Logotipo

Secretária aponta vários avanços na área de Saúde em Paranaguá

30 de junho de 2019

Lígia Regina de Campos Cordeiro, atua no cargo desde outubro de 2018.

Compartilhe

Vários avanços vêm sendo registrados na área de Saúde de Paranaguá, conforme avaliou a secretária da pasta, Lígia Regina de Campos Cordeiro, em entrevista exclusiva à Folha do Litoral News nesta semana. Atuando no cargo desde outubro de 2018, ela elencou melhorias que estão sendo proporcionadas como o aumento da cobertura do ESF para 85% da população, a entrega de três novos postos nos bairros Leblon, Porto Seguro e Ilha dos Valadares no aniversário de 371 anos de Paranaguá e a tão esperada unidade avançada do Hospital Erasto Gaertner, o que vai trazer mais qualidade de vida a pessoas de Paranaguá e de outras cidades da região que passam por tratamento contra o câncer. 
Lígia completa na quarta-feira, 3 de julho, 19 anos de Prefeitura de Paranaguá. É concursada como guarda civil municipal, atuando na Secretaria Municipal de Segurança em várias frentes. Passou pelos módulos, no Departamento de Trânsito (hoje superintendência), foi supervisora do Perto (Programa de Estacionamento Regulamentado) e na área administrativa. Também realizou trabalho como pregoeira e foi presidente da Comissão Permanente de Licitação (CPL), de toda a prefeitura. Atuou como superintendente de Licitação e Compras e na Comissão de Fiscalização dos Contratos Administrativos Municipais (Cefecam). Em 2016 foi nomeada como superintendente de Gestão em Saúde, permanecendo no posto até outubro do ano passado, quando assumiu como secretária. Confira a entrevista. 


Folha do Litoral News: Quais as principais ações que a administração do prefeito Marcelo Roque vem realizando em prol da saúde dos parnanguaras? 

Lígia: Estamos tendo muitos avanços em nossa saúde. Ao longo destes dois anos e meio investimos bastante para que nossa população tenha um atendimento melhor e sabe-se que estamos tendo bastante êxito. Logicamente temos muito a evoluir, mas é importante destacar o que já conquistamos até aqui. Um dos principiais avanços foi com relação à UPA. Hoje não temos mais falta de médicos, problema que era rotineiro antigamente. Fizemos um contrato para prestação de plantões e também implantamos um sistema de seleção de pacientes conforme a gravidade de seu estado clínico, priorizando, logicamente, os casos mais graves. Também orientamos sobre casos que não têm gravidade, que podem ser atendidos no posto de saúde. Ainda investimos R$ 3,4 milhões na compra de 28 veículos para a Saúde, incluindo ambulâncias, vans e micro-ônibus para Transporte Fora do Domicílio (TFD) e para atender setores importantes, como a atenção básica, que inclui uma rede com 19 unidades básicas, que precisam de transporte para diversas situações. Não posso esquecer de outro grande feito desta administração, a reforma do antigo Centro Municipal de Especialidades (CME), que atualmente abriga a sede administrativa da Secretaria de Saúde. Era um prédio abandonado, que virou mocó de pessoas em situação de rua e usuários de drogas e que também tinha inúmeros criadouros do mosquito Aedes Aegypti. Foi um grande ganho para nossa cidade. Outro avanço é a entrega de kit lanche ao paciente e ao seu acompanhante que faz viagem para tratamento médico em Curitiba e na região metropolitana. Enfim, são vários avanços que registramos e temos uma programação de investimentos bem importante para nossa população. 

Folha do Litoral News: Quais seriam esses investimentos? É possível adiantar alguns deles?

