Logotipo

Marinha do Brasil realizará a Operação Aspirantex 2019

10 de janeiro de 2019

Os navios estarão abertos à visitação pública nos portos de Itajaí, Paranaguá e Rio Grande

Compartilhe

A Marinha do Brasil (MB) realizará, no período de 11 a 31 de janeiro, na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro e Montevidéu no Uruguai, a Operação Aspirantex 2019, com visita aos portos de Montevidéu, Rio Grande, Itajaí e Paranaguá.

Durante os vinte dias de comissão, serão realizados diversos exercícios de caráter militar, como operações com aeronaves, transferência de óleo combustível e água no mar, manobras táticas entre os navios, exercícios de tiro, exercícios de combate a incêndio, dentre outros, a fim de aprimorar o adestramento dos meios navais e aeronavais da Esquadra.

A Aspirantex 2019 envolverá cerca de dois mil militares. Embarcarão, também, 319 Aspirantes da Escola Naval, com a finalidade de experimentar a vida e a rotina dos navios da Esquadra.

O Grupo-Tarefa contará com a presença do Comandante em Chefe da Esquadra (COMEMCH), o Almirante de Esquadra Alipio Jorge e será comandado pelo Contra-Almirante Fernando Ranauro Cozzolino, Comandante da 2ª Divisão da Esquadra (ComDiv-2), sendo composto pelos seguintes meios da Esquadra: Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico” (A140), com um helicóptero anti-submarino (SH-16) e um helicóptero de emprego geral (UH-15) embarcados; Navio de Desembarque de Carros de Combate “Almirante Sabóia” (G25), com um helicóptero de emprego geral (UH-12); Fragata “Independência” (F44), com um helicóptero de emprego geral (UH-12); Fragata “Rademaker” (F49) e a Corveta “Julio de Noronha” (V32).

Em apoio aos exercícios realizados pelo GT, os seguintes meios também serão empregados: Navio-Patrulha “Macaé” (P70), Navio de Apoio Oceânico “Mearim” (G150) e duas aeronaves de interceptação e ataque (AF-1). Será empregado também um destacamento de Mergulhadores de Combate, que estará a bordo do Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico” (A140), além das seguintes aeronaves da Força Aérea Brasileira: uma aeronave de patrulha (P-95), uma aeronave anti-submarino (P-3AM) e duas aeronaves de ataque (A-1).

Fonte: Marinha do Brasil

Colunistas