Logotipo

Confira como deve ser o inverno no litoral do Paraná

21 de junho de 2019

Fenômeno El Niño deve ser responsável por temperaturas mais altas

Compartilhe

O inverno começa oficialmente no Brasil na sexta-feira, 21, às 12h54, pelo horário de Brasília, e segue até o dia 23 de setembro. Segundo informações enviadas pela agência de meteorologia Climatempo, o inverno começa úmido na maior parte da região Sul do País, devido ao fenômeno El Niño, que mesmo fraco contribui para a ocorrência de áreas de instabilidade frequentes no mês de julho.

FIM DE SEMANA

O fim de semana prolongado deve receber uma frente fria que estava na Argentina e no Uruguai, trazendo chuvas, ventania e frio típico de inverno. Há condições para geada em várias áreas do Sul no dia 20 de junho. Na sexta-feira, 21, e no fim de semana, o Sul do Brasil fica com muito sol e frio, com risco de nevoeiro no início da manhã.

EL NIÑO

O fenômeno El Niño deve ser o responsável por temperaturas mais altas neste inverno, influenciando o clima no Brasil desde o verão de 2019. Um dos efeitos do El Niño, que é o aquecimento acima do normal da porção central e leste do oceano Pacífico Equatorial, na altura da costa do Peru, é dificultar a entrada do ar frio de origem polar sobre o interior do Brasil.

De acordo com o Climatempo, o inverno começa úmido na maior parte da região Sul. “A existência do El Niño, mesmo que fraco, contribui para ocorrência de áreas de instabilidade frequentes no mês de julho”, reforçou a agência de meteorologia.

TEMPERATURAS

Durante o inverno de 2019, quase todas as ondas de frio vão ser desviadas para o oceano, com poucas incursões de ar frio pelo interior do País.

“O inverno de 2019 terá poucos dias com frio intenso e deve terminar com temperaturas acima da média. O que vai predominar é a sensação de outono, com tardes relativamente quentes e noites amenas, eventualmente frias no Sul, no Sudeste e em parte do Centro-Oeste”, afirmou a Climatempo.

Esse tempo com “calor”, ou menos frio que normalmente se teria na estação deve ser sentido na maior parte do inverno nos Estados do Sul e do Sudeste e também no Estado de Mato Grosso do Sul que, durante a estação, pode sentir fortes resfriamentos provocados pela passagem do ar polar.

MAR AGITADO

O mar deve ficar agitado na sexta-feira, 21, e no sábado, 22, com risco de ressaca na sexta. Isso se deve à passagem de um forte ciclone extratropical pela região de Buenos Aires e sobre o Uruguai.

Geada

Segundo o Climatempo, é justamente o frio de julho que tem potencial para provocar geada nos três Estados da Região Sul e até algum risco para áreas de Mato Grosso do Sul, de São Paulo e para o Sul de Minas Gerais.

“Mesmo assim, o risco de geada forte é considerado apenas para áreas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e para o sul do Paraná. Os eventos que ocorrerem nas outras áreas do Paraná, em São Paulo, Mato Grosso do Sul ou no Sul de Minas não devem oferecer risco para a agricultura”, destacou a agência.

Temperatura em agosto e setembro

Os meses de agosto e setembro devem ser com pouco frio ou quase sem resfriamento intenso. A previsão é que os dois meses transcorram com dias com tardes relativamente quentes e frio ameno à noite no centro-sul do País.

CHUVAS

A chuva do inverno em áreas do Sul, do Sudeste e no Centro-Oeste depende basicamente da passagem das frentes frias. As chuvas devem diminuir em agosto, mês que deve terminar com chuva abaixo da média. Em setembro, a chuva deve retornar sobre o Sul, com a possibilidade de temporais nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.


Colunistas