Logotipo

Vice-presidente da Soamar Curitiba faz balanço das ações na capital

12 de novembro de 2019

O advogado José Lúcio Glomb explicou quais os propósitos da Sociedade Amigos da Marinha

Compartilhe

Em dezembro de 2018, o Paraná, que já contava com três Sociedades Amigos da Marinha (Soamar), em Paranaguá, Foz do Iguaçu e Guaíra, passou a ter uma sociedade representante em Curitiba. O objetivo foi contribuir para aumentar a divulgação das ações e valores da Marinha do Brasil junto à população curitibana e paranaense.

O vice-presidente da Soamar Curitiba, o advogado José Lúcio Glomb, explicou que esta é uma instituição que trabalha sempre de maneira integrada com os propósitos da Marinha. “Que são sempre os melhores que podemos ter para o nosso País, de defesa das nossas águas territoriais, para a nossa soberania, até da própria situação política, no sentido de defender o Estado democrático de direito, a democracia. Os amigos da marinha também têm esses propósitos”, afirmou Glomb.

A Soamar foi fundada pelo economista Newton Vasniewski Ribeiro, como explicou o vice-presidente da entidade.

“A Soamar Curitiba foi fundada pela dedicação de muitas pessoas lideradas por Newton Vasniewski Ribeiro, uma pessoa formidável que queria criar em Curitiba essa organização. Lamentavelmente, logo após a instalação dessa sociedade, Newton veio a nos deixar, falecendo de uma doença que o levou de maneira muito rápida e para a tristeza de todos os seus amigos. É claro que isso alterou os nossos planos, hoje sou vice-presidente e até o fim deste mandato ele será o presidente, embora, de fato, hoje eu exerça essa função”, destacou Glomb.

Segundo ele, o objetivo é aproximar as ações da sociedade com as ações da Marinha. “Estamos trabalhando sempre para aproximar a Soamar daqueles que podem divulgar as realizações da Marinha. Eu tive a oportunidade de viver na prática um momento muito especial que foi de velejar no barco Cisne Branco de Maceió ao Rio de Janeiro, tive uma convivência, uma integração e uma vivência do espírito da Marinha brasileira e isso foi muito importante. É uma forma de adquirir conhecimentos para difundir para outras pessoas da sociedade”, concluiu Glomb.


Colunistas