Connect with us

Meio Ambiente

Projeto registrou mais de 10 mil animais encalhados no litoral do Paraná em três anos

Menos de 15% são de animais vivos, a maioria é composta por aves marinhas e costeiras, tartarugas-verde e lobos marinhos

Publicado

em

O Projeto de Monitoramento de Praia da Bacia de Santos (PMP-BS), no litoral do Paraná, já registrou mais de 10 mil animais encalhados em apenas três anos, entre aves, mamíferos e tartarugas marinhas. Foram cerca de 60 espécies, muitas delas classificadas como ameaçadas de extinção, devido a interações negativas com atividades humanas e mesmo por consequência da degradação do ambiente costeiro e marinho. Menos de 15% dos animais foram encontrados vivos, a maioria sendo representada por aves marinhas e costeiras, tartarugas-verde e lobos marinhos.

O monitoramento das espécies é realizado por profissionais do Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC), presente no Centro de Estudos do Mar da Universidade Federal do Paraná (CEM/UFPR), campus Pontal do Paraná.

Entre os animais encontrados, mais de 50% foram aves, sendo as principais espécies registradas os pinguins-de-magalhães, os albatrozes e petréis. (Foto: Equipe Laboratório de Ecologia e Conservação CEMUFPR – projeto PMPBS)

A pesquisadora do CEM e coordenadora do Laboratório de Ecologia e Conservação e do Projeto de Monitoramento, Camila Domit, contou que entre os animais encontrados, mais de 50% foram aves, sendo as principais espécies registradas os pinguins-de-magalhães, os albatrozes e petréis e mesmo as aves costeiras conhecidas como fragatas, mergulhões e gaivotas.

Quanto às tartarugas marinhas, as cinco espécies com ocorrência no Brasil foram registradas no Estado e a tartaruga-verde é a mais frequente.

“Mamíferos marinhos como baleias, golfinhos, lobos e leões marinhos, e mesmo focas, foram registradas em três anos. Os botos-cinza e a toninha são duas das espécies ameaçadas com muitos registros de encalhe, uma grande preocupação à sociedade acadêmica e de gestão ambiental e fauna do País. Entre os lobos marinhos, as ocorrências de animais vivos que vêm à costa paranaense para descansar foram ainda mais frequentes ao longo deste último ano”, afirmou Camila.

MORADORES E VISITANTES

Foram mais de 60 espécies verificadas, algumas ameaçadas de extinção. (Foto: Equipe Laboratório de Ecologia e Conservação CEMUFPR – projeto PMPBS)

A pesquisadora explicou que diversas espécies são residentes na costa do Paraná e aparecem na região ao longo de todo o ano, o que é evidenciado pelos encalhes.

“Entretanto há espécies migradoras que visitam a região em estações específicas, como algumas aves (albatrozes, trinta-réis) e lobos marinhos. A maioria dos migradores chega ao Paraná entre abril e outubro e é evidente um aumento significativo de encalhes neste período do ano”, relatou Camila.

Quando encontrados, em sua maioria, os animais já estão mortos e em estágio de decomposição. Uma parcela mínima é de animais encontrados vivos, que são resgatados para serem cuidados pelos pesquisadores.

Animais encontrados mortos indicaram presença de lixo no trato digestório. (Foto: Equipe Laboratório de Ecologia e Conservação CEMUFPR – projeto PMPBS)

“Menos de 15% dos encontrados são de animais vivos, a maioria sendo aves marinhas e costeiras, tartarugas-verde e lobos marinhos. No entanto é importante destacar que a equipe já atendeu encalhe de baleias e golfinhos vivos, assim como fez o registro e monitoramento de tartarugas marinhas em atividade de desova (raras mais registradas no Paraná para a tartaruga-de-couro e de tartaruga-cabeçuda)”, ressaltou Camila.

CAUSAS DE ENCALHE

Segundo a pesquisadora, entre as causas que provocam o encalhe dos animais está a desnutrição e a debilitação da saúde do animal por estresse e redução da atividade do sistema imunológico. Já nos animais encontrados mortos, o projeto identificou interação negativa com petrechos de pesca, como redes, e também com lixo presente no trato digestório.

“Claramente, os animais registrados e analisados pelo projeto evidenciam a redução da qualidade do ecossistema e o fato destes animais estarem expostos a impactos múltiplos, contínuos e com efeitos conjuntos no ambiente ou mesmo de efeito direto”, disse Camila.

O reflexo desses impactos mencionados é visto em tartarugas com cortes graves na carapaça, o que indica colisão com embarcação ou espinhel preso na garganta. Os golfinhos também são mortos por rede de pesca com alto nível de contaminação química. Já a vida das aves é ameaçada pela agressão humana.

Equipes de pesquisadores fazem o monitoramento dos animais encontrados na costa do Paraná e o resgate daqueles que ainda tem chance de vida. (Foto: Equipe Laboratório de Ecologia e Conservação CEMUFPR – projeto PMPBS)

“Estes são alguns dos resultados que obtivemos e que temos discutido com os órgãos ambientais locais, federais e mesmo com instituições internacionais. A mudança de postura da sociedade como um todo quanto à necessidade de mudança de ações e de ordenamento de atividades humanas para redução de impactos para a conservação dos ecossistemas marinhos e da fauna é urgente e fundamental”, alertou Camila.

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.