Logotipo

Comandante do 9.º Batalhão de PM reforça ações para a segurança no comércio

12 de maio de 2019

Estrutura de trabalho foi aprimorada para que as equipes estejam nas ruas em horários de maior demanda do 190

Compartilhe

O comandante do 9.º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Marcos Rodrigues, que atende o litoral do Paraná, assumiu a função neste ano. Ao longo de sua carreira, o atual comandante desenvolveu atividades focadas na área operacional, no 12.º e 13.º Batalhão, ambos em Curitiba, proporcionando segurança à população. A experiência do tenente-coronel foi obtida também pelo comando de companhias, atuando em bairros como Cajuru e Boqueirão, também na capital do Estado. Os problemas dessas regiões, segundo ele, são similares aos encontrados no litoral do Paraná, como furtos e roubos e drogadição.

Nesta entrevista, o comandante avaliou os índices de criminalidade em Paranaguá e explicou como ocorre o trabalho das equipes operacionais visando à segurança de estabelecimentos comerciais, para coibir assaltos. Confira:

Tenente-coronel assumiu a função de comandante do 9.º Batalhão neste ano. (foto: PMPR)

 

Folha do Litoral News: Como vê os índices de criminalidade em Paranaguá?

Comandante Marcos: Acredito que os índices em Paranaguá sejam específicos. A própria condição do porto já é algo que influencia bastante nessa questão da criminalidade. Os homicídios vêm muito do tráfico de drogas e nesse ponto atuamos com a área de inteligência. O traficante não fica à disposição para ser preso, o esquema a que ele pertence não é uma coisa fácil, então a polícia usa a inteligência. Com relação ao consumo de droga a gente aplica toda uma estrutura de policiamento ostensivo e preventivo para que dificultar o acesso ao traficante e a prisão realmente dele se age com o nosso setor de inteligência. Isso será proporcional à diminuição dos números de homicídios.

 

Folha do Litoral News: Como deve ser realizado o monitoramento por câmeras no comércio?

Comandante Marcos: Tanto em Paranaguá, como em Pontal do Paraná, há um projeto de monitoramento. A princípio, a Polícia Militar precisa ter acesso às câmeras e um efetivo 24 horas para monitorar isso, o que significa tirar de duas a três viaturas de Paranaguá e, por isso, precisamos colocar na balança. É preciso ponderar porque tudo que exige funcionamento 24h precisa de um efetivo, por isso estamos estudando para ver a viabilidade. Estudamos uma integração da Guarda Municipal, Polícias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros. Se houver essa integração, não pesa para ninguém. A partir do momento que eu preciso tirar dez policiais militares para colocar em uma escala de monitoramento como esse significa duas viaturas paradas e a segurança cai bastante.

 

Folha do Litoral News: O senhor percebe que tem estabelecimentos comerciais que são mais visados no município?

Comandante Marcos: Todos aqueles comércios que têm a característica de ficar aberto até mais tarde ou que fica 24h, como farmácias e postos de gasolina, estão mais sujeitos a assaltos e a Polícia Militar não está alheia a esta situação. As equipes de serviço quando assumem a escala noturna, já estão direcionadas a um ponto fixo e há o contato direto para que o comerciante se sinta mais seguro. Até porque a própria viatura quando está na madrugada faz questão de ir até o posto 24h tomar um café, para conversar e reforçar a segurança.

 

Folha do Litoral News: Como é realizado o trabalho da PM para coibir assaltos no comércio?

Comandante Marcos: Para essas pessoas que possuem este tipo de comércio que fica mais vulnerável, posso dizer para contar com o nosso apoio. Nós temos a companhia, com o nosso efetivo, temos otimizado a escala de trabalho para que a gente possa utilizar o serviço em um horário em que realmente tenha mais eficiência. Hoje, estamos colocando uma escala supletiva no horário que mais necessita da polícia, para direcionar esse tipo de comércio, nos horários de saída de colégios, para diminuir a estrutura na parte da manhã e aplicar no momento em que a demanda do 190 aumenta muito. Temos um setor de planejamento que tem as ferramentas que vão dizer o termômetro dos bairros que precisam mais e isso nos dá os índices de criminalidade em tempo real, o que direciona para dar uma resposta para a situação.

 

Folha do Litoral News: Em caso de assalto a comércio, qual a orientação da PM?

Comandante Marcos: Na hora da emergência, pode contar conosco através do 190. Em Paranaguá, estamos com uma estrutura boa de equipes que rodam 24h pela cidade, não temos demanda reprimida, que é o tempo que a viatura demora para chegar até quem precisa da emergência. Conseguimos reduzir muito esse tempo e, com raras exceções, a viatura tem chegado em um tempo considerável para prestar um socorro a quem necessita.

 

Folha do Litoral News: Deixe seu recado para a população de Paranaguá.

Comandante Marcos: A gente tem o diagnóstico de que a população de Paranaguá necessita de segurança pública e as nossas demandas e solicitações para a Secretaria de Segurança Pública é para aumentar essa logística para que possa proporcionar uma segurança que a população de Paranaguá realmente merece.

Colunistas