Logotipo

Secretária de Assistência Social destaca aumento de 20% no investimento da pasta desde 2017

22 de setembro de 2019

“As demandas da pasta são extremamente desafiadoras e trazem em sua esteira a defesa dos direitos, violados ou em risco, de idosos, mulheres, crianças e adolescentes, pessoas com deficiência, pessoas em situação de rua, além do atendimento a famílias que sofrem com os mais variados tipos de vulnerabilidades”, afirma a secretária Gisele da Silva (Foto: Divulgação)

Compartilhe

Gisele Cristina da Silva, servidora pública do município há 22 anos, explica avanços obtidos

Servidora pública da Prefeitura de Paranaguá há 22 anos, Gisele Cristina da Silva foi nomeada pelo prefeito Marcelo Roque como secretária municipal de Assistência Social no final de agosto de 2019. Casada com Alexandre e mãe de Matheus, de 10 anos, Gisele exerce função de liderança dentro da Secretaria de Assistência Social (Semas) desde 2016, sendo superintendente da pasta já no início da gestão atual.

Formada em Administração de Empresas, atualmente a gestora é acadêmica de Direito, algo que demonstra sua busca constante por evolução profissional, sendo outra característica sua a gratidão aos secretários anteriores da pasta com quem atuou e ao prefeito pela confiança em seu trabalho. Gisele destaca os diversos avanços obtidos na secretaria na gestão atual, com aumento de 20% nos investimentos na área de assistência social e soma de esforços com outras secretarias e sociedade. Confira a entrevista:

Folha do Litoral News: A senhora possui uma função essencial dentro da Secretaria de Assistência Social (Semas) há muitos anos, algo sacramentado pela nomeação como secretária. Como foi sua evolução profissional na pasta? 

Gisele: É importante dizer que antes da gestão do prefeito Marcelo Roque ocupei os cargos de diretora e de secretária de Assistência Social, por um curto período de tempo, até dezembro de 2016. Em janeiro de 2017, assumi a Superintendência da pasta. Nos últimos anos tive a honra de trabalhar com alguns gestores que marcaram muito o meu histórico profissional, posso citar dona Neuza Mari Machado, com quem comecei a aprender a parte técnica socioassistencial; Dr. Levi de Andrade, um grande entusiasta, Darci Borba, um homem que, entre outras qualidades, é extremamente diplomático, pacificador, e acredito que isso e tantas outras influências me encorajaram a aceitar esse desafio maravilhoso que é estar à frente desta pasta tão complexa. Estar Secretária de Assistência Social é me ver em um lugar de fala diferente e com a oportunidade de colocar em prática mais projetos, meus e de uma equipe extremamente competente que trabalha ao meu lado, além dos que já tivemos oportunidade de implementar até então.

Folha do Litoral News: Quais os principais avanços que você observou na atual gestão na área de assistência social em Paranaguá?

Gisele: Especialmente com relação a essa gestão da Semas posso citar inúmeros avanços, entre eles: inauguração de uma unidade socioassistencial na Ilha dos Valadares e da nova sede de Assistência Social; implantação do programa Família Acolhedora no município; aumento de mais de 300% na oferta de benefícios eventuais para a população (cesta básica, auxílio funeral, auxílio natalidade, entre outros), aumento significativo da frota para atendimento administrativo e visitas técnicas domiciliares à população; implantação de um programa municipal de capacitação de servidores e da população; apoio à implantação de novos conselhos de direitos e à retomada de atividade de outros; parcerias firmadas com unidades de acolhimento para idosos no município (repasse de recursos); inauguração de um novo espaço para atendimento do Conselho Tutelar; contratação de prestação de serviços voltados à pessoa idosa, em parceria com a Secretaria de Saúde; inauguração do CEU das Artes no Jardim Iguaçu, em parceria com a Secretaria de Cultura e Turismo e a Secretaria de Esportes, entre tantas outras conquistas diárias da nossa valorosa equipe de trabalho.

Folha do Litoral News: Quais as principais metas da sua gestão como secretária para os próximos anos?

