Logotipo

Temporada de captura do caranguejo-uçá começa a partir de 1.º de dezembro

30 de novembro de 2019

Temporada do caranguejo vai do dia 1.º de dezembro até o dia 15 de março de 2020

Compartilhe

Após liberação, será realizada a 3.ª Festa do Caranguejo em Paranaguá entre os dias 4 e 8 de dezembro

No dia 1.º de dezembro, estará liberada oficialmente a temporada de captura de caranguejo-uçá em todo o litoral do Paraná, algo que prosseguirá até o dia 15 de março de 2020. A medida segue o que estabelece a Portaria n.º 180/2002 do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), sendo que a partir da liberação é autorizada apenas a captura dos machos com carapaça igual ou maior a sete centímetros. Fêmeas e crustáceos menores não podem ser capturados durante todo o ano. A liberação é importante em Paranaguá também na questão turística, em virtude da realização da terceira edição da Festa do Caranguejo, organizada pela Prefeitura, que será realizada entre os dias 4 e 8 de dezembro na Praça de Eventos Mário Roque.

De acordo com o IAP, o objetivo da proibição e de um período certo para comercialização é garantir a desova e crescimento dos novos caranguejos, preservando e protegendo o habitat dos crustáceos. Segundo o ente estatal, após a liberação há constantes medidas de fiscalização e são necessários cuidados durante a caça com o objetivo de garantir a perpetuação da espécie, bem como são realizadas reuniões com comunidades dos municípios do litoral para tirar dúvidas sobre a caça do crustáceo, que é um dos pratos mais tradicionais da região durante toda a temporada de verão.

"É proibida a utilização de qualquer tipo de ferramenta cortante – enxadas, facões, foices, cavadeira, cortadeira e outros – produtos químicos ou armadilhas, como o laço e redes, ou demais meios que possam machucar, matar os animais ou causar danos ao ambiente. A captura é permitida apenas de forma artesanal, feita com as mãos", explica a portaria do IAP. É proibido no litoral do Paraná, durante a temporada, a comercialização e transporte do caranguejo processado, seja em partes ou inteiro, sem a devida comprovação de inspeção federal, com comprovação e selo de origem do produto.

FISCALIZAÇÃO E MULTA

Segundo o IAP, há fiscais e policiais ambientais que irão fiscalizar qualquer registro de captura irregular do caranguejo ou infração ambiental no litoral, tanto no período de defeso, quanto após a liberação. "Quem for flagrado capturando, transportando ou comercializando os crustáceos em desacordo com as restrições estabelecidas poderá ser enquadrado na lei de crimes ambientais", explica a assessoria.

"A multa para quem desrespeitar as normas varia de R$ 700,00 a R$ 100 mil por pescador, e mais R$ 20,00 para cada quilo de caranguejo capturado, além de responder à ação judicial. Ao constatar a presença de caranguejos de tamanho inadequado ou capturados de forma irregular, todos os materiais utilizados serão apreendidos e os animais saudáveis serão devolvidos ao meio ambiente", afirma o IAP.

3.ª FESTA DO CARANGUEJO

Terceira edição da Festa do Caranguejo acontecerá na Praça Mário Roque de 4 a 8 de dezembro

O caranguejo é um prato típico do litoral do Paraná, apreciado por moradores e turistas, tanto que a Prefeitura de Paranaguá, desde 2017, realiza na cidade a Festa do Caranguejo. Neste ano, a festividade acontece de 4 a 8 de dezembro, na Praça de Eventos Mário Roque. O evento se tornou tradicional, com montagem de uma ampla estrutura, algo de sucesso de público nos últimos anos. Em 2017, inclusive foi realizada a inauguração da escultura do caranguejo na Praça Mário Roque, ponto turístico do litoral paranaense.

“Em sua terceira edição, a festa tem por objetivo viabilizar a comercialização do crustáceo e frutos do mar típicos do município, através de comunidades pesqueiras localizadas na baía de Paranaguá. Visa à criação de divisas, além de diversas atrações culturais com artistas locais e regionais. Com o passar do tempo, a festa vai ser conhecida em todo o Estado como já acontece com a Festa da Tainha que já se tornou de nível nacional”, afirma o secretário municipal de Cultura e Turismo, Harrison Camargo.


Colunistas