Logotipo

Presidente fala dos preparativos para o cinquentenário do Rotary Club de Paranaguá Rocio

18 de agosto de 2019

O Rotary Rocio é presidido atualmente pelo  advogado Ivan Lapolli Filho.

Compartilhe

No Rotary, existe um revezamento anual de todo conselho diretor do Club e o Rotary Rocio nunca teve reeleição nos seus 49 anos de existência.

Atualmente, o Rotary Rocio é presidido pelo advogado Ivan Lapolli Filho, formado em 1988 pela PUC/PR.

Ivan Lapolli Filho é especialista em Direito Marítimo, Portuário e Aduaneiro e Consultor de Empresas  em Processo de Internacionalização no Paraguai, Argentina e Uruguai. É casado  com Cristiane Chede Lapolli e tem um filho, o advogado Luigi Chede Lapolli. 

A História de Ivan Filho com o Rotary é muito longa. Quando nasceu, seu pai, Ivan Lapolli,  já era rotariano.  Foi rotaractiano em Curitiba, enquanto estudava e trabalhava. Ingressou no Rotary em 1996, depois se afastou por motivos profissionais e regressou em 2017. Nesta entrevista, Ivan Lapolli Filho fala dos preparativos para as comemorações de 50 anos do Rotary Club de Paranaguá Rocio, bem como dos projetos que estão sendo desenvolvidos em Paranaguá. Confira a entrevista:

 

Folha do Litoral News: O Rotary Club de Paranaguá Rocio se prepara para comemorar, em 2020, 50 anos. O que o senhor poderia nos adiantar?

Ivan Lapolli: As comemorações começaram no dia 15 de agosto com a palestra do secretário Ney Leprevost Neto, e seguem com outras que serão divulgadas oportunamente, mas de grande relevância. O Rotary não é um clube filantrópico, e sim de serviço.

A ideia das palestras e outros eventos comemorativos decorrem da posição do Conselho Diretor da gestão 2019/2020 de que o clube tem que comemorar seu jubileu junto com a comunidade, seus parceiros e fomentadores, trazendo palestras que vão trazer conhecimento e destacar a nossa cidade cada vez mais no cenário estadual, como cidade receptiva na esfera cultural, que, aliás, é tradição do município. Vamos manter a tradição inovando cada vez mais.

O Rotary, com suas parcerias, já trouxe a peça de teatro Júlia e a Orquestra Sinfonia Brasil, com o maestro Norton Morozowiski. A exposição da artista Lucy Orquiza sobre “Frida Khalo” foi uma parceria entre Rotary, Centro de Letras e Secultur.

A segunda Expoflor será em outubro e a terceira em maio de 2020. Alguns projetos em andamento serão mantidos e aprimorados, tais como Boa Visão, Cadeira de Rodas, que torcemos para que sejam perenes como o Projeto Vila Santa Maria.

O mantra para a gestão 2019/2020 é que, com parcerias e apoio da cidade, a comunidade sempre vai ganhar.

A responsabilidade do Rotary Rocio é agregar cada vez mais a família rotária, com o Rotaract que comemorou recentemente 21 anos e o Interact, que são a inspiração do Clube na presente gestão. É para ele que fazemos Rotary. Eles serão os rotarianos de amanhã.

 

Folha do Litoral News: Como nasceu o Projeto Vila Santa Maria?

Ivan Lapolli: O Rotary Club de Paranaguá-Rocio, em meados da década de 70/80, promoveu amplo trabalho com vistas a reabrir o Hospital Infantil que depois recebeu o nome de Hospital Dr. Antonio Fontes, que havia encerrado suas atividades, por determinação da Vigilância Sanitária, em função das precárias condições de suas instalações. Após rápida e bem-sucedida campanha, com a orientação do Dr. Ivan Beira Fontoura, renomado médico pediatra e diretor do Hospital Pequeno Príncipe de Curitiba, o Hospital Infantil Dr. Antonio Fontes foi reformado e reinaugurado, voltando a servir à comunidade de Paranaguá e região. Em reconhecimento ao trabalho, o Dr. Ivan passou a integrar o quadro social do clube, na categoria de sócio honorário, título que veio a selar uma duradoura amizade. No início de 2007, o Dr. Ivan aposentou-se e transferiu sua residência para o balneário de Shangri-lá, em Pontal do Paraná, onde foi convidado a participar do Rotary Club local, na categoria de sócio representativo.

Em sua posse, presenciada por associados do Rotary Club de Paranaguá-Rocio, manifestou o desejo de participar de um projeto que melhorasse as condições de vida de uma área pobre de Paranaguá. Imediatamente os rotarianos do clube conseguiram junto à Mitra Diocesana de Paranaguá, uma antiga construção que estava abandonada, na Vila Santa Maria, o "Lixão” da cidade, onde, por tempos, funcionou uma unidade da Pastoral da Criança.

Convidado para conhecer o local, o Dr. Ivan concordou em estabelecer no local um posto de atendimento médico pediátrico para beneficiar crianças da vila e da região.

O Rotary Club reformou o prédio e equipou o consultório de forma a dar condições de trabalho ao médico. Em convênio com o município, foi estabelecida uma pequena farmácia com produtos da lista básica de medicamentos da prefeitura. Ficou estabelecido que os medicamentos necessários e inexistentes na farmácia do consultório seriam requisitados pelos médicos e adquiridos em farmácia comercial próxima, sendo o seu custo pago pelo Rotary mensalmente.

