conecte-se conosco

Natal 2021

Bispo de Paranaguá destaca o verdadeiro sentido do Natal

A festa proclama a fraternidade universal

Publicado

em

O bispo de Paranaguá, Dom Edmar Peron, destaca o verdadeiro significado do Natal, e crê que a data pode ser uma festa celebrada por todas as pessoas, e não somente por aquelas que partilham a fé cristã, pois ela proclama a fraternidade universal.  “Em Jesus Cristo todas as pessoas são chamadas a se reconhecer irmãs, pois Deus enviou o seu Filho ao mundo para que, assumindo a nossa humanidade, pudéssemos participar de sua vida, viver como filhos e filhas de Deus. Os elementos fundamentais para compreender tal festa são tomados da Bíblia. Os profetas, especialmente Isaías, anunciaram a vinda de um futuro rei-messias, enviado por Deus para libertar o seu povo.

Segundo a tradição cristã, após uma longa espera a profecia se realizou em Jesus Cristo, nascido de Maria: “Não tenha medo, Maria […]. Eis que você vai ficar grávida, terá um filho, e dará a ele o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo. E o Senhor dará a ele o trono de seu pai Davi, e ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó. E o seu reino não terá fim” (Lc 1,30-33).

Diante de Jesus, cada pessoa é interpelada a dar uma resposta livre e pessoal: os pastores foram às pressas e encontraram Maria, José e o recém-nascido deitado na manjedoura; os magos vieram do Oriente e, ao entrar na casa, “viram o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, o homenagearam; o rei Herodes, porém, procurou “o menino para o matar”, lembra dom Edmar.

Natal 2021

O Natal de 2021 é significativo para a Diocese de Paranaguá, pois é celebrado no ano em que completa sessenta anos de criação. “Em 21 de julho de 1962, o Papa João XXIII criou a nossa Diocese, desmembrando-a inteiramente da Arquidiocese de Curitiba. São treze municípios, nos quais encontram-se vinte e duas paróquias, dois santuários, uma reitoria e o seminário diocesano, e se revela a rica diversidade geográfica e cultural. Espero que a Diocese, com as celebrações do Natal de Jesus Cristo, neste ano jubilar, redescubra sua vocação missionária, pois foi assim que ela foi pensada:  Diocese missionária de Paranaguá. Vocação assumida cada dia à luz do Sínodo 2021-20123: Por uma Igreja Sinodal, caracterizada pela comunhão, participação e missão. Com a dedicação comum dos padres, diáconos e seminaristas, religiosas, leigos e leigas certamente daremos novos passos para que esta Diocese seja um sinal de esperança na realidade concreta dos doze municípios que a compõem”, enfatiza.

Questionado se a pandemia aumentou muito a pobreza e a desigualdade social, Dom Edmar considera que foram reveladas neste período. “A resposta a essa pergunta exigiria um embasamento científico e técnico sobre a situação concreta da população. Consciente de minha limitação, acredito ser importante considerar que a pandemia não criou as desigualdades sociais existentes em nosso país, mas as revelou e, infelizmente, as fez crescer muito”, externa Dom Edmar, destacando também que os padres o têm ajudado a compreender tal crescimento da pobreza relatando que suas comunidades aumentou o número das pessoas que pedem ajuda.

“Aos muitos dos mais pobres que eram atendidos pelos diversos grupos e organizações pastorais se uniram neste tempo os que perderam o emprego, os que não conseguem pagar o aluguel, nem comprar o gás e, para vergonha do nosso país, sequer conseguem comprar alimentos. Muitos dos pobres se tornaram miseráveis e pessoas que antes ajudavam, agora buscam auxílio. Ainda que não tenhamos o suficiente para atender todos os que nos procuram, a generosidade das pessoas tem sido maior neste tempo do que antes da pandemia. O tempo do Natal – estou certo – nos apresenta Jesus que, do Presépio, com meiga força, “proclama o apelo à partilha com os últimos como estrada para um mundo mais humano e fraterno, onde ninguém seja excluído e marginalizado” (Francisco, Admirável mistério, 6). Sim, mesmo vivenciando muitas perdas é importante que o Natal nos ajude a manter o coração aberto para a esperança, o amor e a solidariedade”, completa.

Mensagem de Natal

Dom Edmar aproveita para deixar sua mensagem de Natal. “Quero desejar um Feliz Natal a todos os cidadãos, especialmente aos que participam de nossas comunidades católicas, proponho o cultivo de duas atitudes: a prontidão e a fraternidade.

A prontidão dos pastores que foram depressa a Belém, em busca do Salvador recém-nascido, sem procrastinar para outro dia ou momento. E Jesus se deixa encontrar por toda pessoa que o procura; ele enche o seu coração e sua vida com a alegria do Evangelho, concedendo-lhe a salvação, a libertação do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento”, destaca. “Com Jesus Cristo, a alegria renasce sem cessar” (Papa Francisco). E a fraternidade, pois o nascimento de Jesus nos torna todos irmãos e irmãs.

Nossas cidades carecem de fraternidade para superar desigualdades e violências e fazer nascer dias de paz. Poderíamos manifestar que a outra pessoa é nossa irmã ao menos pelo perdão mútuo e pela solidariedade generosa.  Um santo e, por isso, feliz Natal a todos vocês, irmãos e irmãs”, finaliza o bispo de Paranaguá.