Gisele: As demandas da pasta são extremamente desafiadoras e trazem em sua esteira a defesa dos direitos, violados ou em risco, de idosos, mulheres, crianças e adolescentes, pessoas com deficiência, pessoas em situação de rua, além do atendimento a famílias que sofrem com os mais variados tipos de vulnerabilidades. Temos como metas prioritárias as crianças, adolescentes e idosos, mas também trabalharemos incansavelmente pelas outras áreas. Como destaque eu colocaria: Busca pelo contínuo fortalecimento do trabalho em rede (Saúde, Segurança, Educação, Trabalho, Cultura e Assistência Social), uma vez que a Política de Assistência Social é um elo entre todas as demais políticas, já que as vulnerabilidades das pessoas que nos acessam por vezes só são resolvidas a partir de um trabalho integrado; bem como estabelecimento de parcerias com as entidades da sociedade civil organizada que já desenvolvem trabalhos importantes para a população.

Folha do Litoral News: Qual a importância de você ser funcionária pública municipal há 22 anos para entender de forma mais ampla os anseios da pasta?

Gisele: Posso dizer que temos secretários extremamente competentes nas mais diversas pastas do município, servidores públicos de carreira ou não, não obstante, o prefeito Marcelo Roque confiou a maioria das secretarias a servidores de carreira. Acredito que a importância da atuação de servidores está no fato de conhecermos de perto, por força da atuação, os problemas e potencialidades das pastas em que atuamos. Além disso, a maioria dos secretários se conhece de longa data e isso facilita o trabalho em equipe.

Folha do Litoral News: Quais as principais necessidades e avanços que estão sendo feitos ou serão feitos na questão das políticas públicas para moradores em situação de rua e na área da infância e juventude?

Gisele: O prefeito Marcelo Roque nos fez um pedido especial, que trabalhássemos em parceria com a Secretaria de Saúde num importante projeto voltado à pessoa em situação de rua, com previsão de formalização ainda neste trimestre. Com relação ao trabalho voltado a crianças e adolescentes, entre outros serviços, projetos e programas voltados à população dessa faixa etária de modo geral, destacaria que a SEMAS abriu um processo de contratação para manutenção de um outro imóvel municipal que vai sediar de maneira mais adequada e confortável a Unidade de Acolhimento Institucional. Atualmente, especificamente nessas áreas, a Semas já desenvolve um trabalho voltado à pessoa em situação de Rua, no Centro POP (serviços e abordagens) e voltado a crianças e adolescentes, principalmente nas suas duas Unidades Municipais de Acolhimento Institucionais e no Centro de Referência Especializado de Assistência Social - CREAS.

Folha do Litoral News: Recentemente foi anunciada pelo município a inauguração do novo Centro de Convivência do Idoso. Onde este espaço será localizado e qual a importância dele para a área de assistência social?

Gisele: O Centro de Convivência do Idoso - EnvelheSer - funcionará em imóvel localizado na área central do município, em endereço a ser divulgado dentro de alguns dias, com previsão de inauguração de sua sede em 1.º de outubro. Trata-se de uma contratação firmada pelas secretarias de Assistência Social e Saúde, para atendimento mensal gratuito de até 500 idosos, voltada à prestação de serviços de saúde, exames laboratoriais e eletrocardiogramas, atividades físicas (entre elas hidroginástica), serviço de convivência, eventos, inclusão digital, fisioterapia, atendimento sociojurídico, cursos, entre outros. Serviços como hidroginástica e demais atividades físicas ainda contarão com outros espaços para sua execução. Sem dúvida será um importante trabalho voltado às pessoas idosas em Paranaguá. Trata-se de um serviço idealizado no passado pelo saudoso prefeito Mário Roque que finalmente sai do plano das ideias e se torna realidade na gestão do seu filho, atual prefeito da cidade.

Folha do Litoral News: Qual a importância do Poder Público focar investimentos na área de assistência social como forma de apoio contínuo à população e de redução da desigualdade social?

Gisele: É público que, a nível nacional, a Política de Assistência Social vem sofrendo cortes no orçamento, extinção de Conselhos e Órgãos. Na contramão desse cenário, em Paranaguá, desde o início da gestão do prefeito Marcelo Roque, o orçamento com recursos próprios do município voltados a essa politica aumentou em quase 20%, o que possibilitou a implementação de novos postos de atendimento, ampliação na concessão de benefícios e o apoio à abertura e reativação de Conselhos de Direitos. Ainda temos um grande trabalho pela frente e os investimentos nessa área são primordiais.

Folha do Litoral News: De que maneira a população pode se informar sobre o trabalho da Secretaria de Assistência Social?

Gisele: Por meio do site da prefeitura, de nossas redes sociais ou diretamente nas nossas unidades de atendimento (CRAS, CREAS, Centro POP e outros).

 


Colunistas