Em setembro de 2007, o Dr. Ivan, auxiliado pela enfermeira Dona Eva, sua esposa, iniciou seu trabalho junto às crianças da Vila, atendendo duas vezes por semana cerca de 15 consultas por dia. Assim surgiu o Projeto Vila Santa Maria que já tem 19 anos.

Em meados de 2011, a Dra. Lucia Arakaki Neves, médica pediátrica de Paranaguá, encantada com o projeto, passou a oferecer seu voluntariado uma vez por semana, nas tardes de quarta-feira, auxiliada por seu esposo Oromar Neves.

Também em 2011, a Secretaria Municipal de Saúde passou a atender a comunidade adulta do bairro, designando um clínico geral que oferece consultas uma vez a cada 15 dias. Com a ajuda da comunidade, dos médicos voluntários e da prefeitura, o projeto segue sempre melhorando e se aperfeiçoando.

Em novembro de 2013, face às condições de saúde e a adiantada idade, 90 anos, o Dr. Ivan deixou de prestar atendimento às mais de 600 crianças que estavam fichadas no consultório, agregando essa clientela à da Dra. Lúcia que ficou assoberbada de clientes.

Ciente dessa situação, a Secretaria Municipal de Saúde designou uma pediatra para atender, uma vez por semana, a comunidade da Vila.Hoje presta atendimento na área de pediatria, uma vez por semana a Dra. Lúcia, médica voluntária, e dois dias a Dra. Cíntia Digiovani, médica pediatra da prefeitura.

O trabalho dos profissionais de saúde não se restringiu e não se restringe à área médica, tem acentuada influência na qualidade e no modo de vida da comunidade, em especial nos hábitos de higiene e no planejamento familiar.

No final do ano de 2008, o Rotary Club de Paranaguá Rocio, em parceria com a SOAMAR/PR, adquiriu um consultório odontológico portátil e montou um gabinete para dentista na sede do projeto, sendo que a Soamar/PR montou outro na Escola Almirante Tamandaré. Foi assinado um convênio com a prefeitura, a qual cedeu um cirurgião dentista e um auxiliar para, semana sim semana não, atender as crianças da Escola e do Projeto Santa Maria. Por dificuldades logísticas, lamentavelmente, após dois anos, o convênio foi suspenso pela prefeitura.

Devido às condições precárias do prédio onde funcionava o projeto, construído em parte de madeira, o rotariano Antônio Demo, com ajuda de amigos e de empresários, conseguiu doações e materiais suficientes para reformar o imóvel, melhorando consideravelmente as condições de trabalho dos médicos.

O projeto Santa Maria conta com a ajuda da sra. Tereza, voluntária da comunidade que desde o início do projeto supervisiona a utilização do imóvel e marca as consultas. Sem ela não teríamos condições de manter o projeto funcionando

No salão de aproximadamente 70 metros quadrados existente no prédio, são realizados cursos e reuniões comunitárias.

 

Folha do Litoral News: E quais são os projetos da atual gestão?

Ivan Lapolli: Hoje o Clube tem em parceria com a Unespar pelo menos dois projetos em andamento. Esperamos cada vez mais o engajamento em outros projetos. Um deles é o Curso de Plantio e Comercialização de Ervas Medicinais, que são projetos que visam a trazer renda para comunidades de Alexandra e Vila Santa Maria, pois são orientações no cultivo, armazenamento, utilização e beneficiamento das ervas medicinais orgânicas, apresentados pela Agrônoma Caroline Flores e pela Administradora Amanda Cury, sob a coordenação do Professor Adilson Anacleto, contando o Rotary Rocio com as parcerias do Interact, Rotaract e Paranaguá Criativa. O Curso, sem custo algum será dia 17, em Alexandra, e dia 24 na Vila Santa Maria. Ainda, o curso pode se expandir para várias colônias e comunidades pesqueiras, já que visam o mercado promissor de produtos orgânicos. Desde julho somos parceiros do Projeto CulturArte,  com a UNESPAR, a conceituada empresa Vermonth de Curitiba, que atendem às segundas e quintas-feiras, mais de 30 crianças no Palacete Mathias Böhn/Barbosa, que é uma incubadora de outros projetos. Continuamos firmes no Projeto “Cadeiras de Rodas”, em que os lacres são trocados por cadeiras de rodas, que o Rotary Rocio administra e já disponibilizamos diversas cadeiras de rodas em comodato.

 

Folha do Litoral News: Qual é o principal sonho desta gestão?

Ivan Lapolli: Temos uma área no Jardim Guaraituba, e o sonho do Rotary Rocio é concluir a obra, que seria um Centro de Convivência Comunitária, cujo local seria para as reuniões da família Rotária bem como para propiciar projetos como cursos, treinamentos, para os jovens de Paranaguá, para a terceira idade se reunir e ter atividades. Precisamos de muito para deixar habitável, mas a cada dia avançamos e esperamos que até janeiro de 2020 possamos estar com o mínimo de condições para ocupar o espaço que consideramos vital para o desenvolvimento do Rotary acompanhando o crescimento da cidade. O Rotary Club de Paranaguá Rocio vai completar 50 anos com muitas realizações!

 

 

 

 


Colunistas