Lígia: Durante as comemorações do aniversário de 371 anos de Paranaguá temos a intenção de realizar a entrega de três unidades básicas de saúde novas para nossa população, nos bairros Leblon, Porto Seguro e Ilha dos Valadares. Além disso, estamos realizando processo licitatório para ampliar e reformar a estrutura do Pronto Atendimento, tendo assim condições de transformá-la em uma UPA de verdade, inclusive com certificação do Ministério da Saúde. Até o final deste ano ainda temos prevista a entrega de embarcação para atendimento de nossas ilhas e comunidades pesqueiras, mais ônibus, vans e ambulâncias, um Odontomóvel, o próprio prédio da unidade avançada do Hospital Erasto Gaertner e até uma unidade móvel para intensificarmos a vacinação em nossa cidade. 

Folha do Litoral News: O posto de saúde é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). Como está a atenção básica em Paranaguá, tendo em vista que pela Constituição Federal cabe ao município?

Lígia: É no posto de saúde que a coisa tem que acontecer. Saúde não é só tratar o paciente quando ele já está doente. Temos que trabalhar na prevenção, até porque tratar custa muito mais caro. Estamos com um planejamento para intensificar ainda mais os serviços de prevenção em saúde. Priorizamos a atenção básica, que é o que nos compete constitucionalmente, na administração do prefeito Marcelo Roque. No início de 2017, tínhamos apenas oito equipes do Estratégia Saúde da Família (ESF). Tomamos várias medidas para melhorar esse serviço, que visa a atender a família como um todo, da criança ao idoso, levando orientações, trabalhando a prevenção e acompanhando pacientes que já estão doentes. Passamos para as 33 atuais equipes de ESF, ampliando a cobertura. Atualmente, 85% da nossa população é atendida pelo ESF, o que muito nos orgulha. 

Folha do Litoral News: Como avalia o atendimento em horário estendido, implantado na gestão atual?

Lígia: Numa atitude pioneira implantamos o horário estendido, estratégia que recentemente também foi adotada pelo Governo Federal. Muitos parnanguaras que trabalham o dia inteiro não tinham tempo de procurar os serviços de saúde e hoje têm essa possibilidade. Hoje são seis unidades básicas atendendo à noite, das 18h às 23h, trazendo mais qualidade de vida à nossa população. Estamos passando por um período de profunda avaliação do funcionamento dessas unidades no período noturno. A partir da próxima segunda-feira, vamos interromper o atendimento no posto da Gabriel de Lara, porque identificamos baixa procura. Não compensava manter uma estrutura enorme, com gastos altos com pessoal, luz, água, telefone, Internet, para atender um número reduzido de pacientes. Por outro lado temos resultados muito positivos, como o da Vila Garcia, onde teremos que ampliar o número de pessoas da equipe que presta atendimento, devido à alta procura. 

Folha do Litoral News: E o combate ao mosquito Aedes Aegypti, como está em nossa cidade?

Lígia: Estamos diariamente em todos os cantos da cidade, combatendo o mosquito, fazendo um trabalho de prevenção, com orientações à população, e também eliminando os criadouros. É uma situação preocupante, porque não queremos que no verão tenhamos uma epidemia de dengue como a que tivemos em 2016, resultando em 30 mortes. A Prefeitura de Paranaguá está fiscalizando, orientando e também notificando situações irregulares. Temos legislação específica também para multar aqueles que não respeitarem as regras, mas após a notificação damos três dias úteis e na grande maioria a situação é resolvida. O prefeito Marcelo Roque sempre fala, e eu endosso, que nossa população tem que fazer sua parte nesta guerra que devemos combater diariamente. Sozinho o Poder Público não conseguirá vencer esse embate. 

Folha do Litoral News: A senhora tem procurado resolver problemas que são recorrentes, como a contratação de profissionais, algo que ocorre em diversos municípios no País. Tem conseguido atingir este objetivo?

Lígia: A demanda é grande na área de saúde e mesmo que os investimentos que o prefeito Marcelo Roque fez tenham sido acima do recomendado pela Lei de Responsabilidade Fiscal há muito por se fazer. Temos algumas deficiências de pessoal em algumas áreas específicas. Como já falei, faltavam médicos para a UPA e sanamos o problema contratando uma empresa para prestar plantões e felizmente não vemos mais reclamações sobre isso. No Estratégia Saúde da Família também temos equipes completas atuando e a situação também é tranquila. Como toda cidade do interior temos dificuldades para contratar médicos especialistas. Mesmo sabendo que essa é uma prerrogativa do Governo do Estado, estamos com o projeto para implantar a Fundação Municipal de Saúde, que prestaria esse serviço e seria paga para tal. 

