conecte-se conosco

Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá

Abrindo uma janela no tempo – parte 1

Nessa casa viveu Iria Correia, a primeira pintora paranaense.

Publicado

em

Era uma vez um sobradinho em uma das ruas estreitas do centro da cidade de Paranaguá, em estilo colonial, coberto de telhas goivas com beiral sobre quatro janelas iguais, pequenas, em guilhotina e com caixilhos fazendo desenhos nos vidros, alguns coloridos.

Nessa casa viveu Iria Correia, a primeira pintora paranaense.

A casa da família possuía a fachada de pedras no andar térreo, e no centro, uma única porta, com uma pedra enorme, como degrau. Ela abria pela manhã e fechava à tarde.

Era como atravessar a janela do tempo…

Batíamos na porta principal da casa à espera de alguém que tivesse ouvido nossas batidas. Silêncio… Ouvia-se então o arrastar de chinelos e enfim a porta se abria. Mariquinha e Carolina, irmãs de Iria, ainda moravam lá.

A família tivera bens, escravos e uma posição social muito confortável. Os pais deixaram como herança papéis muito valiosos guardados em um baú, mas quando este foi aberto, já haviam perdido o valor. A vida de ambas foi então transformada.

Mariquinha, muito afável. As suas pequenas tranças de cabelos grisalhos rodeavam a cabeça e encontravam-se na nuca, amarradas por uma fita. Saias largas e compridas e batinha folgada. Ela era bem redonda de formas…

Carolina, apesar dos cabelos brancos, era a menina da casa, sempre rindo e alheia.

Faziam-nos entrar para a sala, em que ainda conservavam móveis austríacos: um sofá ao fundo, ladeado por cadeiras dispostas em fila, algumas almofadas de crochê.

Entre as portas havia aparadores de mármore e nas paredes retratos da família, pintados por Iria, que apesar de desaparecida muito jovem, deixou um grande acervo em óleo sobre tela, aquarelas, miniaturas em lâminas de marfim, tudo enfim, que o seu grande talento produziu durante sua curta vida e que as irmãs, Maria Cândida e Carolina Cândida guardavam com carinho e devoção como relíquias.

Enquanto conversavam os meus olhos de criança passeavam pela sala, observando os lindos e antigos objetos repousando, talvez, há muitos anos, no mesmo lugar. Tive minha curiosidade chamada para um lindo álbum de veludo azul-marinho, que jazia em um dos aparadores, recamado de arabescos dourados emoldurando a capa, com as iniciais IC no meio. Levantei-me e fui até o alvo escolhido. Mariquinha veio carinhosamente até mim dizendo, com voz suave, “eu mesma o mostrarei a você”, e pôs-se a virar as páginas, delicadamente. Foi quando desvendei o mistério do Álbum Azul Marinho de Iria Correia.

Gilka Correia

Centro de Letras do Paraná

Pesquisadora convidada do IHGP

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.