Os presidentes do banco, Gustavo Montezano, e da OCB, Márcio Lopes de Freitas, assinaram um acordo de cooperação para promoção do acesso às linhas de financiamento e de fomento a investimentos. A expectativa é de que esses objetivos se efetivem por meio de quatro eixos: orientação e capacitação para acesso ao crédito, integração com os processos de apoio financeiro, comunicação e divulgação dos produtos e geração de inteligência institucional.

Menos juros

A Fomento Paraná anunciou a redução nas taxas de juros nas operações de microcrédito, tanto para contratações normais quanto para o Banco da Mulher. As taxas foram reduzidas em 3%, o que representa 15,4% no microcrédito normal e até 22,4% na linha exclusiva para o público feminino. A menor taxa de juros do microcrédito, que era de 1,49% ao mês, cai para 1,28% classificados como bons pagadores, e empreendedores que fazem cursos de capacitação gerencial do Sebrae ou do Bom Negócio Paraná. Já em relação ao Banco da Mulher, o índice passa de 0,98% para 0,76.

Comércio em alta

O faturamento do comércio eletrônico atingiu R$ 75,1 bilhões em 2019, com uma alta nominal (sem considerar a inflação) de 22,7% em relação ao ano anterior, segundo dados do relatório NeoTrust. O estudo analisa o varejo digital por trimestre com base nos dados coletados pela empresa de inteligência de mercado Compre&Confie. O volume de pedidos cresceu 22,5% em base anual, o que representa 178,5 milhões de compras. De acordo com o estudo, os dados apontam para o consumidor brasileiro comprando cada vez mais em 2020. A Compre&Confie estima que as compras on-line gerem faturamento de R$ 90,7 bilhões em 2020, crescimento de 21% em relação a 2019.

Certificação de orgânicos

O Tecpar ampliou sua atuação na certificação de produção de orgânicos no Brasil em 2019. Atualmente 615 produtores rurais de sete estados têm a certificação de orgânicos concedida pelo Tecpar Certificação. Recentemente, o instituto prestou o serviço pela primeira vez para propriedades de municípios da região Centro-Oeste. O processo de auditoria e certificação de produtos orgânicos foi realizado no Estado do Mato Grosso, por meio de um contrato firmado com o Sebrae MT. Foram certificados oito produtores rurais e uma cooperativa que cultivam produtos orgânicos como guaraná, frutas, hortaliças diversas, grãos e temperos.

Redação ADI-PR Curitiba 

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.  

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.