Folha do Litoral News: Recentemente foi realizada uma audiência pública para se discutir a criação da Fundação Municipal de Saúde. Como avalia e quais os benefícios que pode trazer à população?

Lígia: Solucionaríamos o problema de consultas com médicos especialistas e exames de média complexidade, evitando que os pacientes precisem ir se tratar em Curitiba e nos municípios da região metropolitana. Mesmo oferecendo transporte de qualidade, já que compramos vans e micro-ônibus novos, entregamos kit lanche para o paciente e seu acompanhante, nada melhor do que ter atendimento perto de casa, sem o transtorno e os riscos que uma viagem proporcionam. O projeto de lei da Fundação será enviado para análise da Câmara Municipal em julho e assim que for aprovado queremos implantá-la para minimizar essa questão. Tenho certeza de que nossa população será bastante beneficiada, mas vale lembrar que outros municípios da região também estão interessados nestes serviços. Ou seja, Paranaguá se tornará uma referência para tratamento em algumas especialidades e receberá por tais procedimentos. 

Folha do Litoral News: O prefeito Marcelo Roque assinou na tarde de quarta-feira, 26, ordem de serviço para a obra de adequação do prédio onde vai funcionar a unidade avançada do Hospital Erasto Gaertner. Qual o é prazo de execução desta adequação e em quanto tempo iniciará o atendimento? 

Lígia: A empresa que venceu a licitação para realizar as adequações do prédio tem 180 dias para executar o serviço, ou seja, até o final de dezembro. A previsão da própria equipe do Hospital Erasto Gaertner é que 30 dias depois a unidade entre em funcionamento. Estamos realizando as licitações para compra dos equipamentos e mobiliários necessários para que a unidade avançada possa oferecer o atendimento devido às pessoas em tratamento contra o câncer. A instalação deste espaço em nossa cidade vai melhorar substancialmente a vida desses pacientes, que não precisarão mais fazer viagens após procedimentos como a quimioterapia, que os deixa bastante debilitados, normalmente. É um ganho enorme também para as famílias, que acabam sofrendo junto ao ver seu ente querido numa situação dessa. A unidade avançada do Hospital Erasto Gaertner está sendo muito aguardada em nossa cidade e estamos fazendo tudo o que é possível para que ela entre em funcionamento o quanto antes. 

Folha do Litoral News: Como ficará a contratação da mão de obra para trabalhar nesta unidade?

Lígia: A parte de pessoal fica por conta totalmente da equipe do Erasto e também não poderia ser diferente, já que eles têm larga experiência neste assunto. Nesta semana o superintendente do hospital, Adriano Lago, informou que haverá a seleção de profissionais durante esse período em que a obra está sendo realizada e que o treinamento ocorrerá em Curitiba. Também fomos informados de que paralelo a isso serão selecionados os pacientes de Paranaguá e região que estiverem fazendo tratamento na capital para que possam ser encaminhados para realização de quimioterapias e consultas na unidade avançada de Paranaguá, se assim houver possibilidade clínica para tal. Logicamente que cirurgias, radioterapias e outros procedimentos de maior complexidade continuarão tendo que ser feitos somente lá em Curitiba. 

Folha do Litoral News: Qual mensagem a senhora deixa aos usuários dos serviços de saúde em Paranaguá?

Lígia: Quero dizer que é uma preocupação do prefeito Marcelo Roque oferecer o melhor em saúde para nossa população. Nossa equipe da Secretaria está se dedicando diariamente para isso. Precisamos apoio de nossa população para continuar avançando. Mas tenham certeza de que estamos fazendo história porque nossa saúde está sendo tratada com o máximo de responsabilidade e respeito pelos nossos cidadãos usuários.
 


Colunistas