Logotipo

Mais de 98 mil eleitores voltam às urnas no domingo, em Paranaguá

27 de outubro de 2018

Chefe de cartório da 5.ª Zona Eleitoral esclarece dúvidas para exercer o voto

Compartilhe

Mais de 98 mil eleitores de Paranaguá precisam comparecer às urnas eletrônicas novamente no domingo, 28, para o segundo turno e eleger o novo presidente do País. Para esclarecer algumas dúvidas dos eleitores, o chefe de cartório da 5.ª Zona Eleitoral do município, Sérgio Paulo Kawka, deu uma entrevista para fornecer informações relevantes que podem ajudar no fim do processo eleitoral.

Uma delas é sobre o local de votação, que causou muitas dúvidas entre os eleitores no primeiro turno. Assim como as denúncias, que são fundamentais para garantir que as leis sejam cumpridas pela população e também pelos partidos. Neste ponto, a participação da comunidade é fundamental e, para isso, é preciso conhecer as formas de fazer a denúncia e cumprir o papel de cidadão. Confira essas e outras informações na entrevista:

 

Folha do Litoral News: Como o eleitor pode confirmar seu local de votação?

 

Kawka: No primeiro turno, houve muitos problemas de localização de seções. Muitas pessoas tiveram dificuldades, por isso nós orientamos que os eleitores se certifiquem do seu local de votação e número de seção. Principalmente, aos eleitores que tinham no título de eleitor a 158.ª zona eleitoral, que foi extinta. Independentemente de ele ter tirado a segunda via ou não, é possível localizar sua seção. No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), existem os serviços ao eleitor, onde dá para consultar o local de votação. O aplicativo e-Título soluciona todos os problemas, porque quem fez a revisão biométrica e baixou o aplicativo, tem a sua foto, a situação do seu título, pode até tirar uma certidão de quitação no próprio aplicativo, e também a zona e a seção atualizadas. Através do aplicativo é bem fácil, não tem erro. O problema é que muitos eleitores não lembram o local em que votam e querem votar em colégios antigos. O Colégio Jerusalém e o Estados Unidos, por exemplo, não são mais locais de votação, foram fechados antes de 2016. Nós atendemos no dia 7 de outubro vários eleitores questionando sobre locais de votação.

 

Folha do Litoral News: Quem não votou no primeiro turno, pode votar no segundo?

 

Kawka: Os eleitores que não votaram no primeiro turno podem votar normalmente no segundo turno. É mais uma 'fake news' que está se espalhando, é mentira que o eleitor não pode votar agora. Quem não votou no primeiro turno pode e deve votar no segundo. Quem não votou no primeiro tem 60 dias para apresentar a justificativa no Cartório Eleitoral, que pode ser pessoalmente ou através do site do TSE, pela Internet, bem fácil e rápido, sem precisar pegar fila. O que facilita também para nós da Justiça Eleitoral. Para evitar filas que se formam no fim da tarde, para que a gente consiga finalizar o mais rápido possível a eleição para totalizar os votos, pedimos que as pessoas votem pela manhã.

 

Folha do Litoral News: A população pode continuar fazendo denúncias de irregularidades?

 

Kawka: A pessoa pode ir diretamente até o Fórum Eleitoral, entrar em contato com o Ministério Público ou pelo aplicativo Pardal, que pode ser baixado no celular e encaminhar as denúncias. É importante que a denúncia esteja acompanhada de registros, de fotos, vídeos, de provas para que a denúncia não seja vazia. No primeiro turno, tivemos um número considerável de denúncias em Paranaguá. Tivemos indícios de compra de votos, transporte de eleitores, boca de urna, derrame de "santinhos", mas a maior incidência foi de compra de votos. Os advogados das coligações dos partidos formalizaram as denúncias que já estão com o Ministério Público.

 

Folha do Litoral News: É importante levar um documento com foto para votar?

 

Kawka: Embora tenhamos feito a revisão biométrica, é importante comparecer com um documento de identificação com foto. O aplicativo e-Título substitui o documento, é bem completo. Mas, para quem não tem o e-Título instalado no celular, precisa comparecer com um documento oficial de identificação com foto. É uma questão de segurança.

 

Folha do Litoral News: As "fake news" atrapalharam o trabalho da Justiça Eleitoral?

 

Kawka: Reforçamos a todos os eleitores e toda a população de Paranaguá para que antes de compartilhar qualquer informação nas redes sociais, seja WhatsApp ou Facebook, sempre cheque a fonte da informação. As pessoas compartilham sem saber se é verdade ou não e cria uma corrente, contribuindo com a disseminação das "fake news", sem fazer o seu papel de cidadão. Se tiver dúvida, não compartilhe. A Justiça Eleitoral agradece e pede essa colaboração.

Colunistas