conecte-se conosco

Ano Novo 2022

Enfermeiro relata atuação em prol da saúde e vida das pessoas no Ano Novo

Carlos Henrique Souza da Silva atua há 13 anos em plantão no Réveillon

Publicado

em

“Por mais que tenha vontade de passar com minha família, tem algo dentro de mim que sempre fala que há pessoas precisando da minha ajuda, do meu serviço e isso me motiva”, afirma Carlos

O Réveillon é algo aguardado pela maioria das pessoas devido às confraternizações entre família e amigos celebrando o ano que passou e o que está por vir, algo que se intensifica ainda mais em tempos de pandemia e com o avanço da vacinação. Para que esta confraternização mundial ocorra, há profissões que não podem deixar de atuar para garantir a segurança e o bem-estar de todos.

Carlos Henrique Souza da Silva, enfermeiro que atua na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Baduca e no Hemepar de Paranaguá, fará plantão neste Ano Novo e explica um pouco da sua missão em prol da vida e saúde da população. Além disso, Carlos afirma a importância da compreensão da esposa, Anaíde de Almeida Paixão Silva, a “Ana”, e de todos os familiares, em aceitar a ausência dele nas festas de Réveillon cientes da missão do seu ofício e dos plantões que ocorrem há 13 anos em sua vida profissional.

“Sou formado há 17 anos e há 13 trabalho em regime de plantão. Já trabalhei vários Réveillons e outras datas comemorativas. “Por mais que tenha vontade de passar com minha família tem algo dentro de mim que sempre fala que há pessoas precisando da minha ajuda, do meu serviço e isso me motiva”, explica o enfermeiro.

Comemoração com janta e retorno das pessoas atendidas

No Réveillon, Carlos afirma que ele e os outros profissionais que atuam em plantão se programam para fazer uma janta especial. “Infelizmente não conseguimos participar todos juntos, pois temos que dividir para não parar o atendimento”, explica. O enfermeiro afirma que, infelizmente, a maioria dos cidadãos não presta atenção que enquanto eles estão festejando, há pessoas trabalhando para o bem-estar de quem precisa. “Mas sempre tem aquelas boas almas que te olham e te enxergam te desejando coisas boas”, observa.