Logotipo

Moradores na Ilha do Mel e Guaraqueçaba são qualificados como Marinheiro Auxiliar de Convés e Máquinas

03 de janeiro de 2020

Entrega dos certificados de conclusão do curso na Ilha do Mel foi feita pelo Capitão dos Portos do Paraná, CMG Rogerio Machado.

Compartilhe

A Capitania dos Portos do Paraná (CPPR) qualificou, no mês de novembro e dezembro, 70 moradores na Ilha do Mel e no município de Guaraqueçaba para as funções de Marinheiro Auxiliar de Convés e Máquinas. Ao todo, foram formados 35 moradores em cada localidade. Os cursos aconteceram a partir de solicitação da Associação de Nativos da Ilha do Mel e Comunidades Tradicionais da Bacia de Paranaguá (ANIME) e da Câmara de Vereadores de Guaraqueçaba. As aulas foram ministradas por militares da CPPR em espaços cedidos na Praia de Encantadas e na própria sede do Legislativo Municipal.

A conclusão dos cursos foi marcada pela entrega da Caderneta de Inscrição e Registro (CIR) pelo Capitão dos Portos do Paraná, Capitão de Mar e Guerra Rogerio Antunes Machado. A CIR é um documento de habilitação, identificação e registro de dados pessoais do aquaviário, emitida para que o portador possa ser identificado e autorizado a trabalhar em uma embarcação, além de registrar o histórico de serviço marítimo do portador.

O curso de Marinheiro Auxiliar é o curso inicial para quem pretende seguir a carreira de aquaviário e trabalhar em embarcações. Na categoria de “Marítimos”, a mais comum no litoral do Paraná, os habilitados podem exercem suas funções a bordo de embarcações mercantes ou de apoio marítimo. Com a habilitação em “convés” ou “máquinas”, os Marinheiros Auxiliares são autorizados a trabalhar em embarcações com arqueação bruta (AB) de até 300, empregadas na navegação interior e de apoio portuário. A habilitação permite ainda que os formados possam conduzir embarcações com até 10 de arqueação bruta.

O Capitão dos Portos do Paraná, Capitão de Mar e Guerra Rogerio Antunes Machado, disse que a expectativa é que os 70 novos aquaviários marítimos do Estado possam seguir carreira e contribuir para a segurança da navegação da região. “Nós torcemos que este seja o primeiro passo deste grupo de aquaviários nas fainas náuticas habilitados profissionalmente para exercer funções a bordo de embarcações. Os cursos que a CPPR oferece buscam sempre garantir que todos conheçam as fainas marinheiras e saibam agir de acordo com as Normas da Autoridade Marítima para termos a salvaguarda da vida humana, a segurança da navegação e a prevenção da poluição hídrica a partir de embarcações”, afirmou o Capitão dos Portos.

Da Assessoria da Capitania


Colunistas