Logotipo

Em discurso na tribuna, Waldir Leite diz ‘não’ ao achaque

12 de junho de 2019

Presidente da Câmara Municipal de Paranaguá, Waldir Leite, fez uso da tribuna para chamar a atenção para o assunto (Foto: Asscom Câmara Municipal de Paranaguá)

Compartilhe

Situação foi levantada em razão de acontecimentos recentes envolvendo o vereador

Durante a sessão legislativa de terça-feira, 11, o presidente da Câmara Municipal de Paranaguá, Waldir Leite, fez uso da tribuna para chamar a atenção para um assunto importante: o achaque. Tal situação foi levantada em razão de acontecimentos recentes envolvendo o vereador. Diante das circunstâncias, Leite fez questão de expor o assunto como forma de mostrar que não participa ou comunga de atitudes que venham a ferir sua conduta ética, moral e legal.

Na tribuna, o vereador fez questão de deixar claro que o recado não se dirigia à imprensa séria, responsável e que se pauta por princípios morais e éticos do jornalismo, citando os exemplos dos veículos impressos Folha do Litoral News, Gazeta Parnanguara e Diário do Comércio, além das rádios, TV e portais de notícias. “A esses veículos o meu mais profundo respeito e admiração pelo trabalho que desenvolvem e que é de fundamental importância para a nossa cidade e para a democracia”, frisou.

Contudo, Leite disse que não se pode mais admitir que pessoas baixas, travestidas de jornalistas, venham causar dissabores ao querer receber vantagens financeiras para deixar de publicar esta ou aquela notícia de cunho calunioso. “Não podemos consentir com o achaque, por isso minha manifestação dura e firme a este respeito”, pontuou Leite em seu discurso.

O presidente da Câmara de Paranaguá se referiu ainda ao conteúdo do que supostamente seriam as denúncias a serem publicadas e que teriam como alvo uma das empresas de sua família. “Trouxe para conhecimento público o faturamento de uma das empresas de meus familiares e informei, sem qualquer tipo de problema ou constrangimento, que ela já prestou serviços ao Poder Público municipal no passado. Porém deixo claro que não representa qualquer demérito prestar algum tipo de serviço a órgãos públicos. No entanto, que ninguém venha querer de forma mal-intencionada e leviana relacionar os ganhos da empresa de meus familiares a atitudes de ilegalidade, pois, em assim fazendo, responderá na Justiça”, avisou. “O fato de eu ocupar um cargo público não me dá o direito de condenar nenhuma empresa à inatividade comercial tampouco ao seu fechamento”, complementou.

Por fim, o presidente da Câmara afirmou que não abrirá espaço para conversas que não sejam republicanas dentro da Casa de Leis, pois os princípios da transparência e da observância às leis serão preceitos rigorosamente seguidos em sua gestão como presidente do Poder Legislativo Municipal e como cidadão. 

 

ASSCOM CÂMARA MUNICIPAL DE PARANAGUÁ   


Colunistas