Logotipo

Capitania autoriza navegação da plataforma P-76, construída em Pontal do Paraná

24 de dezembro de 2018

Seis rebocadores foram utilizados para movimentar a plataforma da área do estaleiro.

Compartilhe

A Capitania dos Portos do Paraná (CPPR) autorizou a desatracação e a navegação da plataforma P-76 do estaleiro da empresa Techint para a Bacia de Santos, área marítima em que o equipamento será utilizado pela Petrobras para a exploração de petróleo. A embarcação suspendeu de Pontal do Sul, localidade no município de Pontal do Paraná-PR em que está localizado o estaleiro, na manhã do dia 19 de dezembro. Uma equipe de Inspeção Naval acompanhou a saída da P-76 para alto-mar.

A P-76 tem 332 metros de comprimento e 58 metros de boca. Ao todo, seis rebocadores foram utilizados para movimentar a plataforma da área do estaleiro, dois deles foram contratados de empresas especializadas na prestação deste tipo de serviço no Rio de Janeiro. Quatro rebocadores são embarcações que atuam na Baia de Paranaguá e auxiliaram no deslocamento até a saída do Canal da Galheta. Os dois rebocadores “cariocas” irão acompanhar a plataforma até o destino final.

Para liberar a navegação da P-76, a CPPR acompanhou com vistorias periódicas a construção da embarcação. No início de dezembro, foi realizada a Inspeção de Conformidade, solicitada pela empresa Techint, pelo grupo de Inspetores Navais da capitania, que verificou as condições de navegação e operação da plataforma no que refere-se à segurança da navegação, salvaguarda da vida humana e prevenção da poluição hídrica. Além disso, a CPPR atuou para aprovar o Plano de Gerenciamento de Reboque, que define todas as diretrizes para o deslocamento da plataforma entre Pontal do Paraná e a Bacia de Santos.

O Capitão dos Portos do Paraná, Capitão de Mar e Guerra Germano Teixeira da Silva, declarou que a desatracação da P-76 para operar é uma demonstração da capacidade industrial e operativa da população do Estado do Paraná. “Para a CPPR, foi um desafio e um orgulho participar como representante da Autoridade Marítima do Brasil deste processo de autorização para a entrada em operação da P-76. O povo paranaense pode enaltecer o fato de contribuir para a exploração do petróleo em alto-mar, uma importante fonte energética do País.”

Da Assessoria da Capitania

Colunistas