conecte-se conosco

Natal 2020

Famílias improvisarão reuniões intimistas no Natal da pandemia

Comemoração com pessoas de fora do convívio diário gera risco de transmissão da Covid-19 (Foto: Laszlo Rimoczi)

Publicado

em

Famílias improvisarão reuniões intimistas no Natal da pandemia

Orientação é que se reúnam apenas familiares de convívio diário

O Natal de 2020 será lembrado para o resto da vida, tanto por ter um simbolismo forte em tempos de dificuldade devido à pandemia da Covid-19, quanto pela necessidade de que a ceia natalina, que tradicionalmente reúne famílias inteiras, ter que passar por adaptações e concentrar apenas núcleos familiares menores. Segundo o médico João Zattar, a orientação é que haja ceias e reuniões apenas de famílias que convivem na própria residência de forma contínua e não com pessoas de fora do convívio diário. 

“Não há um número de pessoas reunidas que não tenha risco, mas recomendamos que não passe de oito pessoas em um mesmo local. E todas devem manter a distância social segura, evitando beijos e abraços e utilizando a máscara sempre que possível”, explica o médico.

Famílias em distanciamento no Natal

“Devemos preservar nossas vidas para que este Natal não se torne o último em família”, afirma o empresário Adriano Vasconcelos, que vai passar Natal em distanciamento com seu núcleo familiar (Foto: Arquivo – Antes da pandemia)

O empresário Adriano César Vasconcelos destacou que ele e sua família passarão o Natal em distanciamento, visto o período de pandemia. “O Natal é um momento do ano muito importante para mim, pois representa a fé em Deus e o amor ao próximo. Mas mais do que reunir a família, procuro reunir todos os sete integrantes mais próximos em segurança”, afirma.

“O Natal vai ser na minha casa apenas com os familiares próximos. Em casa temos álcool gel espalhado pelos cômodos e sempre estamos cuidando um do outro. Com os demais parentes estamos nos falando apenas por telefone”, explica, destacando o uso da tecnologia para superar a saudade dos familiares mais distantes.

“Sei que é difícil passar o Natal longe da família. Eu, por exemplo, gostaria de passar com meus pais, mas vou evitar esse contato por eles serem do grupo de risco. Devemos preservar nossas vidas para que este Natal não se torne o último em família”, informa Vasconcelos.

Publicitária passará Natal reservado com a mãe

Claro, gostaria muito de poder estar com todos reunidos, mas as palavras amor, cuidado e segurança vão além”, ressalta a publicitária Bianca Loechel

Para a publicitária Bianca Loechel, parnanguara que reside no Rio de Janeiro e desde março trabalha via home office em Curitiba, a reunião de Natal também precisará ser “reinventada”. “O Natal de 2020 terá um sentido ainda maior. É um momento de interiorização, de cuidados e do verdadeiro significado do nascimento. Todo final de ano é uma oportunidade de revisão, de fazer o balanço com olhar de esperança. Apesar de todos os desafios que estamos atravessando, acredito que temos um futuro a ser construído, onde precisamos agir com determinação em busca do bem e de um mundo mais justo e fraterno para todos, sem distinção. Será realmente hora de colocar a nossa confiança e firmar nossos valores no que realmente acreditamos”, ressalta.

De acordo com Bianca, é costume em sua família uma confraternização natalina grande, com irmãos, sobrinhos, amigos e pais, mesmo todos morando em cidades diferentes. “Mas em função da pandemia eu e meus irmãos decidimos manter todos em segurança neste período de festas, evitar fazer viagens e aglomerações por conta da pandemia. Nos últimos anos, a ponte aérea entre Rio, São Paulo, Curitiba e descer para Paranaguá para matar a saudade era algo rotineiro. Este ano cuidar e preservar quem amamos é essencial e virou regra e prioridade na minha vida. Há alguns meses estou trabalhando remotamente em Curitiba para estar mais perto da minha mãe, com quem pretendo passar a data cumprindo todos os protocolos”, explica. 

Segundo ela, o sentimento neste Natal, apesar de todas as dificuldades, é de gratidão por superar as adversidades durante o ano difícil. “Claro, gostaria muito de poder estar com todos reunidos, mas as palavras amor, cuidado e segurança vão além. É um olhar de um novo ano que vai começar com a preparação e a mentalidade verdadeira do nascimento de Jesus Cristo em nossos corações”, relata.

De acordo com ela, é possível comemorar o Natal com responsabilidade e consciência coletiva perante a pandemia. “Os novos tempos pedem essa consciência e responsabilidade. Se cada um fizer a sua parte, sairemos mais rápidos e mais fortes disso tudo”, finaliza. 

Leia também: Papai Noel usa a criatividade no “Natal da Pandemia”